Veja aqui, quem e como organiza os protestos pela redução das tarifas | Fábio Campana

Veja aqui, quem e como organiza os protestos pela redução das tarifas


De repente, não mais que de repente, explodiu nas grandes cidades do país um movimento de protesto que desgasta governos e catalisa a crescente insatisfação da sociedade com a alta geral de preços (inflação) e o pífio crescimento econômico. Mas quem organiza esse movimento que ganha força e constrange governantes? Ora, pois, nem todo o aparato de informação e controle esperavam por essa. Muito menos avaliou a disposição de luta dessa brava gente brasileira que enfrenta a polícia em condições de absoluta desigualdade.

Fundado em janeiro de 2005 num encontro do Fórum Social Mundial, em Porto Alegre, o MPL (Movimento Passe Livre) declara-se “autônomo, independente e apartidário”. Mas esclarece que não é “antipartidário”. Nem poderia. Ocupa as ruas de cidades como São Paulo e Rio de Janeiro com o apoio de pelo menos três partidos: PSOL, PSTU e PCO.

Versão brasileira do movimento americano Occupy Wall Street e seus congêneres europeus, o MPL conta com o suporte da Conlutas, a central sindical dos movimentos sociais. Sob seu guarda-chuva reúnem-se, por exemplo: MTST (Movimento dos Trabalhadores Sem Teto), MTL (Movimento Terra, Trabalho e Liberdade), Anel (Assembleia Nacional de Estudantes Livre) e MML (Movimento Mulheres em Luta).

O MPL utiliza táticas de mobilização empregadas com sucesso em outros países – de nações árabes aos EUA. Um pequeno grupo se reúne em locais ignorados, para fixar o calendário e deliberar sobre os métodos de manifestação. Depois, dissemina as decisões, a baixíssimo custo, pelas redes sociais na internet. E as articulações saltam da internet para o asfalto.

O DNA do MPL é universitário. Lutava pelo direito dos estudantes ao transporte público gratuito, o “passe livre estudantil”. Passou a pleitear o passe livre para todos. Prega a expropriação das empresas privadas de transportes coletivos. Acha que o setor deve ser monopólio estatal.


9 comentários

  1. Luiz Eduardo
    domingo, 16 de junho de 2013 – 12:59 hs

    Creio que se o transporte coletivo for monopólio estatal a roubalheira vai se maior do que a atual. O TC é uma atividade de utilidade pública mas não é tratada como tal. Uma sugestão : os lucros devem ser controlados, planejados e pré estabelecidos.

  2. Pato-branquense
    domingo, 16 de junho de 2013 – 13:48 hs

    Jovens : ou imbecis, ou muito espertos. Ou em proveito próprio (se espertos) ou de mais espertos que eles (se imbecis, logicamente). Quem são, afinal? Gente séria e que trabalha duro, certamente que não são. Seriam eles fãs do Zé, quiçá, sonhando um dia em ser braço direito de algum Lulllllllllllllla?

  3. Palpiteiro
    domingo, 16 de junho de 2013 – 19:30 hs

    Conversa mole para boi dormir. Autônomos coisa nenhuma. São ligados a Luciana Genro e o PSOL. Recebem dinheiro do governo e recrutam vagabundos e bandidos para fazer baderna. Como sempre, há inocentes úteis entre eles, gente bem intencionada, que acaba levando um tiro na cara, sem culpa.

  4. anibal
    domingo, 16 de junho de 2013 – 19:50 hs

    Foi “Ela” e “ELLE” que ensinou que quem protesta pode chegar a Presidente, ou no final ainda ser anistiado e ganhar aposentadoria e indenização…Engula esta!!!!

  5. sergio silvestre
    domingo, 16 de junho de 2013 – 20:22 hs

    Esse é o retrato desta geração num futuro.Os sem ideais,sem rumo e sem educação.
    Veja as notas escolares desse povo,o negocio deles éencher a cara e ser heroi pintado de palhaço.
    Quando a policia bate ,vibra e grita pra ver se tem um reporter por perto filmando.
    Essa geração de machorras e viados esta proliferando como baratas,e com isso querem direitos e gratuidade,trabalho que é bom neca.
    Acho que os pais tambem são culpados,pois foi o tempo que um professor dava uma reguada num aluno.Se não mudar estamos ferrados e perderemos essa geração para as drogas e os costumes.

  6. Mr.Scrooge
    domingo, 16 de junho de 2013 – 20:38 hs

    Este MPL prega uma ideia há muito tempo superada, antigamente atendia pelo nome de anarquismo. O movimento prega um ideal utópico, irrealizável , que é o comunismo em seu estado puro. Que ideia mais ingênua. Tal sonho foi tentado n vezes e nunca vingou porque vai contra a logica mais comezinha, simples. Infelizmente muita gente bem intencionada e ignorante, desacostumada a pensar deixa-ser convencer por esta argumentação demagógica e extremamente simplista. Quem deve estar adorando tal estado de coisas é a nossa governanta, porque depois do caos ela nos oferecerá a certeza, caos que o governo dela mesmo criou.

  7. Pedro Rocha
    domingo, 16 de junho de 2013 – 21:02 hs

    Essa garotada é cooptada nas escolas, principalmente nas escolas públicas; desde os primeiros anos. Faz parte da cartilha! – Aquilo está contaminado.
    Falo e provo! – Meu filho estudava no Colégio Estadual do Paraná, no governo Requião; e lá era frequente: quem precisasse de nota, conforme a matéria, era só passar um sábado internado no acampamento do MST. Tava resolvido o problema.
    Isso é real! – E como não mudou drasticamente o quadro de professores, deve ser até hoje essa bagunça lá! – Pelo menos na época, quase a totalidade dos professores eram vermelhos!

  8. tadeu rocha
    segunda-feira, 17 de junho de 2013 – 9:29 hs

    O POVO TEM RAZAO, SÓ ASSIM QUE OS BRASILEIROS VAO CONSEGUI ALGO, SOU CONTRA O QUEBRA QUEBRA, O BRASAIL ESTA SEM CONTROLE, ESTA SUBINDO TUDO, QUEM VAI NO MERCADO SABE, QUEM PAGA AGUA, LUZ ETC, SABE, ELES FAZEM UM CAMPO DE FUTEBOL, PARA 1 JOGO OU 2 JOGOS, CUSTA MAIS DE 200 MILHOES, SABE O QUE REPRESENTA ISSO, VEM ALMENTO DOS REMÉDIOS VEM ALMENTO DE TUDO, FALTA DINHEIRO PARA SAUDE, SEGURANÇA ENFIM TUDO,FORA O QUE ESTA SENDO ROUBADO NESSAS OBRAS, TUDO ISSO QUEM PAGA NÓS BRASILEIROS, COMO ELES TENHAM TANTO DINHEIRO E PARA SAUDE NAO EXISTE ETC, CHEGA DE MENSALAO CHEGA DE ROUBO NO BRASIL, VAMOS SIM DAR UM BASTA , MAIS SEM QUEBRA. VAMOS BRASIL . NÓS PODEMOS

  9. ALAOR
    segunda-feira, 17 de junho de 2013 – 13:16 hs

    Sou contra todo tipo de protesto que intimide ou agrida os direitos das pessoas, sendo elas contra ou a favor do respectivo movimento. Mas é sabido que se não for pela dor nada sera feito neste pais. Existe depredação do patrimônio publico nestes movimentos é lógico que existe, mas é só assim que eles ouvem o clamor da sociedade. Já que a maioria na hora de votar comete um monte de besteira, votando em verdadeiros marginais. E raciocinem, as invasões de terras como as que aconteceram em São Paulo a dias atras, a policia foi la e passou o trator por cima de tudo, agora pergunto aqueles caras que invadem terras do governo constroem mansões em lugares proibidos tem homem para ir la e derrubar estas mansões. E no transporte coletivo e da mesma forma ora bolas.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*