Altman afirma que afastamento de réus do "mensalão" é ato de covardia do PT | Fábio Campana

Altman afirma que afastamento de réus do “mensalão” é ato de covardia do PT

O jornalista Breno Altman, diretor editorial do site Opera Mundi e da revista Samuel, considera covardia a decisão da corrente Construindo um Novo Brasil de excluir da relação de candidatos para a direção nacional do PT os nomes de José Dirceu, José Genoino e João Paulo Cunha. “O mínimo que se pode exigir na política é coerência. Se o comando petista considerou o julgamento da ação penal 470 um ato de exceção, a revelia das provas e das normas constitucionais, não passa de covardia o afastamento de dirigentes históricos que foram vítimas dessa eventual fraude jurídica. Um partido não pode temer o combate pelo que acha justo e certo”, argumenta Altman, que vê “bomba de efeito moral” no partido.

Altman prossegue:

“A decisão da corrente “Construindo um Novo Brasil”, principal tendência interna do PT, excluindo José Dirceu, José Genoíno e João Paulo Cunha de sua relação de candidatos para a próxima direção nacional, representa bomba de efeito imoral. De joelhos diante da pressão exercida pela mídia tradicional e os setores conservadores.

Os três réus estão sendo sancionados pelo grupo majoritário antes até que seu processo transite em julgado. A decisão é de rara ignominia. Possivelmente apavorada por pesquisas, a direção dessa corrente capitula diante dos que trataram de manipular fatos e denúncias para desmoralizar o PT. Ilude-se quem considerar que esse gesto pusilânime saciará a fome dos lobos.

A exclusão dos condenados levará sorrisos aos lábios das correntes mais reacionárias e desânimo às fileiras de esquerda. Há mais de quarenta anos, por todas as formas e meios, a direita pátria busca atirar Dirceu e Genoíno ao ostracismo. Representantes de primeira linha da geração que combateu a ditadura e construiu o PT, são levados ao altar do sacrifício por alguns de seus próprios companheiros. Está se abrindo uma página indigna na esquerda brasileira.

Não se trata apenas ou principalmente de uma questão ética. Pior que um crime, é um erro. Não há como o PT fugir de enfrentar a polêmica suscitada pelo chamado “mensalão”, a não ser que seus dirigentes assumam a versão de seus adversários como verdadeira. Até que esta artimanha esteja desmontada junto à opinião pública, dure o tempo que durar, o partido terá que dar batalha contra a narrativa conservadora. E só o fará se tiver postura solidária, altiva e corajosa.

Há quem alegue que os estatutos obrigam o afastamento de quem tenha sido condenado pela Justiça. Mas essa cláusula deveria ter validade para um processo considerado arbitrário e ilegítimo? Além do mais, o parágrafo XII do artigo 231 atribui essa punição para casos de sentença definitiva. Adotada antes de deliberação sobre embargos infringentes e declaratórios, a opção da chapa Construindo um Novo Brasil é ainda mais ultrajante.

Por fim, qual mensagem passa uma corrente que mantém entre seus candidatos uma figura como Paulo Bernardo, alinhado aos monopólios da mídia e empresas de telecomunicações, e afasta José Dirceu, o mais importante dirigente da história do PT? Não é uma ironia que seja preservado personagem que se abraça à direita e sacrificado o principal inimigo do reacionarismo?

Um partido que trilha o caminho da concessão e da genuflexão estará sempre diante do perigo de virar navio-fantasma, desprovido de valores e compromissos que lhe deram vida e lugar na história.”


5 comentários

  1. José Carlos
    sexta-feira, 19 de julho de 2013 – 16:57 hs

    Como diria o Capitão Nascimento -“…Tá com medinho, pede para sair …”. Nessa altura do campeonato o famigerado Partido dos Trabalhadores, que de trabalhador não tem nem um, não pode correr o risco de ser liderado via telefone celular de dentro do presídio, lá o pessoal faz revista e se pegar ferrou.

  2. juscelino
    sexta-feira, 19 de julho de 2013 – 17:28 hs

    esses condenados pelo MENSALÃO, deveriam fundar um novo partido, já que se acham injustiçados pelo PT., pelo menos assim separariam o joio do trigo.

  3. Mariana
    sexta-feira, 19 de julho de 2013 – 23:48 hs

    Certamente este Altman não está em pleno gozo de suas faculdades mentais. Não sei se os Médicos do Brasil aceitariam trata-lo… Mas, manda se tratar em Cuba com os médicos cubanos!

  4. Anônimo
    sábado, 20 de julho de 2013 – 12:01 hs

    Não conheço o dito cujo que escreveu o artigo acima, mas deve precisar de internamento urgente. Se o próprio “DONO DO PT” – LULA pediu desculpas à NAÇÃO pelo gesto impensado de JOSÉ DIRCEU E sua gangue. Para que serve esse descrição descabida? Talvez tenha preguiça de ir visita-los na prisão, aonde foram candidatos e conseguiram se eleger como presidiários, num processo justo com direito ao contraditório. Meteram a mão no dinheiro público e se deram mal. O velho adágio popular ainda está em voga: A JUSTIÇA TARDA MAS NÃO FALHA!

  5. sábado, 20 de julho de 2013 – 21:57 hs

    Não creio que haja mais trigo. Apenas o joio, ou melhor uma legião de joios…….

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*