Bancada vai discutir 'reentregas' de máquinas por Zeca Dirceu | Fábio Campana

Bancada vai discutir ‘reentregas’ de máquinas por Zeca Dirceu

O coordenador da bancada federal de parlamentares do Paraná, deputado Marcelo Almeida (PMDB), pretende convocar uma reunião extraordinária em Brasília na próxima semana para discutir com deputados federais e senadores paranaenses a “reentrega” de máquinas do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) 2 em municípios do Estado, realizadas pelo deputado Zeca Dirceu (PT).

Almeida, que está na Alemanha representando a Câmara dos Deputados na 61ª Feira do Livro de Frankfurt, disse que pretende ouvir os demais parlamentares paranaenses para definir providências sobre o caso. O deputado Zeca Dirceu deve ser convidado para participar da reunião e explicar os motivos que o levaram a descumprir o pacto acertado pela bancada para evitar as “reentregas”.

Almeida disse que a bancada já havia pactuado oficialmente que os benefícios aos municípios obtidos através do trabalho conjunto de parlamentares que resultaram em programas de governo não deveriam ser encampados pessoalmente por nenhum deputado. “Não se pode fazer benemerência com o chapéu dos outros”, afirmou.

Saiba Mais

Máquinas do PAC entregues por Dilma são ‘reentregues’ por filho de Dirceu

Almeida revelou que não sabe exatamente qual o posicionamento que pode ser adotado pela bancada. Segundo ele, a reportagem publicada nesta sexta-feira pelo Terra “é muito forte, mostra as fotos das entregas e deve ser avaliada pela bancada”.

O deputado paranaense acredita que a matéria “é libertadora para os prefeitos que se sentiam temerosos em rejeitar os pedidos de deputados para ‘reentrega’ de benefícios conseguidos através de programas”. “Os prefeitos sabem, e devem, recusar estas solenidades e evitar riscos administrativos”. O Ministério Público Federal do Paraná (MPF-PR) está analisando as informações do caso e deve se pronunciar nos próximos dias sobre a suposta prática de improbidade administrativa.

Manifesto
A ação de Zeca Dirceu contrariou um pacto da bancada federal do Paraná, que, no dia da entrega oficial, distribuiu panfletos e publicou nas principais emissoras de rádio e em jornais um manifesto alertando os prefeitos para evitar a “reentrega” dos equipamentos.

O texto informava que, em etapas anteriores de entrega dos equipamentos do PAC 2 no Paraná, “prefeitos foram instados a realizar novas (entregas) em seus municípios para a entrega dos mesmos equipamentos, causando constrangimentos políticos, desperdício de recurso público, questionamentos jurídicos e denúncias administrativas”.

O documento alertava aos prefeitos que “interromper atividades já programadas, ou em execução, para realizar um ato meramente político, prejudica a população e pode trazer consequências administrativas aos municípios”. O manifesto orientava os prefeitos “a não correr este risco”.

O deputado federal João Arruda (PMDB), que integra o grupo de Zeca Dirceu na oposição ao governo do Estado, afirmou que o petista “tem uma ansiedade muito grande, desde o inicio do mandato, para aparecer e ganhar visibilidade como politico que traz resultados”. Arruda diz ter falado pessoalmente com Dirceu sobre o assunto, mas já desistiu. “Inocente ele não é”, afirma.

Em julho deste ano, as relações entre Zeca Dirceu e Arruda ficaram estremecidas. O deputado petista esteve no município de Japira para entregar um caminhão coletor que foi disponibilizado à cidade, através da Fundação Nacional de Saúde (Funasa), por uma emenda de Arruda apresentada em 2011. Com a troca de prefeito, o petista teria comparecido ao município durante a entrega do caminhão conseguido pelo peemedebista. Zeca Dirceu nega e disse que o processo estava paralisado.

Já o deputado Rubens Bueno, líder do PPS na Câmara, também integrante da bancada federal paranaense, disse que “lamentavelmente a política nas mãos do PT chegou à degradação”.

“O serviço público do Estado brasileiro está a serviço do partido. Nós sabemos que existe um programa federal que todos nós votamos e aprovamos em benefício dos municípios brasileiros. Onde está a verba do deputado para isso?”, questionou.

Bueno acredita que a ação de Zeca é fruto do descompasso do governo como um todo. “O governo tem que se preocupar com as políticas nacional e internacional, que, por si só, são muito complexas. Tem que haver uma descentralização administrativa e desconcentração de poder para comprar máquinas onde é necessário e não da forma que ocorre atualmente, com decisões de cima para baixo. Isto resulta em situações como este caso, onde os prefeitos são pressionados a participarem de situações como essas.”

“Reentregas”
O deputado federal Zeca Dirceu, filho do ex-ministro José Dirceu, decidiu percorrer municípios contemplados pelo Programa de Aceleração do Crescimento (PAC 2) para “reentregar” equipamentos entregues pessoalmente aos prefeitos pela presidente Dilma, em evento realizado em Campo Mourão, a 460 quilômetros de Curitiba, no dia 4 .

As “reentregas” foram realizadas com direito a discursos e faixas de agradecimentos ostentando os nomes de Zeca Dirceu, pretenso candidato à reeleição, e da ministra da Casa Civil, Gleisi Hoffmann, provável candidata do PT ao governo do Paraná em 2014.

As “reentregas” foram registradas pela assessoria de imprensa de Dirceu. O deputado negou que tenha “reentregue” as máquinas e disse que foi convidado pelos prefeitos para recepcionar a chegada das máquinas nos municípios. Prefeitos ouvidos pelo Terra desmentiram a versão de Dirceu, sustentando que atenderam pedidos da assessoria do deputado e que não sentiram confortáveis durante as “reentregas” agendadas.


9 comentários

  1. antonio carlos
    sábado, 12 de outubro de 2013 – 15:27 hs

    Data vênia caro deputado, o cara é filho de quem mesmo? Então dele devemos esperar de tudo, até disto. Vou repetir o ditado popular, caso você tenha esquecido, quem sai aos seus não degenera. Ou outro, talvez até mais elucidativo, tal pai tal filho.

  2. sábado, 12 de outubro de 2013 – 18:14 hs

    Se for maquinas que o PT,distribui,foi para destruir e nao construir!!!!

  3. Duda
    sábado, 12 de outubro de 2013 – 18:56 hs

    Qual ilegalidade?
    Me parece puro dor de cotovelo da direita!
    Rubens Bueno faz oposição, vota contra e depois quer sair na foto, absurdo.

  4. MUKIRANA
    sábado, 12 de outubro de 2013 – 20:53 hs

    Esses gestores públicos são iguais crianças se contenta por pouca coisas, ganharam um tratorzinho estão todos felizes ficam tirando fotos com caras de bobos, isso é uma vergonha.
    Os prefeitos tem que lutar pela distribuição dos impostos aos municípios, pois o atual governo federal esta concentrando todos os impostos em Brasília para fazer politica….

  5. Gilmar Trento
    sábado, 12 de outubro de 2013 – 22:00 hs

    Gostaria que essa bancada tomasse providencias com relação ao governador Beto Richa que esta fazendo plagio com os programas federais da Presidenta Dilma

  6. Juvenal moreira
    sábado, 12 de outubro de 2013 – 22:46 hs

    Fruta nao cai longe do pe

  7. FUI !!!
    domingo, 13 de outubro de 2013 – 5:38 hs

    Este Zeca é o típico papagaio de pirata. Atitude típica de filho do
    José Dirceu…

  8. Helena
    domingo, 13 de outubro de 2013 – 9:57 hs

    Isso e campanha politica ANTECIPADA so a turma do pt tudo pode, os partidos de oposicao nao, e crime eleitoral com protestos e tudo mais dos “honestos e ‘eticos”.

  9. Analista
    domingo, 13 de outubro de 2013 – 11:51 hs

    Querem prova mais evidente que esta que o pai do deputado, já condenado ainda dá as cartas no governo do PT e que este partido esta mais interessado em defender o seu poder que governar pelo interesse público?
    O PT tomou conta do Estado Brasileiro e se serve dele para eternizar-se no poder, fazendo valer a máxima: “quanto mais dependente, tanto mais subserviente, será o governado”.
    Eta Brasiiiiiillllllll..ziiiilllllllllllllllllllll
    Até quando?

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*