HC fecha 94 leitos por falta de funcionários | Fábio Campana

HC fecha 94 leitos por falta de funcionários

De Rodrigo Batista, Bonde:

Curitiba – A direção do Hospital de Clínicas da Universidade Federal do Paraná (HC-UFPR) anunciou ontem o fechamento de 94 leitos por falta de funcionários – em especial os da área de enfermagem. Uma parceria com a Prefeitura de Curitiba será feita para tentar diminuir o deficit de 400 funcionários no maior hospital público do Paraná.

Os 94 leitos ficarão fechados pelo menos no mês de outubro. A medida se deve à reorganização das escalas de trabalho, que foram mudadas depois de uma decisão da Justiça do Trabalho. Os funcionários contratados pela UFPR e pela Funpar (Fundação de Apoio a Universidade) estavam com excesso de horas extras, fato que foi questionado pelo Ministério Público do Trabalho (MPT).

De acordo com o diretor do HC, Flavio Daniel Saavedra Tomasich, a decisão judicial, que passou a valer no dia 25 de setembro, geraria impacto com fechamento de 210 leitos, o que representaria quase metade dos 457 leitos em atividade no hospital. Porém, a UFPR e o HC conseguiram firmam um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) para, no prazo de um ano, resolver o problema da falta de funcionários e excesso de horas extras.

“Isso vai nos permitir trabalhar sem precisar mexer no setor de urgência e emergência. Nenhuma área será fechada, apesar de todas sentirem essa diminuição”, explica o médico. Nos próximos meses, com a readequação de escalas de trabalho, o número de leitos fechados pode diminuir, mas os funcionários voltarão a realizar horas extras.

Segundo o reitor da UFPR Zaki Akel Sobrinho, o problema se arrasta desde 2012, quando a UFPR decidiu pela não adesão do HC à Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (EBSERH), que gerencia hospitais universitários no País. Uma alternativa é realização de concurso público, mas ainda não está acertada. “Estamos trabalhando em projetos alternativos. Sabemos que o hospital precisa de reforço na mão de obra, pois a falta de funcionários gera sobrecarga”.

A assessoria de imprensa do Ministério da Educação (MEC) informou que a realização de concursos públicos fica a cargo do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão (MPOG) que, por sua vez, disse que ainda não existe nenhuma demanda por parte do HC para concursos públicos. Segundo o MPOG, o Hospital deve solicitar ao MEC o concurso que passará a solicitação ao MPOG.

Alternativa
Uma via encontrada pela UFPR para diminuir o deficit de funcionários é uma parceria com a Prefeitura de Curitiba para instalar dentro do HC uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA) – que vai funcionar na área de pronto atendimento do hospital. Com isso, funcionários da prefeitura passarão a atender dentro do HC, o que poderá ajudar na realocação da mão de obra contratada pela UFPR e pela Funpar.

Segundo o vice-reitor da UFPR, Rogério Mulinari, a administração da UPA será feita em conjunto com a prefeitura, mas a contratação de funcionários ficará a cargo da Secretaria Municipal de Saúde. Ainda não se sabe quantos funcionários a parceria vai poder suprir. “Eventualmente funcionários da Funpar (que trabalham fora do HC) poderão vir para dentro do hospital para reabrir os leitos.”


7 comentários

  1. HENRY
    quarta-feira, 16 de outubro de 2013 – 10:36 hs

    ESTE É O VERDADEIRO EXEMPLO DE INCOMPETENCIA DESTE (des)GOVERNO DOS corruPTos DO pt “Partido do Trambique”. ESTÃO NA TV COM UMA PROPAGANDA COMPLETAMENTE ENGANOSA, E TEM GENTE QUE ACREDITA E AINDA VOTA NESTES VERMELHOS CORRUPTOS. ÊITA POVINHO IDIOTA!!!

  2. carlos rocha
    quarta-feira, 16 de outubro de 2013 – 11:02 hs

    ISSO MOSTRA A FALTA DE RESPONSABILIDADE, INCOMPETÊNCIA ADMINISTRATIVA E IRRESPONSABILIDADE E FALTA DE PLANEJAMENTO ESSE PROBLEMA SE ARRASTA DESDE 2012 ENQUANTO ISSO O POVO SOFRE E MORRE PELA FALTA DE LEITOS DE UTI, TÁ NA HORA DO MINISTÉRIO PUBLICO FEDERAL VER COMO O HC CHEGOU NESSA SITUAÇÃO.

  3. Helio Nunes
    quarta-feira, 16 de outubro de 2013 – 11:06 hs

    Absurdo tal fato, enquanto nas secretarias tem gente saindo pelo ladrão, em cargos comissionados.

  4. Parreiras Rodrigues
    quarta-feira, 16 de outubro de 2013 – 11:18 hs

    Não vá querer dona Rousseff buscar funcionários cubanos em regime de escravidão, como os médicos dela lá…
    É esse o cuidado do P erda T otal com a saúde.

  5. sandra arendt
    quarta-feira, 16 de outubro de 2013 – 12:14 hs

    O maior desafio é a contratação de pessoal efetivo para fazer frente a demanda do HC, face as exigẽncias e trâmites burocráticos para contratação de funcionário público. E em se tratando da esfera Federal, a coisa complica mais.Já passou da hora dos parlamentares tomarem uma atitude eficaz para evitar o comprometimento de uma área tão importante quanto a saúde pública.
    Pelos excelentes serviços prestados mesmo com pessoal reduzido, o HC merece atenção especial, urgente e eficaz. Atenção desgoverno Federal, a população, ou melhor, os eleitores agradecem!

  6. Anônimo
    quarta-feira, 16 de outubro de 2013 – 17:55 hs

    A ‘ESTÓRIA’ NÃO É BEM ESSA CONTADA PELO NOSSO REITOR……PROMESSAS ESTÃO SENDO COBRADAS…..

  7. Guilherme Nunes
    terça-feira, 22 de outubro de 2013 – 21:23 hs

    Já que é autorizado repor aposentados, por que não chamam os classificados nos últimos concursos? Há centenas de auxiliares de enfermagem, enfermeiros e muitas outras profissões à espera de uma oportunidade.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*