Conselho Federal reclama contra ação de psicólogo cassado | Fábio Campana

Conselho Federal reclama contra ação de psicólogo cassado

Da coluna de Aroldo Murá

O Conselho Regional de Psicologia do Paraná (CRP) está criando um imbróglio sem tamanho, pois, mesmo tendo sido comunicado, no dia 15 de agosto, de que o psicólogo curitibano Albert Friesen teve seu registro profissional cassado pelo Conselho Federal de Psicologia (CFP), faz vistas grossas a uma situação anômala e de desobediência nunca vista na profissão: o referido Friesen (ex-pastor menonita e conselheiro de casais), continua a clinicar. Atende a antigos pacientes e marca novas consultas com os que eventualmente o procuram. E assim vai criando uma situação absurda. Quer dizer: clinica sem registro legal.

Quem está nada contente com a situação – poderia até gerar intervenção no CRP do Paraná, admitem fontes da área jurídica – é o Ouvidor Chefe do Conselho Federal de Psicologia (CFP), Paulo Juliano Garcia de Carvalho.

Ele, atendendo a reclamação da ex-paciente de Friesen, CCB, cuja queixa gerou a cassação do psicólogo, depois de três anos de processo em todas as instâncias profissionais, enviou dias atrás, longo expediente, duro, objetivo, absolutamente técnico ao CRP-PR, manifestando sua perplexidade diante da ocorrência.

A certo trecho, a correspondência do Ouvidor do Conselho Federal de Psicologia assinala: “… não há razão que sustente o descumprimento de decisão que culminou na cassação do profissional (Albert Friesen), pois o desatendimento da decisão acaba por abalar a credibilidade da própria Instituição, ainda mais quando se tem notícias de que o profissional mesmo penalizado permanece prestando atendimento e agendando consultas futuras.” E adverte ainda o Ouvidor Chefe do CFP:

“Em razão dessas ponderações é que se requer a tomada de medidas com a urgência por esse Conselho Regional e o encaminhamento de devolutiva a esta Ouvidoria não apenas para questões de registro mas de controle quanto a qualidade do atendimento efetuado.”

Tão insólita quanta as vistas grossas que o CRP faz para a continuação do psicólogo cassado no exercício profissional, foi a resposta que a assessora jurídica do CRP deu como resposta ao questionamento: “O psicólogo foi cassado, não os pacientes…”

A GRANDE FRAUDE
A manifestação do Ouvidor Chefe do Conselho Federal de Psicologia, Paulo Juliano Garcia de Carvalho, mostrada acima, foi resultado da reclamação seguinte enviada ao CFP:

“De: queixosa CCB,

Data: 3 de setembro de 2013, 10:30
Assunto: descumprimento de decisão proferida pelo Conselho Federal de Psicologia
Para: ouvidoria@cfp.org.br, vanessa@farrachadecastro.com.br, carolina@farrachadecastro.com.br,

Instaurei um processo administrativo perante o Conselho Regional de Psicologia do Paraná há mais de 03 anos. Em 25.07.2013 foi julgado em grau de recurso perante este Conselho Federal, o processo 3622/2012 sendo aplicada a pena de cassação ao psicólogo Albert Friesen. Sendo cientificada da decisão em 19.08.2013, verifiquei que o psicólogo tomou ciência da decisão antes de mim, em data de 15.08.2013. Porém para minha surpresa e total indignação verifico que o psicólogo continua exercendo suas funções e atendendo como psicólogo nos mesmos endereços que atendia, e inclusive marcando consultas para clientes novos, pois solicitei a uma amiga que ligasse à clínica e a secretária lhe ofereceu diversos horários para consulta.****

DISPENSAR CLIENTES
Em data de 02.09, após dificuldades, pois não é permitido ao público em geral, conversar com a assessoria jurídica do Conselho Regional de Psicologia, consegui contato telefônico com a Dra. Zenaide Carpanez, responsável pelo Setor Jurídico aqui de Curitiba, explicando-lhe rapidamente o ocorrido, e ela me explicou por telefone que: “o psicólogo foi cassado, mas os pacientes não, então ele precisa de mais um tempo para dispensar os clientes”.****

Desculpem-me senhores se estiver errada, mas fiquei mais perplexa ainda diante desta assertiva, pois também sou da área jurídica e me parece uma afirmação totalmente desprovida de qualquer racionalidade jurídica e até mesmo de bom senso. Ora, se o psicólogo foi cassado por seu órgão de classe ter entendido que ele não dispõe de capacidade profissional para continuar exercendo sua profissão, como é possível que necessite de um “tempo” para que dispense os clientes?? ****

EXCLUSÃO IMEDIATA…
E se fosse este o caso, o que fazer com clientes de profissionais que por motivos justos e alheios à sua vontade necessitam de desligamento imediato de suas funções, tais como doença, falecimento, entre outros? E ainda como o profissional em questão poderia agendar novos clientes??****

Além disso o artigo 79,&2o. do capítulo VII da resolução que institui o processo disciplinar diz que a EXECUÇÃO DA DECISÃO ocorrerá IMEDIATAMENTE após à devolução dos autos à instancia de origem e o art. 80, &3o prevê que cabe ao Conselho Regional apreender a Carteira, fiscalizar o cumprimento da pena e afixar os editais sobre a cassação ou seja, este prazo em que o psicólogo continua a clinicar, mesmo ciente de sua cassação, é totalmente ilegal. E o Conselho Regional, tendo cientificado o psicólogo e estando conivente com isto, está agindo descumprindo sua própria legislação.****


6 comentários

  1. luiz
    quarta-feira, 11 de setembro de 2013 – 8:12 hs

    Não conheço o Fritz.
    Fiquei curioso mesmo é em saber porque foi cassado o registro dele !
    Agora impedir que pessoas marquem uma hora com ele, para bater um papo, uma troca de ideias! Será que dá para proibir isso?
    Então teríamos que impedir as cartomantes, sortistas, tarólogos, etc…
    Imagino que ele deve colocar um aviso na sua porta, informando que ele não atende ninguém como psicólogo.
    Até onde vai o poder de polícia nesse caso?

  2. quarta-feira, 11 de setembro de 2013 – 9:32 hs

    O CFP, pelo visto, instituiu a perseguição anticristã como uma obrigação científica. O CFP adotou a ideologia anticristã e lhe dá roupagem científica. É a loucura obrigatória do psicólogo.

  3. anytonia marciano
    quarta-feira, 11 de setembro de 2013 – 16:56 hs

    isso que dá se meter com lalandro travestido em “curador”…

  4. Viviane
    quinta-feira, 24 de abril de 2014 – 2:13 hs

    Até quando vai a ira de uma mulher mal-amada? Pare de perseguir este homem, sra. CCB, ele já penou demais!

  5. silvana
    sexta-feira, 19 de maio de 2017 – 13:07 hs

    Tambem gostaria de saber qual foi a infração do psicólogo citado.

  6. Karinol
    quarta-feira, 20 de junho de 2018 – 16:18 hs

    ABSURRRRDO! EM 2018 NÃO TEM O FINAL DA CASSAÇÃO DESSA PESTE??? SAFADINHO

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*