Pressionados por protestos, deputados arquivam PEC 37 | Fábio Campana

Pressionados por protestos, deputados arquivam PEC 37

Do UOL, em São Paulo:

Os deputados federais derrubaram na noite desta terça-feira (25), em decisão quase unânime, o Projeto de Emenda Constitucional número 37/2011, conhecido como PEC 37, de autoria do deputado federal e delegado Lourival Mendes (PT do B-MA). A matéria era uma das propostas polêmicas em tramitação no Congresso Nacional que estavam na mira de protestos na onda de manifestações pelo Brasil.
Ao todo, foram 430 votos pela derrubada da PEC, contra nove favoráveis à proposta e duas abstenções.
Batizada por seus adversários como “PEC da Impunidade”, a medida retiraria o poder de investigação dos MPEs (Ministérios Públicos estaduais) e do MPU (Ministério Público da União). Bancadas inteiras de partidos como PT, PPS, PTB, PSDB e PSDB votaram pela rejeição da PEC.

SEM PLEBISCITO PARA PROCESSO CONSTITUINTE

O ministro da Educação, Aloizio Mercadante, afirmou, nesta terça-feira (25), que o governo federal desistiu da proposta de instituir, por meio de plebiscito, uma assembleia constituinte exclusiva para tratar da reforma política.

Mercadante disse que a proposta de plebiscito está mantida, mas a consulta popular tratará do conteúdo da reforma política, e não a criação de um processo constituinte. O ministro disse que a presidente enviará mensagem à Câmara e ao Senado propondo a realização do plebiscito.
A votação foi acompanhada por promotores de Justiça presentes às galerias da Câmara com gritos de “rejeita!” dirigidos aos parlamentares.

Durante os debates relativos à votação da PEC, o presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), destacou que a proposta foi pautada em plenário por acordo fechado entre todos os líderes partidários. “A PEC está sendo votada por decisão unânime de todos os líderes, foi decidido por todos os líderes, que poderiam ter optado por adiar, mas decidiram votar esta noite e assim está acontecendo”, declarou.

A manifestação foi uma resposta ao líder do PSOL, deputado Ivan Valente (SP), que havia dito anteriormente que “a maioria dos deputados era a favor da PEC, tanto que ela foi aprovada [em sua admissibilidade] pela Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania” e que havia sido o “clamor das ruas” que fez com que o tema fosse pautado pelo Plenário. Ele anunciou que os três deputados do partido votarão contra a PEC.

O líder do DEM, deputado Ronaldo Caiado (GO), argumentou na mesma linha do presidente e disse que todos os líderes partidários foram “sensíveis à argumentação” e puderam “ponderar com suas bancadas, mostrar a necessidade da rejeição da PEC, sem ter que crucificar quem quer que seja, sem ter que denegrir a trajetória de nenhum parlamentar”.


29 comentários

  1. Da Rua
    terça-feira, 25 de junho de 2013 – 22:31 hs

    O Povo Das Ruas derrotou Dilma fragorosamente e a PTezada com as calças borradas ficaram com medo de apoiar a governanta , assim repentinamente virou a casaca , rsrs

  2. João Ribeiro
    terça-feira, 25 de junho de 2013 – 22:35 hs

    Graças a Deus e aos bons manifestantes deste país estamos um pouco mais aliviados e livres (espero que para sempre) dessa pouca vergonha.
    Esta faltando por na cadeia os CONDENADOS DO PT. e
    Tirar do poder esse partido de ladrões do governo.

  3. Ana
    terça-feira, 25 de junho de 2013 – 23:25 hs

    Estes políticos são uns sem carater mesmo. Muitos ( quase que a maioria) era a favor da PEC. Hoje pela pressão e medo da população, votaram contra. Bando de safados. A população foi enganada pela globo e pagará o preço pela burrice.

  4. Farra
    quarta-feira, 26 de junho de 2013 – 0:32 hs

    Fabio pergunta porque os deputados paranaense não mantiveram o voto??? guardamos a publicação quando manifestaram contra, ano que vem agente mostra nas manifestação nas ruas PELO VOTO CONSCIENTE.

  5. Papa Foxtrot
    quarta-feira, 26 de junho de 2013 – 1:13 hs

    É o começo do fim dos delegados!

    Fizeram uma PEC para concentrar poder, unicamente, em suas mãos e por pura vaidade, com intuito de se equipararem a promotores e juizes, e consequentemente, diminuir a atuação destes contra politicos corruptos, tendo como recompensa esses “super poderes” que lhes seriam concedidos, nem pensaram nas consequências dessas ações.

    No entanto, o tiro saiu pela culatra, o que seria uma autopromoção de nível constitucional acabou em execração pública e clamor social contra essa PEC nefasta e seus apoiadores, ou seja, delegados e politicos de má reputação.

    E como efeito colateral, fortaleceu muito mais o MP e os verdadeiros policiais (escrivães, investigadores, papiloscopistas, agentes, inspetores…) que, verdadeiramente, realizam o trabalho investigatório.

    Nunca uma categoria deu um tiro no pé de significativa proporção como os delegados, relembrando, cargo que só existe aqui no Brasil, dentro em breve, o mesmo, juntamente com o inquerito policial estarão fadados ao desaparecimento, e ao esquecimento da história como tantos outros cargos que já fizeram parte da policia e se tornaram desnecessários.

    A policia brasileira deve se renovar e se atualizar e não permanecer em 1800, estamos em 2013 e os delegados ainda não se deram conta.

  6. EPAS
    quarta-feira, 26 de junho de 2013 – 1:15 hs

    Alguém sabe como e por que nasceu a PEC 37?

    O que era apenas uma “ação entre amigos” por parte dos delegados de polícia federal e civis , acabou se transformando em um debate nacional que está levando milhares de pessoas indignadas às ruas de todos os estados brasileiros.

    A PEC 37 , que proíbe o ministério público e outros instrumentos atuais de investigação, tais como o COAF, Receita Federal e muitos outros, foi engendrada pela ADPF – Associação dos delegados de polícia Federal e ADEPOL- Associação dos Delegados de Polícia do Brasil ,apenas para que fosse exponenciado o poder pessoal e corporativo dessa categoria, de duvidosa utilidade real para o sistema de segurança pública do país, o qual ,sob o “comando” deles está a beira do colapso total.

    Os delegados lobistas dessas entidades de classe procuraram os deputados federais que são também delegados de polícia e esses passaram a ideia da PEC 37 para dezenas de deputados de foram, são e estão em vias de serem processados criminalmente por denúncia exclusiva do ministério público, sendo que entre esses deputados “apoiadores” da PEC 37, alguns possuem um histórico de processos criminais dignos dos mais proeminentes criminosos mafiosos do país, sendo que um deles, até procurado pela Interpol é.

    Assim, o desejo de poder dos delegados de polícia, e o temor dos deputados acusados de crime por iniciativa do MP , acabaram criando um grupo lobista que passou a defender a famigerada PEC 37 , como se fosse a “defesa” da própria vida.

    O que esse grupo de lobistas favoráveis à PEC 37 não contaram e desprezaram foi a capacidade de indignação de algumas categorias policiais e também agora a revolta da própria população contra essa tática pessoal de preservação da impunidade e ampliação de um poder completamente desnecessário , separatista e mesquinho, do ponto de vista cívico, protagonizado pelos delegados de polícia.

    Os primeiros a se levantarem publicamente contra a PEC 37 foram os Agentes , Papiloscopistas e Escrivães da Polícia Federal que comunicaram a manobra do lobby dos delegados para a aprovação da PEC 37 aos os membros do ministério publico federal e estaduais e a partir dai iniciou-se uma luta contra a intenção nefasta da tentativa de retirada do MP das investigações, justamente em um país que , não é de hoje, é assolado de forma cruel pela corruptos e corruptores.

    A manobra insana dos delegados de polícia e políticos de fama duvidosa, ganhou a ajuda imediata de grandes corruptores e corruptos, principalmente daqueles que foram, são e com certeza sabem que serão, alvos da ação investigativa do ministério público e por entenderem que é muito mais fácil fazerem pressão de várias formas em um delegado de polícia do que em um membro do ministério público que possuem autonomia legal para atuarem, diferentemente dos delegados que são facilmente pressionados pelos governadores, secretários de segurança, no caso dos estaduais e pelos ministros e presidente da república no caso dos federais.

    A queda de braço passou a ser entre os delegados de polícia e alguns políticos suspeitos de um lado e agentes , papiloscopistas e escrivães federais , membros do ministério público do outro e políticos honestos do outro.

    O deputado federal Paulo Salim Maluf defende a PEC 37 . O senador Pedro Simon é contra a PEC 37 . Veja a vida pública de cada um e assim poderá sentir como está se dando essa “disputa” política dentro do congresso nacional.

    A OAB – Ordem dos Advogados do Brasil , precipitadamente saiu em defesa da aprovação da PEC 37 e para tomar essa importante posição , erroneamente, não consultou os milhares de advogados de todo o país , já que muitos advogados são terminantemente contra essa proposta de emenda constitucional que pretende engessar a atuação do MP principalmente contra a corrupção , muitos são contra e deixam isso claramente em entrevistas e depoimentos nas redes sociais. Os grandes juristas do Brasil que influenciam sobre maneira os destinos da OAB , com certeza pressionaram de forma terrível, e a OAB, que sempre esteve ao lado do povo , principalmente nas questões de honra contra a corrupção, agora está contra o povo pela primeira vez. Um erro que ainda pode ser corrigido, já que até delegados deputados que apoiavam abertamente a PEC 37, agora já começam a fazer discurso contra, como é o caso do deputado Francisquini e Protógenes Queiroz. Ainda não é tarde para a “mudança sadia” de opinião.

    Finalizando alerto que para aqueles que acham que não, que o debate sobre a utilidade cívica ou não da PEC 37 deve ser mais amplo e o soberano povo brasileiro que antes de forma parva assistia a tudo calado, agora despertou para participar de debates dessa magnitude e já colocou milhares e milhares de pessoas contra a PEC 37 que chama da PEC da IMPUNIDADE.

    Espero que o ex- parvo povo brasileiro faça dessas movimentações públicas uma pratica recorrente para sempre se opor contra a corrupção, os corruptos e principalmente contra os corruptores, desde que o faça de maneira ordeira e pacífica para não se tornar criminosos nos moldes dos que combate.

    Que o povo brasileiro tenha despertado para valer e se lembre dessa noção política adquirida, não só
    nas passeatas de ruas, mas também e principalmente na hora de votar, já que é muito mais fácil combater os corruptos e ajudar o Brasil votando mais corretamente .

    Todo poder emana do povo e em seu nome será exercido. Isso está escrito na nossa Constituição Federal e universalmente todos sabem que a voz do povo é a voz de Deus.

    A PEC 37 é nefasta para o combate a corrupção em nosso país. Precisamos da polícia ombreada e unida totalmente com o ministério público para combater essa maldita praga da corrupção. Aprovando uma emenda constitucional que divorcia essas duas entidades é lutar ao lado do errado contra o bem maior que é a nossa nação. DIGA NÃO À PEC 37 !

  7. Pedro Rocha
    quarta-feira, 26 de junho de 2013 – 1:17 hs

    Ainda não vi, nem ouvi a relação dos nove heróis da trincheira petista! – Custa nada fazer um afago nos caras.
    Ou são muito otimistas; desinformados, ou apertaram o botão errado!

  8. rambo
    quarta-feira, 26 de junho de 2013 – 1:17 hs

    E agora, quem vai fiscalizar o Ministerio Publico? O povo foi manipulado, isso sim… O ministerio publico ja é muito poderoso, promotores e procuradores se consideram acima Lei, acham que podem fazer o que bem entenderem com a vida das pessoas… se o ministerio publico denuncia quem ele quer, por que alguem acha que ele seria imparcial?

  9. JOÃO
    quarta-feira, 26 de junho de 2013 – 1:34 hs

    Concordo com vc Ana, …só é possível retirar-se o que esta incluso …é lamentável que pessoas informem tantas notícias distorcidas… é lamentável que pessoas que deveriam fiscalizar o cumprimento das leis tenham de forma direta ou indireta instigado e usado esses manifestantes para cessarem direitos temporáriamente (direito de ir e vir entre outros)… agora quem vai pagar a conta dos atos contra o património público? Dos empresários que foram vítimas de saques? … alguém viu algum promotor ou procurador tentando manter a ordem nessas manifestações?
    … só vi policiais e guardas municipais lá tentando manter a ordem de nossas cidades, ou seja, levando pedradas, pauladas, bombas e inúmeras agressões verbais… isso é lamentável…, mas onde estavam os representantes do MP durante os atos? Não sou contra a função tão nobre, mas sou contra investigação seletiva, então investiguem tudo e todos e não apenas onde da holofótes…

  10. Rosana
    quarta-feira, 26 de junho de 2013 – 1:42 hs

    Mais um erro do Congresso, que se curvou à propaganda enganosa do MP. Realmente não temos representantes que mantenham a serenidade e a racionalidade. Todos agem por instinto de sobrevivência. Quem acusa não pode investigar. A investigação é tarefa das polícias civil e federal. Capciosamente este assunto foi inoculado nas massas irracionais que saem às ruas, sem saber direito o que pedir ou reivindicar. Agem como verdadeira boiada.

  11. américo
    quarta-feira, 26 de junho de 2013 – 4:40 hs

    Somente para lembrar, que estes agitadores que tentão colocar nomes de partidos em opniões, quero lembra-los que todos os três poderes sem exceção e a mídia deste país estão sendo responsabilizados pelo povo, por esse estado de corrupção criminoso, que nosso páis chegou . Quero também dizer a esses oportunistas de plantão que acreditam em meia justiça que, será cobrado pelo povo até a sujeira jogada em baixo do tapete chama-da
    privataria Tucana.
    O povo sabe bem mais, do que alguns pensam !

  12. NA CORDA BAMBA
    quarta-feira, 26 de junho de 2013 – 5:36 hs

    Arquivaram a PEC 37 tão rapidamente e até o PT !?
    Isto nos traz uma lição definitiva de que os políticos navegam exclu-
    sivamente em benefício próprio independente do partido e que se a
    Mer–a bater no nariz votam até contra a própria mãe !!!

  13. Analista de Bagé
    quarta-feira, 26 de junho de 2013 – 6:22 hs

    – Enquanto o Ministério Público e importantes segmentos da sociedade protestam contra a PEC 37 e efetivamente conseguiram que o Congresso arquivasse a medida, que retiraria do Ministério Público o poder de investigação criminal, deixando esse poder exclusivamente na mão da polícia, a Presidente DILMA sancionou recentemente dia 21 de junho de 2013, de forma SORRATEIRA – sem divulgação na mídia – a Lei 12830/2013, determinando que a investigação criminal será conduzida pelos Delegados de Polícia.
    Essa lei se antecipou ao arquivamento da PEC 37 e cuida de concentrar os poderes investigatórios no âmbito da polícia judiciáriae não mais no Ministério Público.

    Agora vocês entendem o verdadeiro motivo no sorriso de cada um dos deputados quando do arquivamento da PEC 37…

  14. Analista de Bagé
    quarta-feira, 26 de junho de 2013 – 6:24 hs

    http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2011-2014/2013/Lei/L12830.htm

  15. José Carlos
    quarta-feira, 26 de junho de 2013 – 7:15 hs

    Ganha mais não leva.
    Foi sancionada nesta quinta-feira, 20, pela presidente Dilma Rousseff, a lei 12.830/13, que dispõe sobre a investigação criminal conduzida pelo delegado de polícia. Publicada no DOU de 20/6, a norma estabelece regras para a atuação da polícia judiciária no âmbito investigatório.

    Entre as determinações do decreto está a de que cabe aos delegados a condução criminal por meio de inquérito ou outro procedimento previsto em lei, que tenha como objetivo “a apuração das circunstâncias, da materialidade e da autoria das infrações penais”.

    Confira abaixo

    LEI Nº 12.830, DE 20 DE JUNHO DE 2013

    Dispõe sobre a investigação criminal conduzida pelo delegado de polícia.

    A PRESIDENTA DA REPÚBLICA

    Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

    Art. 1º Esta Lei dispõe sobre a investigação criminal conduzida pelo delegado de polícia.

    Art. 2º As funções de polícia judiciária e a apuração de infrações penais exercidas pelo delegado de polícia são de natureza jurídica, essenciais e exclusivas de Estado.

    § 1º Ao delegado de polícia, na qualidade de autoridade policial, cabe a condução da investigação criminal por meio de inquérito policial ou outro procedimento previsto em lei, que tem como objetivo a apuração das circunstâncias, da materialidade e da autoria das infrações penais.

    § 6º O indiciamento, privativo do delegado de polícia, dar-se-á por ato fundamentado, mediante análise técnico-jurídica do fato, que deverá indicar a autoria, materialidade e suas circunstâncias.

    Brasília, 20 de junho de 2013; 192º da Independência e 125º da República.

    DILMA ROUSSEFF

    José Eduardo Cardozo

    Miriam Belchior

    Luís Inácio Lucena Adams

  16. retorno
    quarta-feira, 26 de junho de 2013 – 7:54 hs

    Essa Pec voltará com outro nome, bem maquiadinha, querem apostar comigo?

  17. BOZO
    quarta-feira, 26 de junho de 2013 – 7:57 hs

    ESPERO QUE TODOS QUE FORAM CONTRA A PEC-37, PROCUREM O MINISTÉRIO PÚBLICO QUANDO TIVEREM ALGUM PROBLEMA NA ÁREA DA SEGURANÇA PÚBLICA … PORQUE A POLÍCIA JUDICIÁRIA ACABOU MESMO …

  18. TROLL
    quarta-feira, 26 de junho de 2013 – 8:05 hs

    Este bando de folgados só se mexe na base da chicotada.
    Que seja assim per omnia…
    Viva o povão que colocou estes bóstas no seu devido lugar!

  19. CARUNCHO
    quarta-feira, 26 de junho de 2013 – 8:16 hs

    POR FAVOR DIVULGUE OS NOMES DE QUEM VOTOU A FAVOR,PARA DARMOS O TROCO ANO QUE VEM.

  20. Do Interior....
    quarta-feira, 26 de junho de 2013 – 8:26 hs

    São um bando de vadios mesmo! A maioria era a favor da PEC-37. Quando o caldo engrossou, viraram a casaca só porque a TV estava filmando.

    Minha gente, vamos tirar TODOS aquelas pessoas de lá nas proximas eleições….

  21. claudio
    quarta-feira, 26 de junho de 2013 – 8:39 hs

    Ai está, a toque de caixa tudo vai se resolvendo, puxa vida que maravilha hein?
    Antes a maioria estava contra e indecisa em relação a PEC 37, mas rapidamente aprovaram o arquivamento.
    Até bem pouco tempo, como moeda de barganha, não se cogitava 100% dos royaltis do petróleo para a educação, agora está acertado, além disso, ontem a noite, tinha politico bradando em alto e bom som, que os estudantes teriam passe livre, olha só que coisa boa né?
    Todos os estudantes? em todas as cidades? e quem vai bancar isso?
    O que me estarrece é a falta de vergonha de muitos políticos que embarcaram nessa apedrejando este ou aquele, culpando, mas não fazendo nada, e agora na pressão popular, aprovam propostas do governo federal e ainda dizem que estão fazendo a vontade do povo, atendendo o clamor das ruas, oras, aproveitadores e medrosos isso sim, nas próximas eleições eles querem que o nome deles apreça na lista dos que aprovaram essas propostas, para evitarem um derrota nas urnas, apenas isso.

  22. Olho Vivo
    quarta-feira, 26 de junho de 2013 – 9:46 hs

    Uma grande derrota para o governo PTista que desejava ver a coisa degringolando. Parabéns ao povo brasileiro que se mobilizou para dar fim a essa pouca vergonha, agora é necessário se mobilizar para dar fim também a PEC 33, outra incoerência desse governo que se mostra totalmente perdido.

  23. Doutor Prolegômeno
    quarta-feira, 26 de junho de 2013 – 10:19 hs

    No Brasil, a partir de agora, vigorará o regime do ganha no grito. Quem gritar mais alto leva.

  24. PILATOS
    quarta-feira, 26 de junho de 2013 – 10:28 hs

    PRIMEIRO TIRO NO PÉ.
    SE RETIRARAM A PEC É PORQUE ERA DE INTERESSE DOS DEPUTADOS.
    ENTENDA PORQUE A PEC 37/2011 NÃO IA RETIRAR O PODER DE INVESTIGAÇÃO DE NENHUM OUTRO ORGÃO:
    1- A Constituição prevê que o MP é o fiscal da lei e o titular da ação penal pública;
    2- A Constituição confere ao MP o poder de requisitar, a qualquer tempo, a abertura de investigações e a realização de diligências investigatórias;
    3- A Constituição atribui ao MP o controle externo da atividade policial;
    4- A Constituição, de forma expressa, dispõe que compete às Polícias Civis e à Polícia Federal a apuração de infrações penais, exceto as militares;
    5- Como a Constituição não confere ao MP o poder de investigação, nem explícita nem implicitamente, não se pode dizer que a PEC 37/2011 lhes suprimiria tal direito. ORA, NÃO SE PODE PERDER AQUILO QUE NÃO SE DETÉM;
    6- A PEC 37 não impediria a criação de CPI’s;
    7- A PEC 37 não impediria a atividade de controle e fiscalização atribuídas legalmente a outros órgãos públicos que não promovem investigação criminal, tais como TCU, CGU, IBAMA, COAF e Receita Federal;
    8- A PEC 37 não impediria o trabalho integrado entre órgãos de controle e fiscalização, o Ministério Público e as polícias judiciárias;
    9- A PEC 37 não impediria que o MP e o Poder Judiciário investiguem os seus próprios membros pela prática de infrações penais;
    10- A PEC 37 preservaria a higidez do sistema de persecução criminal brasileiro, que se funda na separação de atribuições entre órgão investigador, acusador, defensor e julgador;
    11- A PEC 37, não invalidaria nenhuma investigação já realizada pelo MP, ratificando as provas produzidas até a sua promulgação, moderando seus efeitos;
    12- A PEC 37 evitaria a prática de investigações casuísticas, seletivas, sem controle e com o propósito meramente midiático;
    13- Por não possuir o poder de investigação, o MP apresentou, nos últimos anos, duas propostas de emenda à Constituição, no intuito de alcançar esse fim, tendo o Congresso Nacional rejeitado ambas, em respeito ao sistema acusatório e a ordem Constitucional;
    14- A Ordem dos Advogados do Brasil e a Advocacia Geral da União, visando a preservação da legalidade, manifestaram-se expressamente contrárias ao poder de investigação do MP;
    15- A PEC 37 evitaria abusos, excessos, casuísmos e desvios de finalidade, permitindo apenas investigações legais, com o controle externo do MP e do Poder Judiciário, e acesso à defesa.

  25. SPRING
    quarta-feira, 26 de junho de 2013 – 11:08 hs

    O ministro da Educação, Aloizio Mercadante, afirmou, nesta terça-feira (25), que o governo federal desistiu da proposta de instituir, por meio de plebiscito, uma assembleia constituinte exclusiva para tratar da reforma política.,
    A PRESIDENTA AFIRMOU EM REDE ESSA PROPOSTA, AGORA VOLTA ATRÁS , PORQUE NÃO FEZ UMA ANÁLISE ANTES, COMO TUDO FUNCIONA NESSE GOVERNO, OU SEJA, NINGUÉM ENTENDE NINGUÉM, ESSA…..PETEZADA…ESTA MAIS PERDIDA QUE CACHORRO QUE CAIU DE MUDANÇA, A PROXIMA CAMPANHA SERA…FORA DILMA.

  26. Flavio
    quarta-feira, 26 de junho de 2013 – 11:36 hs

    Na lista que votou pela PEC há deputados do PSDB e do DEM, inclusive o sr Abelardo Lupion.. É preciso ver quem estava contra e a favor da proposta.

  27. PARABENS MEU POWO BRASILEIRO
    quarta-feira, 26 de junho de 2013 – 13:22 hs

    Parabens a essa juwentude…Gracas a eles e todos os brasileiros que foram para as ruas ,foi possiwel acabar com essa pouca wergonha chamada PEC 37…chega de brindar corruptos….

  28. Eleitor
    quarta-feira, 26 de junho de 2013 – 15:43 hs

    Essa votação mostra a falta de caráter dos políticos. Campanha do VOTO facultativo, ou então do VOTO nulo.

  29. me engana que eu gosto
    quarta-feira, 26 de junho de 2013 – 22:20 hs

    Andre Vargas e Alex Canziani , dignos deputados da região de Londrina eram defensores da PEC-37. Menos pior, recuaram pela pressão das ruas. Quem sabe ano que vem a maioria dos eleitores vai deixar de ter “memória curta”.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*