Parecer contra Afif tem 'peso político', diz presidente da CCJ | Fábio Campana

Parecer contra Afif tem ‘peso político’, diz presidente da CCJ

Da Folha de S.Paulo:

A presidente da comissão da Assembleia paulista que analisa o pedido de perda de cargo do vice-governador Guilherme Afif Domingos (PSD), deputada Maria Lúcia (PSDB), afirmou nesta sexta (7) que o parecer do Ministério Público pela perda do mandato exercerá um “peso político e jurídico” muito grande na decisão do grupo.

Ontem, o procurador-geral de Justiça do Estado, Márcio Elias Rosa, encaminhou posicionamento do Ministério Público à Assembleia em que vê “inadmissibilidade” no acúmulo de funções de Afif, que foi nomeado ministro da Micro e Pequena Empresa do governo federal.

Para Maria Lúcia, apesar da influência, o parecer “não vai interferir diretamente na decisão”. “Tanto que é uma recomendação”, afirma.

Agora, o parecer do órgão deve ser juntado ao processo que corre na Assembleia sobre o assunto.

Na próxima terça-feira (11), o relator desse processo na Assembleia, deputado Cauê Macris (PSDB), deve entregar seu parecer sobre a admissibilidade do pedido.

A tendência é que ele siga a recomendação do departamento jurídico da Casa e opine que os deputados devem analisar o pedido de perda de mandato.

Depois de entregue esse parecer, os 13 membros da comissão decidirão se o pedido será analisado. Se a decisão for positiva, um novo parecer será elaborado, desta vez sobre a legalidade do acúmulo das funções.

Se esse grupo decidir pela ilegalidade, o pedido é submetido a todos os 94 deputados da Casa. Para que o vice-governador perca o cargo, são necessários 48 votos favoráveis.

O governador Geraldo Alckmin (PSDB) tem ampla maioria na Casa. Apesar de dizerem que o governo não exercerá pressão sobre os deputados, auxiliares do tucano demonstram insatisfação com a situação de Afif.

Desde que o vice-governador seguiu Gilberto Kassab, indo do DEM para o PSD, ele e Alckmin têm se distanciado. Em 2011, o governador o exonerou da Secretaria de Desenvolvimento Econômico do Estado.

O mal-estar chegou ao ápice com a indicação de Afif para a Secretaria da Micro e Pequena Empresa do governo federal, no início de maio –apesar de publicamente Alckmin ter elogiado a escolha.


2 comentários

  1. Gardel
    sábado, 8 de junho de 2013 – 11:39 hs

    Esses tipos imaturos e despreparados para desempenhar função estratégica, são os preferidos desse governo corrupto.Corromper a sociedade em proveito próprio, é a meta principal.

  2. Palpiteiro
    sábado, 8 de junho de 2013 – 13:52 hs

    A vaidade destrói o caráter.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*