As revistas semanais, segundo Ernesto Vargas | Fábio Campana

As revistas semanais, segundo Ernesto Vargas

Enquanto Bento XVI certamente saboreia suculentas uvas verdes e aprecia ótimos e incomparáveis vinhos italianos na reclusão de seu castelo, Francisco corre atras do prejuízo e inicia sua peregrinação mundo afora pelas terras descobertas por Cabral. Veja coloca o desafio do Papa na sua capa em tom de otimismo e reportagem com dezenas de fotos de jovens que acompanharão o religioso pelo Brasil. A diagramação da matéria é digna de um álbum de figurinhas do Campeontato Brasileiro de Futebol. Texto óbvio e pobre. A semanal apenas cumpriu tabela.

Na política o de sempre…que a rainha Dilma erra a mão na condução econômica do pais….que o dinheiro do malandrinho Eike Batista era de mentira…etc e tal ! Mas sobrou de novo para o deputado federal petista André Vargas. Na terceira reportagem “a saga de Vargas e seu assessor xará”, dessa vez o tal André Guimarães promete delatar o ex-chefe e enterrar qualquer pretensão política do influente político paranaense ao Senado ou qualquer outra vaga ao respeitoso legislativo brasileiro. Guimarães criou um site para defenestrar a oposição às custas do dinheiro público, diz Veja ! Só que o texto não conclui nada, muito menos revela qualquer bomba. Tendência ao denuncismo e não ao bom jornalismo.

Jorge Bergoglio virou Papa há poucos meses, mas Época já o alçou à condição de santo. Humano, simples, sincero, fraterno, carismático, ético, solidário – não há limite de adjetivos para descrevê-lo. Exageros à parte, a revista destaca em extensa reportagem a simbologia da mensagem que o pontífice trará ao Brasil num momento em que o país questiona com veemência seus governantes, e mostra como o discurso ameno de Francisco se encaixa como uma luva na necessidade da Igreja Católica de se reaproximar dos fiéis comuns e espantar a concorrência evangélica. A mensagem de simplicidade soa espontânea na boca de Francisco, mas é certamente uma jogada de marketing muito bem planejada pelos cardeais que o elegeram. Destaque também para a entrevista com importante vaticanista alemão que considera Francisco o primeiro papa em 1000 anos a recusar as regalias do cargo e a dizer que a Igreja deve praticar aquilo que prega.

Bem menos santa é a odisseia de denúncias contra tucanos e petistas levantadas pelos grupos de mídia. De um lado, Época resgata as acusações de violação do sigilo fiscal de serristas pela alta cúpula da campanha de Dilma em 2010. Segundo a reportagem, o MPF estranhou o engavetamento das investigações por parte da PF e determinou a reabertura do inquérito para apurar as participações de figurões como o presidente do PT paulista Rui Falcão e do ministro Fernando Pimentel. Tem potencial pra feder. Da outra ponta da trincheira, IstoÉ radicaliza e põe Alckmin, Serra e até o finado Mario Covas para embelezar a capa sobre o “propinoduto” tucano em São Paulo – ou o esquema de manipulação de preços revelado pela Siemens nos contratos de trens e metrôs nos últimos anos. Com base em depoimentos ao MP, a revista detalha o esquema de subcontratações, depósitos em paraísos fiscais e distribuição de propina a “políticos do PSDB” – no caso, os chefes do setor de transportes. Há indícios contundentes de crime, fato, mas nada ainda que justifique a inclusão dos governadores na capa estilo “bomba”. IstoÉ evidencia que a associação prematura entre corrupção e alto poder é prática comum de todas as vertentes da grande mídia, sejam elas ligadas a quais grupos partidários/econômicos forem. Por essas e outras, milhares saíram às ruas contra Deus e o mundo. Menos contra o santo Bergoglio. Amém e boa semana a todos !


Um comentário

  1. Acyr Neto
    segunda-feira, 22 de julho de 2013 – 9:26 hs

    Veja, Dispensável!

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*