Commodities cubanas | Fábio Campana

Commodities cubanas

Por Mary Zaidan

Acabam de desembarcar no Brasil os primeiros médicos estrangeiros do polêmico Mais Médicos, carro-chefe da campanha eleitoral do ministro da Saúde, Alexandre Padilha, ao governo do Estado de São Paulo, que nem se preocupa em esconder isso. Até foi ao aeroporto receber quatro deles, sendo dois brasileiros formados lá fora, que apostam na chance de exercer a profissão na terra natal sem o Revalida, teste que no ano passado aprovou apenas 7,5% dos brasileiros com diploma estrangeiro.

Mais do que ninguém, Padilha sabe que a precariedade do atendimento à saúde não reside no médico e que pouco adiantará multiplicar jalecos brancos sem infraestrutura. Mas como luta contra o tempo para dar cara à sua gestão, tenta, a cada dia, costurar um discurso novo para remendar os furos de um programa parido às pressas para lhe garantir palanque.

Em menos de dois meses, criou a extensão do curso de medicina para oito anos, os dois últimos no SUS, e recuou; anunciou que contrataria seis mil médicos cubanos, desistiu e desistiu da desistência. Para tal, assinou o mais rápido acordo bilateral de que se tem notícia na história, permitindo que 400 médicos cubanos cheguem já nesta semana, quatro mil no total.

Exportar médicos é um negócio extremamente lucrativo para Cuba. Dados da BBC mostram que os médicos-commodities rendem algo em torno de U$ 5 bilhões ao ano à ilha. Hoje, há contratos de exportação para mais de 60 países. O maior e mais lucrativo deles, com a Venezuela, rende 100 mil barris de petróleo/dia.

Por aqui, o Ministério da Saúde informa que repassará R$ 511 milhões à Organização Pan-Americana de Saúde (Opas) até fevereiro de 2014, e que caberá à entidade pagar ao governo cubano. Ou seja, aplica-se o modelo bolivariano: o contrato é com o governo Raúl Castro e não com os profissionais, tratados como mercadoria.

É no acordo via Opas que o governo sustenta a legalidade de os médicos não receberem diretamente suas remunerações. Só não alardeiam que o representante da Opas no Brasil é Joaquin Molina, odontólogo cubano. Talvez isso explique a celeridade do acordo.

Há outras janelas. De 2006 para cá, mais de 500 estudantes brasileiros foram admitidos nas faculdades de medicina de Cuba a partir de seleção que teria como critério militância em movimentos sociais ou indicação partidária. Resta saber se trazê-los de volta fez parte do veloz acordo.

Quanto aos cubanos, o advogado-geral da União, Luís Inácio Adams, já avisou que o Brasil não concederá asilo a importado algum. Não reconhece que Cuba obriga a exportação, com represálias aos que a ela se negam.

Para o governo Dilma Rousseff, Cuba é aqui.

Mary Zaidan é jornalista. Trabalhou nos jornais O Globo e O Estado de S. Paulo, em Brasília. Foi assessora de imprensa do governador Mario Covas em duas campanhas e ao longo de todo o seu período no Palácio dos Bandeirantes. Há cinco anos coordena o atendimento da área pública da agência ‘Lu Fernandes Comunicação e Imprensa’. Escreve aqui aos domingos. @maryzaidan


14 comentários

  1. VISIONÁRIO
    domingo, 25 de agosto de 2013 – 16:31 hs

    Com certeza este governo vai ter o troco nas urnas do ano que vem.
    Ninguem é tão burro como Dilma e Padilha para enfiar tal barbaridade
    goela abaixo dos médicos !!!

  2. Pedro Rocha
    domingo, 25 de agosto de 2013 – 17:49 hs

    Essa monumental estupidez petista, pode ser o Waterloo de Dilma, Lulla, e sua corja. O bando está sem direção, sem norte e sem liderança, pois todos seus líderes naturais, a exemplo do próprio lulla, estão escondidos; da imprensa, ou correndo da polícia.
    O povo brasileiro está de saco cheio de assinar atestado de burro; de ser ludibriado, enganado por essa gente que se apossou do poder, e dele fazem, aquilo que melhor sabem fazer: cagada!

  3. OCIMAR
    domingo, 25 de agosto de 2013 – 18:01 hs

    EU ME RECUSO A SER ATENDIDO POR ESSES TERRORISTAS.

  4. SOBIERAY
    domingo, 25 de agosto de 2013 – 18:22 hs

    A “OPAS”DO FIDEL E CHAVES, NA TENTATIVA IMPLANTAR O BOLIVARIANÍSMO NA AMÉRICA LATINA, ESTÁ USANDO AS FAMÍLIAS DOS 4000 MÉDICOS CUBANOS COMO REFÉNS, PARA EVITAR A FULGA EM MASSA DO REGIME CUBANO, COM PEDIDOS DE ASILO POLÍTICO NO BRASIL. UM REGIME CAUDILHO AJUDANDO OUTRO, O DO BRASIL, QUE GOVERNA COM MEDIDAS PROVISÓRIAS COMO ESTÁ QUE TROUXE OS MÉDICOS CUBANOS PARA O BRASIL, E PARA O EXERCÍCIO ILEGAL DA MEDICINA.
    FORA PT. FORA DILMA.

  5. Parreiras Rodrigues
    domingo, 25 de agosto de 2013 – 19:09 hs

    O Poder cega.
    Cega a ponto de ignorar a situação dos médicos militantes cubanos diante das dificuldades que lhes advirão para diagnosticar sem o equipamento necessário e a obrigação de receitar o que tem nas prateleiras dos postinhos, isto é, nada.
    Mas aos sequiosos do Poder não interessa a qualidade dos serviços a serem prestados.
    Interessa sim, alardear nos palanques “a contratação de milhares de médicos para atender a sofrida população brasileira desdenhada pelos profissionais que preferem o conforto e o lucro que lhes proporcionam as grandes capitais”.
    Interessa ainda, dar sequência aos planos estabelecidos no Foro de São Paulo, um dos quais, a injeção de milhões de reais para sustentar o comunismo cubano, uma das premissas lulocastristas para a recuperação aqui, do espaço perdido no Leste Europeu.
    Como já foi feito com a Bolívia quando Evo Morales estatizou duas refinarias da Petrobrás e mesmo assim, Lula ainda emprestou 332 milhões de dólares para Morales construir uma rodovia. Também com o Paraguai, Fernando Lugo membro do Foro de São Paulo. Dilma triplicou a taxa anual paga pelo Brasil pela energia não usada de Itaipu. Gleisi Hoffmann, senadora, foi a relatora e defensora da alteração. Tudo isso tá bem descrito no artigo da terceira página da GP deste domingo, assinado pelo sociólogo Sílvio Grimaldo de Camargo.

  6. Palpiteiro
    domingo, 25 de agosto de 2013 – 19:39 hs

    Enquanto a saúde pública – que é tão indispensável, ou até mais, que o judiciário, o ministério público, a diplomacia, etc – não for estruturado em uma carreira de estado, com começo, meio e fim, com salários dignos e semelhantes às outras carreiras de estado como o MP, juízes, diplomatas, auditores fiscais da fazenda, delegados, etc, e disponham da mesma infraestrutura material que estas dispõem, não adianta nada, nada trazer estes infelizes cubanos ou outros alienígenas. A saúde pública precisa de carreira, bons salários, hospitais decentes e modernos, estrutura material decente. O resto é conversa de lulopetista que não engana mais ninguém.

  7. A A CASAGRANDE
    domingo, 25 de agosto de 2013 – 19:47 hs

    BRASIL UM PAÍS DE TODOS , MENOS DOS BRASILEIROS

  8. JC PITANGA
    domingo, 25 de agosto de 2013 – 20:32 hs

    É brincadeira o jeito do PT governar uma verdadeira vergonha.

  9. Gilmar
    domingo, 25 de agosto de 2013 – 20:54 hs

    O que é pior? Ser atendido pelos profissionais cubanos ou continuar sem assistência alguma?

  10. Roque Alves
    domingo, 25 de agosto de 2013 – 22:47 hs

    A Descentralização do Sistema Público de Saúde. O Sistema Nacional de Saúde no Brasil não funciona. O sistema de saúde tem de ser organizado pelos municípios brasileiros. O governo federal tem de entender que ninguém é assistido pela União. O paciente urge ser atendido em seu domicílio municipal. Ninguém mora num Estado, tampouco na União. Todo mundo mora no território dum município.
    Os municípios brasileiros terão que conquistar soberania tributária para organizarem seus sistemas públicos de Saúde.
    Enquanto permanecer esses subversivos e inconfidentes sistemas de centralização nacional de saúde e de educação, o povo brasileiro estará fadado à indigência cultural e política.

  11. indio do brasil araujo
    segunda-feira, 26 de agosto de 2013 – 6:23 hs

    estão chegando os cabos eleitorais do PT pagos com o dinheiro do povo.Sai do cobertor Lula.

  12. Paulo Licursi
    segunda-feira, 26 de agosto de 2013 – 8:25 hs

    Muito interessante!!!!….Médico Brasileiro com diploma estrangeiro precisa passar pelo REVALIDA….médico estrangeiro que vem para o Brasil não precisa passar pelo REVALIDA???….EU SÓ QUERIA ENTENDER

  13. SOMBRA
    segunda-feira, 26 de agosto de 2013 – 9:49 hs

    Mais uma vez os medicos brasileiros ficam jogados.

  14. Gardel
    segunda-feira, 26 de agosto de 2013 – 15:11 hs

    Os zumbis dos irmãos Castro desembarca no Brasil, são vitimas indefesas do comunismo cubano.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*