Policiais presos por tortura no Caso Tayná começam a prestar depoimento | Fábio Campana

Policiais presos por tortura no Caso Tayná começam a prestar depoimento

De Elizangela Jubanski e Bruno Henrique, Banda B:

Os 15 policiais e guardas militares que estão presos por suspeita de tortura contra as acusados de matar a garota Tayná Adriane da Silva, 14 anos, começaram a ser ouvidos na manhã desta sexta-feira (26). Eles estão presos há uma semana sob a acusação de terem torturados os suspeitos para confessarem o crime contra a garota.

Três investigadores da Delegacia do Alto Maracanã, em Colombo, na região metropolitana de Curitiba, que estão detidos na Delegacia de Furtos e Roubos de Veículos (DFRV), em Curitiba, foram às 10 horas levados ao Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado (Gaeco) para prestar depoimento.

De acordo com informações apuradas pela Banda B, todos os detidos serão ouvidos no decorrer do dia.

Entre as prisões decretadas está o delegado Silvan Rodney Pereira, da Delegacia do Alto Maracanã. Também, um preso de confiança da delegacia de Araucária e também um agente carcerário.

O coordenador do Gaeco, Leonir Batisti, na semana passada, explicou o pedido de prisão preventiva e garantiu ter provas suficientes sobre as torturas citadas pelos acusados. “Foram expedidos 14 mandados de prisão e foram deferidos 6 mandados de afastamento de função. Desse 14, 10 são contra policiais civis. As 4 outras pessoas, entre elas um militar e um guarda, já foram recolhidos pelo Gaeco, com os comandos da Polícia Militar. Nós temos provas periciais de que houve tortura”, finalizou.


9 comentários

  1. justino bonifacio martins
    sexta-feira, 26 de julho de 2013 – 14:03 hs

    Será que eles vão divulgar o nome do assassino que está sendo protegido até agora?

  2. gilsinho mauri
    sexta-feira, 26 de julho de 2013 – 21:30 hs

    Doravante os promotores devem permanecer nas delegacias ao lado dos policiais para não fazerem interpretaçoes volúveis, pois todos sabem que os presos violentaram os meninos; ao invés de descobrir o/os assassinos desviam a opinião pública e a midia contra a policia. Isso desestimula o trabalho policial que permite a um preso ato de violencia contra o policial que não poderá revidar.

  3. Patricia
    sexta-feira, 26 de julho de 2013 – 23:35 hs

    mAIS UMA VEZ UM ABSURDO. BANDIDOS SOLTOS E A POLICIA PRESA. PAIS DA INJUSTIÇA.

  4. Gardel
    sábado, 27 de julho de 2013 – 10:27 hs

    Todos sambem que torturadores são fracos, incapazes, covardes com severos distúrbios mentais. Bastaria fazer com eles, 10% do que fizeram com os meninos para confessarem.

  5. Black
    sábado, 27 de julho de 2013 – 14:32 hs

    O Gaeco, versão xiita do poder autônomo, não representa o Ministério Público que conheço. O apreço pelos holofotes da mídia desvirtua o órgão que deveria prezar pela verdade acima de tudo. Que aqueles suspeitos são os culpados pela morte da menina eu não tenho dúvidas, mas se eles foram torturados para confessar é uma indagação que a Justiça terá que responder, afinal, nenhuma prova nos foi apresentada. A tortura comprovada até agora ocorreu em outra delegacia, depois da confissão. Há um vídeo em que um dos suspeitos confessa detalhadamente, sem coação. Muitas pessoas que tiveram contato com os suspeitos no dia da prisão atestam que não viram nenhuma lesão. Hoje, algumas lesões são visíveis. O que me parece um exagero, neste caso, é a prisão preventiva dos policiais, que ao meu entender é ilegal. Que a justiça seja feita, e será.

  6. sherloque gomes
    sábado, 27 de julho de 2013 – 16:10 hs

    É uma verdadeira inversao do ônus da prova: através de uma atitude transloucada dos Senhores Feudais do GAECO, os policiais foram presos, diante de um total desvio de objetivo e passando por cima de qq. norma legal a respeito da Prisão Preventiva: estavam presentes os requisitos que determinam essa medida segregadora da liberdade individual? “Esquecem” os Senhores Feudais que os policiais são funcionários do serviço Público, endereço certo e com certeza não fugiriam do distrito da culpa (culpa em tese), alias, isso é resultado da votação “vitoriosa” da famosa PEC 37, onde, através de verdadeiro trabalho divulgatório na midia (gastaram muito com propaganda) passaram a falsa informação de que o MP seria impedido de investigar, só leigo acreditou nesta Estória!!!!!! Mas isso é passado, o que importa e o momento e o futuro; a continuar assim nao sei onde eles irão parar!!!!! A propósito: os “membros” do GAECO, acusados de tortura a alguns dias atrás foram sumariamente “absolvidos” pelo próprio MP!!! Essa não é uma verdadeira “piada de caserna”? Outra pergunta: quem vai responsabilizar o MP por abusos cometidos? A faca deve servir para cortar em qq. carne!!!!!!!! Liberdade já aos Policiais Civis, e caso haja prova cabal suficiente para condenação, os rigores da Lei para eles, mas antes que a Justiça prevaleça!!!! ADSUMUS!

  7. Zezão
    sábado, 27 de julho de 2013 – 19:34 hs

    Como estão ridículas as tentativas da polícia que não sabe investigar negar sua incompetência na gestão do caso Tayná. Eles repetem tanto alguns mantras como “polícia presa e bandido solto”, será que acham que suas atitudes estão acima da lei? Será que vão querer insistir em dizer pra população que É NORMAL ter “preso de confiança” liberado pra torturar custodiados (se são custodiados, são responsabilidade do agente público)? Agora vão ficar nessa de que os presos não são sua responsabilidade? Ora, a partir do momento em que eles recebem este preso, são sim! Se estivessem realmente preocupados com essa demanda das cadeias, já tinham tomado atitude e ido se manifestar para as autoridades, mas não, é mais fácil fechar os olhos para o que acontece com os favelados e miseráveis sob sua custória né? É mais fácil concluir inquérito ignorando pareceres científicos, como exames de dna, né? ?Eles acham que a palavra deles dispensa prova e investigação? Achismo é a nova ordem agora? Eles realmente acham que essa lenga lenga vai convencer alguém? Eles não investigaram nada, eles foram atrás de dar satisfação pra mídia e por isso pegaram os primeiros pé de chinelo que viram na frente. Somente agora o caso está sendo investigado com seriedade.

  8. sherloque gomes
    domingo, 28 de julho de 2013 – 0:02 hs

    Tai uma grande oportunidade dos Senhores Feudais (leia-se Promotores de Justiça) demonstrar sua capacidade “investigativa” (não lutaram desesperadamente para ter Poder da Insvestigação?), então que saiam a campo e mostrem que realmente são os verdadeiros CSI do Brasil, começa aqui pelo Paraná e num caso de grande repercusão; é facil “escolher” no que “trabalhar” para que saiam de mocinhos na Mídia, quero ver encarar uma Delegacia cheia de problemas (presos da Justiça, onde os Investigadores passam a cuidar de presos que deveriam estar no Sistema Penitenciário, levar marmitex para os “meninos”, levar escarrada na cara e reclamaçoes de todo o tipo, tendo que “administrar” peninos que são jogado no colo dos tiras) e ai saia a captura de informações, muitas vezes de forma a arriscar sua carreira, senão nada acontece, pena que a Sociedade não é informada da verdade!!! ADSUMUS!

  9. Zezão
    domingo, 28 de julho de 2013 – 2:54 hs

    Ô Black… ou você é ingênuo, ou acha que todo mundo é mané. Se apanha antes da confissão “oficial” e filmada, meu caro, não durante, por razões óbvias. Colega, o cara tava até de cabelo molhado, ahahahahaha. O que você acha que isso significa?

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*