Infraero privatiza serviços de bombeiros nos aeroportos | Fábio Campana

Infraero privatiza serviços de bombeiros nos aeroportos

A Infraero não esperou a definição do convênio com o Governo do Estado e resolveu privatizar os serviços de bombeiros nos aeroportos de São José dos Pinhais (Curitiba), Foz do Iguaçu e Londrina. Os serviços, conforme resultado da licitação, vai custar R$ 7,8 milhões que serão pagos a duas empresas. A BK Consultoria e Serviços ficará responsável pelos serviços de prevenção, salvamento e combate a incêndio no Aeroporto Afonso Pena e vai receber R$ 2,8 milhões.

A Sprink Segurança contra Incêndio Ltda vai receber R$ 4,9 milhões para executar os mesmos serviços nos aeroportos Cataratas (Foz do Iguaçu) e José Richa (Londrina). O interessante é pelo atual convênio, valido até dezembro, a Infraero paga R$ 2,2 mil para cada bombeiro militar e pelos novos serviços contratados vai pagar até 4,9 mil por cada bombeiro.


14 comentários

  1. antonio carlos
    terça-feira, 22 de outubro de 2013 – 16:26 hs

    Que beleza, daqui a algum tempo os técnicos do TCU vão citar a estatal dos aeroportos, porque pagam mais caro quando podiam pagar mais barato? Quando podem contratar dois e ainda com troco, pagam só por um? Aí eu quero ver os diretores da estatal arrumando desculpas para a gastança do nosso dinheiro.

  2. bernardo
    terça-feira, 22 de outubro de 2013 – 20:30 hs

    Durma com um barulho desses! Excelente negócio dos gaúchos da Infraero. Tirar o bombeiro militar e colocar empresa privada para gerir os serviços pagando três vezes mais. Só o PT e os burocratas da estatal para gastar o dinheiro do contribuinte. Será que é por isso que estão privatizando os principais aeroportos do Brasil?

  3. OCIMAR
    terça-feira, 22 de outubro de 2013 – 20:47 hs

    QUANDO ERA GOVERNO SÉRIO QUE PRIVATIZAVA ERA CRIME,AGORA OS BANDIDOS FAZEM A MESMA COISA E É LEGAL,TEVE ATÉ UM IMBECIL QUE LANÇOU UM PASQUIM DIZENDO QUE ERA UM LIVRO SOBRE O ASSUNTO,TEVE ATÉ OTÁRIO QUE COMPROU.

  4. FMAN
    terça-feira, 22 de outubro de 2013 – 20:51 hs

    Demorou…Necessário a população refletir que estes bombeiros militares que não estarão mais dentro dos aeroportos vão agora somar aos integrantes da corporação que trabalham diariamente nas ruas…e o melhor, os aeroportos ainda contarão com a proteção dos brigadistas terceirizados.
    Enfim, ganha todo mundo..a populacho e o Corpo de Bombeiros.

  5. Arnaldo
    terça-feira, 22 de outubro de 2013 – 21:37 hs

    Agora vai sobrar bombeiros militares para que possam ser montados novos quartéis do Corpo de Bombeiros no interior do Estado!

  6. Verônica Maia
    terça-feira, 22 de outubro de 2013 – 22:08 hs

    Meia verdade nessa notícia. Faltou dizer que a o próprio Corpo de Bombeiros da PMPR não quis renovar o convênio e não restou à Infraero outra alternativa que não fosse licitar o serviço.

  7. Paulo Cesar
    quarta-feira, 23 de outubro de 2013 – 0:02 hs

    Até que enfim, agora teremos mais Bombeiros Militar atendendo à população. Não teremos uma quantidade enorme de Bombeiros que vão pra esses aeroportos “sentar nas batatas” literalmente. O povo dessas cidades agradece. Tenho certeza que vai ter mimimi de algum lado, pois DIÁRIAS ficarão mais difíceis. hahahahaa. Antes tarde do que nunca.

  8. quarta-feira, 23 de outubro de 2013 – 8:57 hs

    Na verdade estes 2,2 mil, não chega até os bombeiros que prestam serviço, que custam mto mais ao estado. Porem deixam de atender a população das cidades, e atendem somente os aeroportos, e que tem mais bombeiros do estado trabalhando prá infraero do que em toda cidade, e quem paga a conta é toda população. Afinal é uma conta que não fecha.

  9. Zé Deodoro de Piraquara
    quarta-feira, 23 de outubro de 2013 – 9:16 hs

    O aeródromo Bonacin de Piraquara foi fechado após intensa luta da comunidade junto as autoridades aéreas do país! Aguardamos a finalização do processo na justiça de Piraquara e a população apoiará integralmente ação do digníssimo juiz de direito da comarca punindo o crime ambiental já realizado e que ainda perdura visto que o lençol freático ainda verte incessantemente devido as escavações realizadas pelos empreendedores.

  10. Cassiano Lucas Menegazzo
    quarta-feira, 23 de outubro de 2013 – 10:19 hs

    Antonio, os 2,2 mil que a Infraero pagava ao estado não cobria nem metade dos gastos dos estados com os bombeiros militares que prestavam os serviços nestes aeroportos. A verdade era que o estado estava saindo perdendo e muito sem justificativa alguma.
    além disso, estes bombeiros eram retirados do atendimento ao público para trabalhar para uma empresa. Seria exatamente o mesmo que policiais militares estarem trabalhando no Banco do Brasil ou na Caixa, ou seja, o contrato era inconstitucional (ilegal) uma vez que redirecionava pessoa que deveria estar atendendo a população para trabalhar para uma empresa, mesmo que essa seja pública.

  11. Hemerson S Barbosa
    quarta-feira, 23 de outubro de 2013 – 11:30 hs

    Claro que as empresas vencedoras da licitação visam o lucro, por isso, certamente a qualidade e a capacitação destes bombeiros civis que atuarão nos aeroportos estarão no mesmo patamar dos seus salários (a mão de obra especializada requer não só o conhecimento de combater incêndios em aeronaves, mas tb em primeiros socorros, resgates, comunicações etc). Quanto mais especializada a mão de obra, mais cara para a empresa, e menor a sua margem de lucro. É só deduzir o que vai acontecer então.
    Finalmente, a economicidade simplesmente não existe, já que este profissional civil é mais caro (como se vê na reportagem) que o militar (que já vem preparado em várias áreas).

  12. vinicius
    segunda-feira, 13 de janeiro de 2014 – 17:05 hs

    bombeiro do estado tem que estar a serviço da população e não atuando dentro de aeroportos, são mais de 60 homens somente no afonso pena que voltam para o atendimento urbano o convenio que a infraero fechou com essas empresas não paga o ordenado de 70% dos efetivos militares. que sai diretamente dos seus bolsos.
    saibam que os bombeiros civis são tão preparados quanto os militares a diferença é que eles tem que lutar diariamente para estar no mercado de trabalho não tem a estabilidade estatal.

    temos que deixar de ser hipocritas pois as maiores potencias mundiais são atendidos por bombeiros civis e voluntarios e não deixam de ser exemplos de trabalho.

  13. cleverson bonfim de morais
    terça-feira, 21 de outubro de 2014 – 16:27 hs

    fico alegri de sabe que nois bombeiros civil , samos reconhecido pois eu tenho orgulho de ser bombeiro civil

  14. Leidison
    quinta-feira, 11 de fevereiro de 2016 – 0:59 hs

    A mão de obra privada enriquece o serviço prestados por cobranças de capacidade e conteúdo, não desmorecendo os profissionais militares, mais tratando do quesito de infra instrutura oferecida pelas empresas privadas . bons exemplos são as estradas assistidas por concessionarias, atendimento privatizado no brasil tem bons resultados e a população em sua maioria,assim como eu é a favor !

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*