"Martelo do plebiscito é do Congresso", diz Cardozo | Fábio Campana

“Martelo do plebiscito
é do Congresso”, diz Cardozo


Do UOL

O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, convocou jornalistas no final da tarde desta quinta-feira (4) para esclarecer e desmentir as declarações do vice-presidente da República, Michel Temer (PMDB), que mais cedo havia admitido que o plebiscito de reforma política proposto por Dilma Rousseff (PT) não sairá a tempo de valer para as eleições do ano que vem. “O governo não mudou de posição em nenhum momento”, afirmou o ministro. Ele disse ainda que “o governo não não pode bater o martelo sobre o plebiscito porque o martelo é do Congresso”.

Pouco antes, Temer divulgou um comunicado em que recuava de suas declarações e afinava posição com o discurso de Cardozo.

“A nossa posição é que queremos o processo de elaboração do plebiscito ocorra o quanto antes, preferencialmente a tempo de valer para as eleições de 2014”, disse o ministro.

De acordo com Cardozo, o que o vice-presidente expressou mais cedo foi a opinião de alguns líderes da base governista no Congresso, de que não há tempo hábil de realizar o plebiscito antes de outubro, prazo máximo para que ele pudesse valer já para as eleições do ano que vem.

“Nós queremos que saia antes, mas eles que definirão os prazos regimentais necessários para conduzir este processo”, afirmou. De acordo com Cardozo, é unanimidade entre os líderes na base aliada na Câmara que o plebiscito vai ocorrer.

Não é de hoje que se discute a implantação de uma reforma política no Brasil. Há pelo menos 25 anos, políticos da base e de oposição falam de sua necessidade, mas ela não é tocada adiante. A reforma política envolveria uma séria de mudanças na configuração política e social do país. Mas por que ela ainda não saiu do papel nesse tempo todo? Entenda nas imagens a seguir Leia mais Arte/UOL

O ministro da Justiça disse que o governo não trabalha com a possibilidade do Congresso realizar uma reforma política e depois consultar a população via referendo.

“Não pensamos nisso, nós sugerimos um plebiscito. Agora, a decisão é soberana do Congresso Nacional. Se decidirem por um referendo teremos que aceitar, mas não contamos com isso”, disse Cardozo.

“Não é nossa a decisão sobre nada neste processo. O governo fez uma sugestão, e o que o Congresso Nacional decidir vai ser respeitado”, disse Cardozo. Ele ainda afirmou que o governo nunca entrou na questão da definição da data, e quando surgiu a proposta, o TSE (Tribunal Superior Eleitoral) ainda não havia emitido parecer informando que precisava de ao menos 70 dias para preparar um plebiscito.

Cardozo afirmou ainda que quem definirá os temas do possível plebiscito são os parlamentares e que, de novo, o governo apenas fez sugestões. “É evidente que existem dificuldades de calendário, mas o deial é que elas sejam superadas a tempo das eleições de 2014.”


6 comentários

  1. Sergio R.
    sexta-feira, 5 de julho de 2013 – 1:10 hs

    Transformaram o plebiscito em 20 centavos.

  2. VISIONÁRIO
    sexta-feira, 5 de julho de 2013 – 6:23 hs

    Dois “goiabas” no poder… É importante combinarem o que falam
    antes para não causar este mal estar. Leiam antes a cartilha do bom
    enganador !!!

  3. Vigilante do Portão
    sexta-feira, 5 de julho de 2013 – 7:56 hs

    Seguindo o conselho do Marqueteiro,
    O Problema do Plebiscito é do CONGRESSO.

    Não deu certo?

    A CULPA é dos PARLAMENTARES.

    Deu certo?

    A idéia foi da Dilma.

    Foi PATÉTICO.

    Temer e o Ministro da Justiça (não sei o nome) anunciando que NÃO DÁ PARA FAZER PLEBISCITO.

    Horas depois,
    Os dois, com a maior cara de pau, dizendo que é possível…

  4. Parreiras Rodrigues
    sexta-feira, 5 de julho de 2013 – 8:20 hs

    Dona Dilma e esses caras aí, são moucos e vesgos.
    Não conseguiram ler as placas e faixas, nem ouvir as vozes das ruas.
    Ou então, onde estava escrito: Saúde, Educação, Transporte Público, Segurança, Abaixo à Corrupção, leram: Plebiscito.
    Jaca, um biscateiro aqui do meu bairro, me perguntou: Véio, isso é prá comê?
    Apesar de todas as manifestações, continuam gozando com a cara da gente!

  5. Pedreira
    sexta-feira, 5 de julho de 2013 – 10:12 hs

    Esse ministro já cumpriu a Lei com referencia a condenação do criminoso Cesare Batisti ? Tal criminoso, que vive sem preocupações na Banânia, foi condenado por ter utilizado documentos falsos quando de seu ingresso clandestino no Brasil. A sentença condenatória de primeiro grau foi confirmada pelo STJ e transitou em julgado. É réu confesso, e por ter cometido crime no País deve ser expulso, uma vez que já cumpriu sua “pena”. O ministro da justiça (?) já foi comunicado, e flui o prazo para que cumpra a Lei. Mais um motivo para os movimentos sociais atuais saírem às ruas em protesto, pois o membro do Foro de São Paulo e do partido que (des)governa o país não parece disposto a cumprir o que prescreve a Lei.

  6. Mr.Scrooge
    sexta-feira, 5 de julho de 2013 – 12:02 hs

    Então estamos combinados, não é mesmo ministro garboso. É para começar o serviço que dia mesmo ministro?

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*