Marta Suplicy libera Lei Rouanet para desfile de roupas na França | Fábio Campana

Marta Suplicy libera
Lei Rouanet para desfile de roupas na França

Desfile de Pedro Lourenço apresentado em Paris em 2012.

Da Folha de S.Paulo:

Os cofres públicos do país deverão bancar a realização de dois desfiles na França.

Graças a uma intervenção da ministra da Cultura, Marta Suplicy, o estilista Pedro Lourenço poderá captar R$ 2,8 milhões via Lei Rouanet para mostrar suas criações na semana de moda de Paris em outubro e em março de 2014. A lei é um mecanismo de fomento à cultura por meio de isenção tributária.

A iniciativa de dar um empurrão na moda brasileira via renúncia fiscal é polêmica. Tanto que esse plano vinha sendo discutido em Brasília desde junho. E, mesmo descrito como “mostra” de “artefatos artísticos” no texto ao governo, o projeto não passou na avaliação da Comissão Nacional de Incentivo à Cultura (Cnic), que decide quem pode captar via Lei Rouanet.

Apresentado em junho, o projeto entrou em discussão e foi retirado da pauta. Após idas e vindas para avaliação voltou à plenária no último dia 7, quando a Cnic decidiu pelo seu indeferimento.

Sete conselheiros votaram contra o projeto e sete se abstiveram. No dia 12, a empresa que propôs o incentivo aos desfiles recorreu da decisão. Dois dias depois, a ministra reverteu a decisão da comissão e aprovou o projeto.

“A quem interessa esse projeto? Ao estilista. Por que colocar recursos públicos? O usufruto desse recurso vai ficar restrito a essa empresa”, disse o secretário de Cultura de Alagoas, Osvaldo Viégas, ouvinte presente à reunião.

MAIS INOVADOR

“No meu desfile, as pessoas terão acesso à cultura brasileira por meio de uma moda surpreendente, trazendo ainda a arquitetura jovem do país para criar um espaço diferente e vão conhecer o que há de mais inovador nestes setores”, disse em seu favor Pedro Lourenço -que usou Niemeyer como referência em coleção recente, daí a menção à arquitetura.

A medida da ministra, que seria publicada hoje no “Diário Oficial”, desagradou membros da Cnic. Dois deles, ouvidos sob a condição de anonimato, disseram que ela não deveria ter passado por cima de decisão coletiva.

Já Carlos Trevi, do Santander Cultural e membro da comissão, não se disse surpreso: “É prerrogativa da ministra. E o projeto é bem formatado, redondo, sem problema”, afirmou ele, que se absteve de votar por “questão técnica”, segundo disse.

A empresária Adriana Semola, que analisa projetos ligados à moda para a Cnic, faz coro: “A ministra está protegida legalmente e a aprovação vai beneficiar toda a cadeia da moda”. No entanto, Semola afirma que muitos projetos de moda mais baratos e “tão importantes para a cultura quanto esse de Pedro” não conseguem captar recursos.

Conforme a Folha apurou, a comissão rejeitou o projeto pelo fato de não deixar claro como democratizar o acesso da população ao desfile e por haver dúvidas em relação ao custo-benefício. O público para cada desfile é de 300 pessoas. Membros da comissão consideraram alto o valor de R$ 4.700 que resultaria da divisão entre o dinheiro captado e o número de espectadores.

Marta Suplicy não quis comentar as críticas. Em nota, justificou sua decisão citando o “soft power”, conceito que propõe fortalecer a imagem do país no exterior a partir de bens imateriais: “O Brasil luta há muito tempo para se introduzir e ter uma imagem forte na moda internacional. Essa oportunidade tem como consequência o incremento das confecções e gera empregos. E é um extraordinário ‘soft power’ no imaginário de um Brasil glamouroso e atraente”.

Para o estilista Cassio Bomfim, ex-membro do Colegiado Setorial de Moda do ministério, o governo “não deveria apoiar projetos relacionados ao mercado de moda e não à cultura”.

A empresa que apresentou o projeto dos desfiles de Pedro Lourenço é de Disney Rezende, produtora que atua como consultora do ministério no setor de moda. Segundo ela, não há conflito de interesse. “Não há problema algum nisso. Qualquer um pode propor. A lei garante desenvolvimento cultural considerando as diferentes linguagens artísticas”, disse.


11 comentários

  1. claudio roberto xavier
    quinta-feira, 22 de agosto de 2013 – 13:46 hs

    Um absurdo………..

  2. Mercury
    quinta-feira, 22 de agosto de 2013 – 15:07 hs

    Esta mulher só faz picaretagem .

  3. Mané do sudoeste
    quinta-feira, 22 de agosto de 2013 – 15:39 hs

    Fornecendo ração para porco gordo. Uma grana fantástica dessa para um grifeiro, ganhar dinheiro lá no exterior. Esta é a política social da Emérita Ministra bonitona,mas…….Marta Suplicy. Essa menina trabalha fazendo política social.

  4. antonio carlos
    quinta-feira, 22 de agosto de 2013 – 15:48 hs

    Que beleza, a ministra está crente de que estamos nadando em dinheiro. E que pode torrar esta grana financiando desfile de moda em Paris, que chique hein? Quem assistir aos desfiles e acredita que aqui em Pindorama estamos rasgando dinheiro, temos escolas, hospitais e segurança pública no padrão Fifa. E esta louca vai ser mandada embora pela companheira presidanta? É difícil, pois não concorre a nada, aí pode continuar a torrar a nossa grana impunemente. E de mais a mais é apadrinhada do Vendedor de Ilusões, então está segura no carguinho.

  5. claudia bonfiglioli
    quinta-feira, 22 de agosto de 2013 – 17:52 hs

    Esta senhora Marta Suplicy, quando prefeita de São Paulo demonstrou o quanto é preocupada com o desenvolvimento deste país. Mas liberar recursos do Governo para fazer 2 desfiles de moda na França é lamentável! Entendo que só é bom para os que estão envolvidos diretamente. Lamentável! Que horror! Tchau Brasil!!!
    Au Revoir!!!!

  6. Jorge Hardt Filho
    quinta-feira, 22 de agosto de 2013 – 21:46 hs

    A madame “rides again”
    Porque mantém o sobrenome do ex-marido? pra ser mais socialite?

  7. PIMENTA PURA !!!
    sexta-feira, 23 de agosto de 2013 – 4:12 hs

    Ministra do padrão Dilma. Ministra da Cultura de quê !?
    Governo perdido.

  8. Parreiras Rodrigues
    sexta-feira, 23 de agosto de 2013 – 8:52 hs

    Dias atrás, inaugurou monumento de homenagem ao funk. Uma leira de mulheres com as respectivas bundas à mostra. Em bronze. Quatro milhões de reais.

  9. Tisa Kastrup
    sexta-feira, 23 de agosto de 2013 – 10:36 hs

    Nada mais demodê do que o petê!

  10. sexta-feira, 23 de agosto de 2013 – 10:40 hs

    Realmente é um absurdo!
    É revoltante!

    O valor aprovado para o desfile, o modo como Dona Marta “passou por cima” do Cnic, o número de pessoas que assistirão ao desfile e os argumentos míopes dela.
    Não há exclamações suficientes pra exemplificar tamanho absurdo!

    Vergonha!

  11. JUCA51
    sábado, 24 de agosto de 2013 – 18:00 hs

    Gente essa senhora eh louca!
    Como pode ser isso eu nao acredito.
    Eh um absurdo!
    Gente, Ministerio Publico, justica, poderosos desse pais internem essa senhora em uma clinica para pessoas sem norte!
    Eu nao acredito o povo passa fome e nossos impostos pagam vaidades em Paris!
    Eu nao acredito nisso tia Dilma!

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*