Com novas pistas, mãe de Rachel Genofre vê reacender esperança por justiça | Fábio Campana

Com novas pistas, mãe de Rachel Genofre vê reacender esperança por justiça

De Marina Sequinel e Luiz Henrique de Oliveira, Banda B:

Novas pistas sobre um dos maiores crimes sem solução do país foram obtidas pela Banda B na última segunda-feira (28). A informação renovou as esperanças da família de encontrar o suspeito de matar a menina Rachel Genofre, de 10 anos, encontrada em uma mala na Rodoviária de Curitiba no dia 5 de novembro de 2008.

Após cinco anos de investigação, a polícia apurou que o autor pode estar vivendo no exterior, em um país da Europa. Para não deixar o caso cair no esquecimento e agilizar a ação das autoridades, a mãe da vítima, Maria Cristina Oliveira, organizou uma vigília em memória da filha. O ato, que tem como objetivo combater a violência contra mulheres e crianças, será realizado na próxima terça-feira (31) na Boca Maldita, no Centro da cidade, às 19h.

“O que nós queremos é pedir por justiça. Os casos de assassinatos, abuso sexual e pedofilia só aumentam na nossa cidade. Nós estamos reivindicando um maior esforço da polícia para prender o homem que matou a minha filha”, contou a mãe de Rachel em entrevista à Banda B, nesta quinta-feira (31).

Para ela, a homenagem à Rachel se dirige a todas as vítimas da violência. “A nossa realidade precisa mudar. Eu tenho uma forte esperança de que o assassino vai ser preso. Essa é a razão pela qual eu estou lutando. Desistir da justiça, para mim, é desistir da vida. Se a Rachel estivesse aqui, ela com certeza participaria do ato e estaria protestando contra a violência e lutando pela população”, concluiu Maria Cristina.

A manifestação é apoiada pela União Brasileira de Mulheres e todos estão convidados a participar.


Um comentário

  1. Duds
    sexta-feira, 1 de novembro de 2013 – 9:19 hs

    É muito difícil combater a pedofilia e a violência contra a mulher. A polícia não tem interesse porque ela representa uma cultura machista e que protege o suposto instinto agressor do homem, o qual é apenas vítima da mulher oferecida e da criança sedutora. Isso é flagrante em programas policiais. Assistam cinco minutos do programa do Aciolly e também o Balanço Geral e vejam o quanto esses ogros mantêm a cultura de que a mulher foi estuprada porque usa saia e que o homem vai querer estuprar se ela despertar o desejo dele.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*