Menos de 10% dos médicos inscritos passaram na 1ª etapa do Revalida | Fábio Campana

Menos de 10% dos médicos inscritos passaram na 1ª etapa do Revalida

De O Globo:

BRASÍLIA – Dos 1.595 médicos formados no exterior que participaram da primeira fase do exame de revalidação do diploma, o Revalida, 155 foram aprovados. Isso representa 9,72% do total. Eles já podem verificar o resultado da prova na página do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) na internet.

A primeira fase, realizada em agosto, teve provas objetiva e discursiva. A segunda fase medirá habilidades clínicas e será realizada em 30 de novembro e 1º de dezembro em Brasília. Os profissionais passarão por simulações de atendimento médico. Para participar da próxima etapa, os aprovados deverão pagar a taxa de inscrição de R$ 300 até a próxima segunda-feira.

O exame é aplicado desde 2011 e sempre teve baixos índices de aprovação. Ao todo, segundo o Inep, 884 médicos formados no exterior passaram pelo Revalida em 2012, dos quais 77, ou 8,7%, foram aprovados. Em 2011, dos 677 inscritos, 65, ou 9,6%, conseguiram revalidar o diploma.

O exame tem a participação de 37 instituições de educação superior públicas. Segundo o Inep, “a avaliação foi criada como uma estratégia de unificação nacional do processo e é referência de utilização de parâmetros igualitários da formação médica no país, em consonância com as Diretrizes Curriculares Nacionais dos cursos de Medicina”.

Quem tem o diploma revalidado pode trabalhar em todo o território nacional e não enfrenta as limitações impostas aos profissionais participantes do programa Mais Médicos. Pelo programa, o médico não precisa revalidar o diploma, mas é obrigado a trabalhar no local indicado pelo Ministério da Saúde.


3 comentários

  1. Parreiras Rodrigues
    terça-feira, 29 de outubro de 2013 – 10:34 hs

    Declaro abertos os precedentes para a não exigência de carteiras da OAB, do CREA e de todas as instituições congêneres para o livre exercício das profissões inerenntes.

    Parreiras Rodrigues, um brasileiro pai d`égua.

  2. antonio carlos
    terça-feira, 29 de outubro de 2013 – 16:00 hs

    E ainda tem gente mandando os filhotes e filhotas estudarem na Bolívia, na Venezuela e na Ilha da Fantasia. Aí voltam para Pindorama e não conseguem mostrar no papel o que aprenderam lá no Exterior.

  3. VISIONÁRIO
    quarta-feira, 30 de outubro de 2013 – 5:11 hs

    Não resta mais nenhuma dúvida de que o PT conseguiu enfiar goela
    abaixo o assunto de banalizar uma profissão tão nobre como a Medi-
    cina aqui no Brasil. No mesmo caminho deverá com certeza aparecer
    propostas “interessantes” relativas a outras profissões como a enge-
    nharia, odontologia e advocacia. Neste “cenário Cubano” ganhou com
    certeza a ditadura da Dilma. Quem vai pagar a conta é o brasileiro…

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*