Atlético-PR perde dois mandos de campo por causa de briga no Atletiba | Fábio Campana

Atlético-PR perde dois mandos de campo por causa de briga no Atletiba

Torcida idiota, o que é quase um pleonasmo, conseguiu causar grande prejuízo ao Atlético. O Atlético-PR foi punido nesta sexta-feira pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) com perda de dois mandos de campo e mais multa de R$ 30 mil por causa da briga entre torcedores e a queda de alambrado no clássico com o Coritiba. Como foi em primeira instância, cabe recurso.

– Ficou claro que o conflito só foi possível pela circulação da torcida na arquibancada, que o clube permitiu – disse, em seu voto, o relator do processo, o auditor Matheus Gregorini.

Com relação ao lançamento de um isqueiro, no mesmo jogo, o clube foi absolvido por causa da identificação do autor da infração – um menor de idade. Já pelo atraso no começo do segundo tempo, o Furacão levou outra multa: R$ 12 mil.

Durante o julgamento, além da análise da prova de vídeo, o coordenador de segurança do Atlético-PR foi ouvido. Ele explicou que o clube faz trabalho educativo para tentar evitar confusões e ressaltou que o Furacão não banca a torcida organizada, aplicando ainda punições aos torcedores que não têm conduta aceitável nos estádios.

Daniel Santiago, da Polícia Civil do Paraná, informou que envolvidos na confusão foram condenados a terem que se apresentar à polícia na hora dos jogos do Atlético-PR. E que o lançador do isqueiro no gramado, um menor de idade, foi identificado. A identificação contribuiu para que o Tribunal entendesse que o clube não fosse passível de punição.

O advogado do Atlético-PR, Domingos Moro, chegou a apelar para o lado emotivo e citou o caso da briga entre torcedores do Corinthians e Vasco.

– Quando o alambrado caiu, a torcida do Atlético teve euforia, alegria, e não tumulto. Lá (torcida do Corinthians) tem torcedor identificado, tem vereador e nada foi feito. No caso do Atlético, podem dizer que houve falha, mas não que nada foi feito – argumentou ele, completando que o clube passou a apertar ainda mais o controle a respeito da movimentação da torcida dentro do estádio.

O árbitro Sandro Meira Ricci, denunciado sob o argumento de não ter relatado a confusão na súmula, foi absolvido, já que o quebra-pau foi no intervalo. O zagueiro Escudero, do Coxa, denunciado pela expulsão, também escapou de pena.


4 comentários

  1. voto nulo
    sexta-feira, 18 de outubro de 2013 – 17:43 hs

    Não falei que não ia dar em nada? DUAS partidas é pouco pelo tamanho da selvageria e medo provocado por vagabundos em quem não tinha nada com aquilo.

  2. justino bonifacio martins
    sexta-feira, 18 de outubro de 2013 – 18:11 hs

    Sou atleticano e corintiano mas defendo a tese da politica da porrada,do baixar ocacete nesse tipo de “torcedor”, aliás não são torcedores, são bandidinhos quevão ao jogo pra fazer baderna. Por isso sou a favor da desmobilização total das torcidas organizadas em todo o país, bem como a culpabilização do clube. Quando houver danos ao patrimônio publico e privado também que os clubes paguem os prejuizos. A hora que doer no bolso deles – diretorias declubes-, ai eles vão “domesticar seus cãezinhos torcedores”.

  3. Gardel
    sábado, 19 de outubro de 2013 – 8:02 hs

    Essa quadrilha que se diz torcedores, parece ter sido treinada pelos militantes petistas, quando estão no topo, começa praticar crimes e jogar contra o próprio patrimônio. Inteligencia é o que mais lhes falta.

  4. Anônimo
    domingo, 20 de outubro de 2013 – 14:14 hs

    As torcidas organizadas deviam ser extintas. Não passam de tropas de assalto dos dirigentes clubistas para ficar no poder.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*