Marina diz que foi vítima de 'chavismo' | Fábio Campana

Marina diz que foi vítima de ‘chavismo’

Da Folha de S.Paulo:

Na longa reunião em que comunicou a seus aliados a disposição de ingressar no PSB, Marina Silva centrou críticas no PT e no governo, dizendo haver risco de instalação no país do estilo político do presidente venezuelano Hugo Chávez, morto em março, acusado por seus críticos de perseguição contra a oposição e a imprensa.

No encontro ocorrido em sua casa, e que só terminou por volta das 5h de ontem, Marina disse que sua Rede Sustentabilidade foi vítima de “chavismo” pela tentativa de aprovação no Congresso de projeto que sufocava as novas legendas e pelo alto índice de rejeição de assinaturas de apoio em cartórios como o do ABC Paulista, reduto do PT.

“O aparelhamento do Estado e das instituições pelo PT é insuportável. O caso da Venezuela é um populismo autoritário com inspiração militarista, aqui esse fenômeno é mais sofisticado”, disse o vereador paulistano Ricardo Young (PPS), um dos presentes na reunião.

Questionada em coletiva de imprensa sobre o uso da expressão, Marina afirmou que “houve um esforço para inviabilizar” o seu partido.

“Há uma tentativa no país de tentar, de forma casuística, eliminar uma força política que legitimamente tem o direito de se constituir como um partido político. Vejo um risco de aviltamento da nossa democracia”.

No encontro com os aliados, Marina disse ainda que o PT comemorava ter “abatido ainda na pista” o “avião” da Rede. Essa reunião foi realizada logo após o encontro em que ela selou o acordo com o governador Eduardo Campos (PSB-PE).

PLANO C

“Você inventou isso. Agora, venha para cá urgente cuidar disso”, avisou, entre tenso e feliz, Campos ao deputado federal Márcio França (PSB-SP) na madrugada da última sexta-feira.

O paulista foi o idealizador da articulação que culminou na filiação de Marina.

França travou as negociações com o amigo Walter Feldman, que ontem também se filiou ao PSB e que é um dos principais operadores da ex-senadora.

“Acreditávamos que a candidatura do Eduardo só aconteceria mais para frente e seria necessário sangue frio para esperar. Com a filiação, vai antecipar muito e ele só ganha com isso”, disse França.

Marina apresentou outra versão para a gênese do acordo, dizendo que ela teve a ideia de procurar Campos na reunião com os aliados logo após a sessão do Tribunal Superior Eleitoral que rejeitou a criação da Rede, na quinta.

Segundo ela, como todos falavam em plano A (a Rede), plano B (sair candidata a presidente por outro partido), ela começou a bolar o “plano C”: “plano Eduardo Campos”.

“Ninguém teria coragem de propor a uma candidata com 26% das intenções de voto que ela desistisse de sua candidatura à Presidência para apoiar um outro candidato. Essa é uma iniciativa que só ela teria a capacidade de colocar na mesa”, afirmou o deputado Alfredo Sirkis (RJ), que também ingressou no PSB e participou da reunião da madrugada. (RANIER BRAGON, NATUZA NERY e DIMMI AMORA)


5 comentários

  1. cansafa
    domingo, 6 de outubro de 2013 – 10:00 hs

    .
    Tenho aversão a essa mulher. Tem cara de reacionaria

  2. Vigilante do Portão
    domingo, 6 de outubro de 2013 – 10:05 hs

    Gozado, quando da condenação dos Mensaleiros, o Judiciário é bom.

    Quando nega a criação do Partido da Marina,
    É chavismo.

  3. Sergio Silvestre
    domingo, 6 de outubro de 2013 – 10:08 hs

    Marina foi vitima do seu staf de consenguir assinaturas necessárias.
    Agora,nós estamos carentes de idolos politicos,essas das peças fisiologicas querendo o maior cargo da nação é prá acabar.
    Parece que as irmandades obscuras estão querendo que o pas retorne a fartura de mão de obra,para os salarios baixarem.
    A elite deste pais é de uma malvadeza sem tamanho.Querem fazer fortunas do dia prá noite e estão doidos prá que esse boi de piranha ganhe as eleições presidenciais

  4. antonio carlos
    domingo, 6 de outubro de 2013 – 10:24 hs

    Que fim de semana hein companheira presidanta, este é mesmo para esquecer. A hora para dar mancadas acabou. E o Vendedor de Ilusões vai ter que voltar a trabalhar, vamos ver se ele ainda tem tanta força assim, como jura que tem.

  5. Gardel
    domingo, 6 de outubro de 2013 – 11:25 hs

    O PT. adpto da doutrina chavista pensou ter passado uma rasteira em Marina Silva, mas, inteligencia não é o forte dos ptralhas. Marina agora sera vice na chapa de Eduardo Campos. A coisa complicou para o partido dos mensaleiros.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*