Justiça nega salvo-conduto a protesto ateu | Fábio Campana

Justiça nega salvo-conduto a protesto ateu

Cartaz que a Atea provavelmente levaria ao evento.

Do Lauro Jardim:

Foi negado ontem à noite pela Justiça do Rio de Janeiro um pedido de salvo-conduto para garantir o direito de manifestação de associação de ateus, – a Atea, Associação Brasileira de Ateus e Agnósticos – durante a Jornada Mundial da Juventude. Ou seja, os integrantes da Atea queria uma liminar que lhes garantisse o direito de portar, por exemplo, cartazes contra o catolicismo, por exemplo, sem correr o risco de prisão pelas Forças de Segurança.

Na petição, representantes da Atea argumentaram que o general José Alberto Abreu, comandante da 1a Divisão do Exército e coordenador de defesa de área da JMJ, disse numa entrevista que “quem tentar promover qualquer mobilização no espaço sob o controle das Forças Armadas será convidado a se retirar”.

O desembargador Luciano Rinaldi justificou, assim, a decisão em seu despacho:

– A condição de ateu deve ser respeitada, porquanto a ausência de crença também está inserida no campo da liberdade de orientação religiosa, protegida pelo texto constitucional. Contudo, essa condição não garante, sob qualquer pretexto, o pretenso direito de manifestação nos locais de livre exercício dos cultos religiosos e suas liturgias, que devem ser protegidos pelo estado, conforme determinação constitucional.


9 comentários

  1. Parreiras Rodrigues
    domingo, 21 de julho de 2013 – 17:18 hs

    Com todo o respeito, sugiro aos ateus convidarem o seu dirigente maior pruma visita ao Brasil e promover as suas posições.
    Mania de tumultuar festa alheia.

  2. Thiago Medeiros
    segunda-feira, 22 de julho de 2013 – 0:30 hs

    Bem feito. Cambada de exibicionistas. Pegam carona no evento alheio para aparecerem.

  3. Temente
    segunda-feira, 22 de julho de 2013 – 9:22 hs

    Grande programa de índio da “ateuzada”…ser contra os que crêem…!!! Não são ateus. Lucifer também sabia que Ele existia mas era contra o projeto Dele. Não crer é uma coisa, ser contra é…São coisas distintas. A manifestação raivosa é reveladora. Será tão insuportável ver jovens se reunirem com um velho Padre jesuíta admirador de São Francisco que lavou os pés de moças muçulmanas e que tem entre seus grandes amigos em Buenos Aires um Rabino?

  4. Mr.Scrooge
    segunda-feira, 22 de julho de 2013 – 9:38 hs

    Se emenda mano, você está atrasado, o genocida um dia acreditou em Deus, mas renegou a fé. Deixe de má fé cara, fica feio passar atestado de burrice.

  5. Cabralzinho
    segunda-feira, 22 de julho de 2013 – 10:50 hs

    Se ateu não acredita em Deus, o protesto é contra o que??

  6. cesar - umuarama
    segunda-feira, 22 de julho de 2013 – 11:22 hs

    Gostaria de ver os ateus no juízo final. Com certeza vão dizer aqui que eles abominam nos outros….. “há, eu não sabia”, “ninguém nunca me disse”…etc…etc.
    Fiquem na suas que já esta de bom tamanho.

  7. Alessandro
    segunda-feira, 22 de julho de 2013 – 19:22 hs

    Mas também, o que esperar de um pessoal que se associa para tentar convencer os outros de que algo não existe?
    E cadê a coragem deles quando o Ahmadinejad veio ao Brasil, para falar que Alá não existe?

  8. Giselle
    segunda-feira, 29 de julho de 2013 – 17:56 hs

    Se vcs são ateus, pq tem que atrapalhar algo que não acreditam..acho errado da msm forma se fosse algum católico ou etc… para algum evento de vcs

  9. Giselle
    segunda-feira, 29 de julho de 2013 – 17:57 hs

    E se Religião não defina caráter, a falta dela tb não

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*