PM admite excesso de policial que atacou mulher com spray de pimenta no Rio | Fábio Campana

PM admite excesso de policial que atacou mulher com spray de pimenta no Rio

Do G1 Rio:

O coronel Frederico Caldas, relações públicas da Polícia Militar do Rio de Janeiro comentou, em entrevista ao Bom Dia Rio desta quarta-feira (19), sobre a ação de um policial da Tropa de Choque que atacou uma mulher com spray de pimenta enquanto ela circulava pela Praça XV na noite de segunda-feira (17). Segundo ele, houve excesso por parte do policial.

“A gente percebe que há um excesso, principalmente, por se tratar de uma mulher sozinha e dois policiais. Não justifica absolutamente dois policiais terem esse tipo de comportamento. Agora a gente tem que analisar o contexto também. Não só em relação a esse fato em si, mas toda a mobilização dessas pessoas. Por parte de alguns manifestantes, há uma postura de absoluta hostilidade, muitos deles atacando aos policiais, é claro que nesse caso não, mas de um modo geral, o emprego da tropa da Polícia Militar tem sido em situações extremas”, explicou Caldas.

“Não estamos atuando em condições normais de um controle de distúrbio, mas sim em situações em que há um comportamento absolutamente agressivo por parte dos manifestantes e é por isso que a gente tem feito uma palestra com os policiais para que eles tenham mais equilíbrio e mais cuidado nessa atuação”, completou.

O coronel acrescentou também que as imagens serão analisadas. “Naturalmente será feito todo o trabalho de identificação dessas imagens. Então o que quer que tenha que ser feito pela Polícia Militar, nós faremos de uma maneira muito isenta, muito responsável porque a gente sabe muito bem o papel que a polícia militar tem no sentido de conter mais não de agredir as pessoas”, coincluiu o coronel Frederico Caldas.

Flagra do leitor
A ação foi registrada em vídeo pelo fotógrafo Gustavo Domingues de Oliveira. Ele afirma que acompanhava um batalhão que passava pela Praça XV.

O leitor contou que é a mesma mulher que foi mostrada na imagem do fotógrafo da agência Associated Press Victor R. Caivano e que circulou o mundo. Gustavo usava uma câmera que fazia foto e vídeo ao mesmo tempo.


14 comentários

  1. Doutor Prolegômeno
    quarta-feira, 19 de junho de 2013 – 11:43 hs

    O “democratismo” em vigor desde o fim da ditadura, que passou a permitir tudo sem limites, tornou dispensável e politicamente incorreto a criação de tropas especializadas em manifestações de massa. Os policiais atuais foram treinados para enfrentar a bandidagem em geral, não os movimentos populares de massa. Assim, falta treinamento e disciplina necessários para lidar com estas situações de crise popular. Não se pode exigir conduta diferente destes policiais, que foram treinados para combater criminosos e não o populacho em protestos de massa.

  2. Gardel
    quarta-feira, 19 de junho de 2013 – 11:44 hs

    Inteligência, dignidade e competência são atributos que esses jumentos não possuem. Quando encontram uma oportunidade para extravasar seu extinto bando, não perdem a oportunidade.

  3. marcia valeria alves batista
    quarta-feira, 19 de junho de 2013 – 11:56 hs

    Esse policial tinha que ser expulso !!

  4. Valete de Paus
    quarta-feira, 19 de junho de 2013 – 12:12 hs

    REALMENTE ESTA IMAGEM PODE TRANSMITIR O PERIGO QUE A MULHER PODE TRAZER PARA A CORPORAÇÃO, JUSTIFICA-SE A NECESSIDADE DE USO DO GÁS…
    …ACREDITO QUE SE ESSA SITUAÇÃO FOSSE COM UM BANDIDO DE ALTA PERICULOSIDADE O TRATAMENTO SERIA BEM DIFERENTE.

  5. Eu li
    quarta-feira, 19 de junho de 2013 – 12:47 hs

    Despreparo total.

  6. zangado
    quarta-feira, 19 de junho de 2013 – 13:05 hs

    O governo dá um spray de pimenta e o poliça aplica sem a mais mínima cerimônia numa cidadã que não lhe poderia causar um relés aranhão …

    Demissão sumária seria a regra explícita no caso.

    É brincadeira !!!

  7. Pedro Rocha
    quarta-feira, 19 de junho de 2013 – 14:05 hs

    O que faz uma mulher sozinha no meio de uma baderna dessas? – Quer o quê? flores? – Muita ingenuidade.

  8. WAL
    quarta-feira, 19 de junho de 2013 – 15:42 hs

    pensei que ele iria dizer que ela estava fortemente armada com uma bolsa de bolinha.

  9. Fernando Nascimento
    quarta-feira, 19 de junho de 2013 – 16:37 hs

    Isto não é policial, é um bandido vestido de policial, um covarde, uma bichona que não gosta de mulher, deve ser muito macho com animais e pessoas indefessas, coloca esse valentão, para subir um morro a procura de traficantes, que ele vai logo mostrar o covarde que é, é capaz de chorar, se borrar todo, e se o bandido, fungar no seu cangote, os dois vão acabar tendo um caso.

  10. quarta-feira, 19 de junho de 2013 – 20:05 hs

    salete, era vc. que é baba ovo do amputado quem deveria estar ali , tomando porrada !

  11. Pedro Rocha
    quinta-feira, 20 de junho de 2013 – 1:31 hs

    Criticar a ação do policial, sentado à frente do seu computador tomando um cházinho quente, enquanto lá fora o pau come solto, fica mole!
    Não sou., e nunca fui policial; mas servi o exército, e lá, é passado ao recruta uma série de treinamentos para contenção de distúrbios e arruaças. Além de ter enfrentado como soldado, esse tipo de confusão nas ruas,
    Vá lá; largue a xícara de chá, e vá lá encarar aquele bando de doidos, com o rabo cheio de veneno, armados de paus, pedras, coquetéis caseiros, e o diabo a quatro.
    Ele, o arruaceiro bandido sabe quem está enfrentando. VOCÊ NÃO SABE! Muito menos o que ele pode trazer escondido nas vestes, pra te enfrentar!
    Só um doido, se mete na linha de tiro, ou no meio duma confusão dessas, com esperança de sair ileso.
    É o mesmo que se jogar numa fogueira, e não querer sair pelo menos sapecado de lá!

  12. EXTINÇÃO DA PM
    quinta-feira, 20 de junho de 2013 – 8:36 hs

    A pelegada certamente adora e ama o grupo de extermínio chamado PM brasileira! A PM tem que ser extinta. São milhões de assassinatos, torturas, achaques, tráfico de drogas, contrabando, roubo de cargas etc. etc. etc. que esta “gloriosa” corporação – podre até a medula – possui em seu histórico currículo de 200 anos. Estamos, mais ou menos, em um regime democrático, incompatível com assassinos fardados. E os que não os denunciam são todos cúmplices dos assassinatos contra o povo brasileiro, que já se revoltou.

  13. Maria
    quinta-feira, 20 de junho de 2013 – 14:58 hs

    #montagem com certerza.

  14. Pedrenrique
    quinta-feira, 20 de junho de 2013 – 22:39 hs

    No lugar da PM vamos colocar quem? – As freiras do convento? – Ao se deparar com algum problema de segurança pública, o sr. chama quem? O bispo?

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*