Falsos brilhantes | Fábio Campana

Falsos brilhantes

Por Mary Zaidan

“Esgoto não é magnífico na sua aparência; esgoto tem de ser tratado, coletado, e tem que se traduzir em projetos técnicos de qualidade.” Dita em dilmês castiço, a frase da presidente foi aplaudida por centenas de prefeitos que se aglomeravam no Palácio do Planalto, quinta-feira, 24, durante o anúncio de R$ 13,5 bilhões do PAC para saneamento e pavimentação.

A 45 quilômetros dali, os 170 mil moradores de Águas Lindas de Goiás ainda esperam pelos R$ 113 milhões prometidos para coletar e tratar o esgoto da cidade. Se já deixou o papel, o dinheiro festejado em maio deste ano foi parar em outros subterrâneos.

Mais um anúncio sem lastro. Isso tem sido uma constante nos governos Lula-Dilma, useiros e vezeiros em alardear o que não se concretiza. Para Dilma – assim como foi para Lula –, o que interessa é usufruir da publicidade. O depois não importa. É futuro pós-eleição. A conta do diabo.

Quem dá as cartas, inventa, cria e recria os programas de governo é o marketing. Foi assim desde o primeiro dia de Lula. Ali, a mágica era o Fome Zero, saído da varinha de condão de Duda Mendonça. Para eleger a sucessora vieram o PAC e o filhote PAC 2, ambos sem perspectivas de conclusão até o fim do governo Dilma.

Ou seja, prometer e não fazer, lançar e nem mesmo começar, anunciar e não liberar os recursos não é um comportamento apenas eleitoral, é um estilo de governar.

Cacareja-se o ovo que a galinha não botou.

E isso é algo que custa caro. A polêmica e grandiosa obra de transposição do Rio São Francisco que o diga. Quase parada – deveria estar pronta no final do governo Lula ao custo de R$ 4,6 bilhões -, já alcança R$ 8,18 bilhões e não será entregue antes de 2015.

Destino igual têm moradias recém-inauguradas do Minha Casa Minha Vida, inauguradas sem luz, água e esgoto, e as seis (ou oito) mil creches prometidas por Dilma, a maior parte delas puro gogó.

Tem sempre sido assim.

O primeiro barril do Campo de Libra só deve sair das águas profundas em 2020. Produção, se tudo der certo, só em 2022 ou 2023. Mas o incerto lucro futuro foi estrelado em rede de rádio e TV pela presidente Dilma, ainda que não se saiba o preço do óleo negro daqui a 10 anos, muito menos a quantidade de produção. Até lá, a Petrobrás vai continuar gastando o que não tem, ostentando o primeiro lugar entre as maiores devedoras do mundo.

Um contraste e tanto com as cenas de Lula e as mãos sujas de petróleo para comemorar a autossuficiência brasileira, que, na época, fizeram parecer crível.

Deve ser por essas e outras que os marqueteiros insistem em desafiar as pernas curtas da mentira. Talvez se esqueçam de que mais cedo ou mais tarde o dito prevaleça. Afinal, não é à toa que ele se tornou popular.

Mary Zaidan é jornalista. Trabalhou nos jornais O Globo e O Estado de S. Paulo, em Brasília. Foi assessora de imprensa do governador Mario Covas em duas campanhas e ao longo de todo o seu período no Palácio dos Bandeirantes. Há cinco anos coordena o atendimento da área pública da agência ‘Lu Fernandes Comunicação e Imprensa’. Escreve aqui aos domingos. @maryzaidan


5 comentários

  1. D.H.
    domingo, 27 de outubro de 2013 – 22:43 hs

    Governo do Paraná revisa lei para ordenar ocupação das áreas de mananciais.
    ESGOTO – A ocupação por habitações só deverá ser permitida se não houver qualquer despejo de esgoto. Investidores e moradores deverão garantir que o esgoto seja tratado ou ligado à rede do serviço de água e esgoto.
    Ao ler esta notíca acho que o Governo acerta, pois esta decisão pode garantir o direiro humano da moradia digna a muitos paranaenses em risco de despejos forçados ou remoções. Basta os investidores cumprirem.

  2. NA CORDA BAMBA
    segunda-feira, 28 de outubro de 2013 – 8:03 hs

    Promessas e mais promessas e o dinheiro no “sumidouro eleitoral”.
    Se é assim que o povão quer e aplaude, que se dane o governo e
    o povão !!!

  3. tadeu rocha
    segunda-feira, 28 de outubro de 2013 – 9:06 hs

    O DEUS LULA, VOCES ESTAO VENDENDO O BRASIL, E QUEREM MASSAGEM, VOCE É PRESIDENTE , DEIXE A PRESIDENTA FALAR….

  4. sandra arendt
    segunda-feira, 28 de outubro de 2013 – 15:57 hs

    Esse artigo espelha a realidade incontestável do DESgoverno PeTralha. O que mais me impressiona é que mesmo diante dos fatos consumados (menos as obras e promessas) não há cobrança efetiva por parte do parlamento, da justiça, salvo por parte do povo que grita aos quatro ventos sem ser ouvido. É o novo modelo de democracia implantado pelo PT, onde os “doutores” Dilma e Lula decidem, e o “restante” é obrigado a acatar as barbaridades, até mesmo porque não tem a quem recorrer, pois se tivesse, o Congresso já teria feito o que precisa e com urgência: IMPEACHMENT da Dilma, antes que acabem com o que resta a ser preservado.

  5. Aline
    segunda-feira, 28 de outubro de 2013 – 17:18 hs

    O governo petista VIRTUALMENTE é fantástico, pena que a realidade é um DESASTRE.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*