PMDB faz plebiscito para decidir sobre apoio federal | Fábio Campana

PMDB faz plebiscito para decidir sobre apoio federal

Da Folha de S.Paulo:

O PMDB quer manter a aliança com a presidente Dilma Rousseff em 2014? Para responder a essa pergunta, o principal aliado do governo decidiu realizar um “plebiscito” com deputados, senadores e presidentes de diretórios regionais da legenda.

A primeira etapa com os deputados transformou o gabinete do vice-presidente Michel Temer nos últimos dias numa espécie de confessionário. A dinâmica foi a mesma: um a um, os deputados tiveram uma conversa preliminar com Temer e depois responderam a um questionário aplicado por Eliseu Padilha, presidente da Fundação Ulysses Guimarães.

Foram ouvidos mais de 60 dos 80 deputados e as conversas devem ser retomadas em agosto, na volta do recesso parlamentar.
A decisão de fazer a pesquisa foi tomada diante das crescentes reclamações contra o Planalto e os protestos nas ruas no mês passado. A intenção é montar uma radiografia sobre como o partido vê o atual cenário político e que rumo seguir. São 25 perguntas sobre três temas: a situação do partido no Estado para as eleições de 2014; a relação com o governo federal e as manifestações de junho.

“A maioria quer continuar com a aliança, mas diz que quer ser efetivamente aliado, quer ter participação igual ao PT”, disse Padilha. “O parlamentar quer mais atenção do governo, quer mais participação porque quer o prestígio de entregar uma obra, mostrar seu trabalho. Quer o ônus e o bônus”, completou.

Padilha diz que que, quando for concluída, a enquete será levada a Dilma pelo vice-presidente.

No primeiro semestre, a relação do Planalto com o PMDB na Câmara foi instável e piorou depois que as pesquisas mostraram desgaste na popularidade de Dilma com as manifestações de junho. Líderes do partido se valem da fragilidade para exigir mais espaço no governo e há ainda quem defenda de forma mais discreta a “volta Lula”.

EMBATES
No Congresso, os embates mais fortes foram a Medida Provisória dos Portos, o enterro do plebiscito sobre uma reforma política e o apoio para a criação de uma CPI para investigar a Petrobras.

Em entrevista à Folha, o presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), defendeu a redução do número de ministérios, de 39 para 25. A ministra Ideli Salvatti (Relações Institucionais) disse que não há possibilidade de isso ser feito.

Para o segundo semestre, governo e PMDB já têm pelo menos dois duelos marcados: a votação do projeto que torna obrigatório o pagamento de emendas parlamentares apresentadas ao Orçamento e a derrubada de vetos presidenciais.


7 comentários

  1. tadeu rocha
    terça-feira, 23 de julho de 2013 – 9:47 hs

    é uma pena que vice presidente,,,,,,,TEMER PENÇE ASSIM…EU ACHA RUIM PARA PMDB COM CERTEZA…

  2. Mr.Scrooge
    terça-feira, 23 de julho de 2013 – 12:19 hs

    E para quê isto, tudo mundo sabe que o velho de guerra não larga boquinha em nenhum lugar. Mesmo com o risco da presidanta perder o lugar, o Betinho ser mandado para casa, assim mesmo o risco de ser oposição nunca passou pela cabeça do pessoal largar a boquinhas. Vou morrer e não vou ver isto acontecer.

  3. luiz
    terça-feira, 23 de julho de 2013 – 14:29 hs

    Guerra nos bastidores!
    O PMDB irá apear do tordilho só porque a Dilma quer dar ao eleitor o poder de tomar o mandato do político canalha.
    Também pudera, cortar a própria carne não pode passar da lorota!
    Tá querendo acabar com a alegria dos honoráveis políticos.

  4. ivan
    terça-feira, 23 de julho de 2013 – 15:40 hs

    . Se o PMDB ñ aliar-se à PresidANTA , QUE VAI FAZER, PERGUNTO ????

    . Partido sem identidade, portanto , sem credibilidade será , de vez , jogado as traças ….

    . Vejam vcs aki no Paraná o que restou do … do velho cansado de guerra ….

  5. LUÍS SANTOS
    terça-feira, 23 de julho de 2013 – 16:19 hs

    BOA TARDE CAMPANA!

    Todos que acompanham este conceituado blog e entendem o mínimo de política JÁ CONHECE o resultado do suposto plebiscito do PMDB (Partido Monitorado por Demagogos & Barganhadores) e suas respectivas alternativas:
    01 – Continuarão no poder!
    02 – Se até as convenções em junho/2014, a Dilma estiver oscilando em menos de 20%; ELES APOIARÃO o Aécio Neves e/ou Marina Silva!
    03 – Entretanto, se o PT substituir a Dilma pelo Lula, ELES APOIARÃO o ex-presidente Lula!
    Candidatura própria? JAMAIS os seguidores do “PMDeiBem” aceitarão!

  6. Mané do sudoeste
    terça-feira, 23 de julho de 2013 – 16:43 hs

    Fazer plebiscito para o quê. Todo mundo sabe, que quem vai decidir são meia dúzia do Diretório Nacional,que não podem perder suas tetas.Conversa para boi dormir.

  7. Silva
    terça-feira, 23 de julho de 2013 – 23:54 hs

    Ratos querendo abandonar o barco que esta afundando !

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*