Oposição acusa Dilma de atropelar o Congresso ao propor plebiscito | Fábio Campana

Oposição acusa Dilma de atropelar o Congresso ao propor plebiscito

Gabriela Gurreiro, dO UOL

A oposição acusou nesta segunda-feira a presidente Dilma Rousseff de atropelar o Congresso Nacional ao propor a realização de plebiscito sobre a reforma política. Com críticas ao discurso de Dilma sobre os protestos que se espalham pelo país, os presidentes do PSDB, DEM e MD (Mobilização Democrática) avaliam que a presidente não deu respostas suficientes aos brasileiros que protestam por melhores condições de vida.

“É uma competência exclusiva do Congresso convocar plebiscito. Para desviar atenção, ela transfere ao Congresso uma prerrogativa que já é do Legislativo e não responde aos anseios da população”, disse o presidente do PSDB, senador Aécio Neves (MG).

Em reunião com governadores e prefeitos, Dilma sugeriu hoje a realização de plebiscito para ouvir os brasileiros sobre a convocação de um Assembleia Constituinte exclusiva para discutir a reforma política. Como as consultas populares são de competência do Congresso, caberá ao Legislativo viabilizar a proposta da presidente.

A oposição diz ser favorável à consulta popular, mas discorda da convocação de Assembleia Constituinte específica para discutir a reforma política. “Nenhum de nós é contra consulta popular, mas fazer plebiscito sobre o que o Congresso precisa fazer? Não adianta querer entrar agora com manobra diversionista. A reforma é importante, mas vamos cuidá-la com o devido amparo legal”, atacou o presidente do DEM, senador José Agripino Maia (RN).

Os presidentes dos partidos de oposição avaliam que Dilma adotou um “discurso velho” ao dialogar com os manifestantes, que têm uma nova forma de protesto –além de ter “transferido” ao Congresso, governadores e prefeitos problemas que são de sua administração.

“A presidente esqueceu que seu partido governa o país há mais de 10 anos, mas parece alguém que acabou de assumir o mandato. Ela transfere ao Congresso essa responsabilidade e aos Estados e municípios a competência para desonerar transporte público”, afirmou Aécio.

O presidente do MD, Roberto Freire (PE), disse que a presidente deveria orientar sua base de apoio no Congresso a aprovar propostas que são de interesse da população. “Por que o governo não orienta a sua maioria a derrotar a PEC 37? Por que não orientar a base a apoiar uma CPI para investigar as obras da Copa?”, questionou.

Em defesa do plebiscito, aliados da presidente Dilma Rousseff afirmaram que a única maneira de o Congresso aprovar a reforma política é com a realização de Assembleia Constituinte específica para discussão do tema. “Se não tiver um Congresso específico, a gente debruçado em tantos temas não vai conseguir fazer isso”, disse o líder do PT, senador Wellington Dias (PI).

Líder do governo, o senador Eduardo Braga (PMDB-AM) afirmou que uma decisão da população vai forçar o Congresso a modificar o sistema político brasileiro. “Eu sou a favor da ideia da Constituinte. Já fizemos várias votações sobre a reforma política, em diversos momentos, mas essa reforma não andou. Talvez um pacto com a população faça com que a reforma ganhe um outro ritmo.”

Os presidentes da Câmara e do Senado, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN) e Renan Calheiros (PMDB-AL), não se manifestaram sobre a proposta de Dilma. Renan estava no Senado quando Dilma fez discurso a governadores e prefeitos com a proposta, mas deixou a Casa sem se manifestar. “Eu estava em outra reunião quando ela falou”, desconversou o peemedebista.

MANIFESTO

A oposição divulgou um manifesto com propostas a serem adotadas pelo governo e pelo Congresso em resposta às reivindicações da população. Intitulado de “Os brasileiros querem um Brasil diferente”, o manifesto assinado pelos presidentes do DEM, PSDB e MD diz que a “agenda” proposta pela oposição se contrapõe a “discursos vazios e reiteradas promessas não cumpridas pelo governo federal que comanda o país há mais de dez anos”.

Uma das propostas é a instalação de Comissão Parlamentar de Inquérito no Congresso para investigar os gastos com a Copa do Mundo de 2014, além da realização de auditoria nas despesas investidas pelo Executivo no mundial de futebol.

Os partidos dividiram a “agenda” em três áreas, com propostas de transparência e combate à corrupção, gestão e federação, e no campo ético e democrático.

Entre as propostas, estão a revogação imediata do decreto que proíbe a divulgação de gastos da Presidência da República em viagens internacionais, a liberação do acesso aos gastos do governo com cartões corporativos, a divulgação de valores e custos de financiamentos do BNDES, assim como a revelação dos negócios realizados pela Petrobras nos últimos dez anos.

Também há sugestões nas áreas de educação, saúde e segurança, a redução pela metade no número de ministérios e adoção de política de “tolerância zero” com a inflação.

“A presidente frustrou todos os brasileiros. Nossas propostas podem ser adotadas pelo governo e vamos ficar atentos para que não se reedite aqui a falta de respostas do Poder Executivo”, afirmou Aécio.


8 comentários

  1. JR
    segunda-feira, 24 de junho de 2013 – 21:33 hs

    Esse Congresso é incompetente, do que estão reclamando, são um dos responsáveis pelo pais estar esta mer…….

  2. segunda-feira, 24 de junho de 2013 – 22:03 hs

    Será que a Presidente julga que, nós, o povo brasileiro, somos completamente ignorantes? A reforma política tem que ser feita pelo Congresso, uma promessa de campanha dela. Se o Congresso Nacional está virando uma VERGONHA NACIONAL, sendo omisso naquilo que lhe diz respeito, é caso de omissão dos seus deveres. Precisamos de tantas reformas, seria inútil enumerá-las.Presidente seja específica e expontânea em suas alocuções, não transfira aos Prefeitos e Governadores tudo aquilo que é de sua (in)competência. Deixe de imbróglio, estamos saturados as falsas promessas.

  3. Helio NUNES
    segunda-feira, 24 de junho de 2013 – 22:21 hs

    Se não sai as reformas, o maior culpado é o parlamento, pois estão negociando seus interesses não o do povo.

  4. ANALISTA
    segunda-feira, 24 de junho de 2013 – 22:39 hs

    Realmente o Lula é que manda. Quem não lembra que o próprio LULA pregava a CONSTITUINTE EXCLUSIVA?
    Alguém duvida que o governo não fará a maioria dos constituintes, pois a eleição destes ainda será com as regras atuais. Uma orgia de gastos para eleger “os ecolhidos” pelo lulapetismo, farão a reforma que o PT quer. Estão copiando o modelo de Chaves, da Bolívia, Argentina e títeres sulamericanos que com plebiscito se encastelaram no poder.
    Hitler tomou o poder na a
    Alemanha com este expediente.
    Entra em cena o marqueteiro do PT para eleger a tal “CONSTITUINTE” e dai sim quero ver que vai tirar esta canalha do poder.
    A única chance do Brasil se livrar deste golpe é que o povo nas ruas diga um BASTA e de cara inviabilize o golpe.

  5. Jacildo Martins
    segunda-feira, 24 de junho de 2013 – 22:46 hs

    É MUITO ESTRANHO!!

    POR ONDE ANDAS AS PESQUISAS DE APROVAÇÃO DA NOSSA PRESIDENTA NOS DIAS ATUAIS????

    O QUE DIZER DA COMPETÊNCIA DO GOVERNO DO PT??

    POR ONDE ANDAS O NOSSO MENSAGEIRO DA BOA NOVA (LULA) DAS PROMESSAS MESSIÂNICAS ???

    CONVOCAR UMA ASSEMBLÉIA CONSTITUINTE? ISSO É MAIS UMA PIADA DO PT

    FALAR EM UNIÃO – UM PARTIDO QUE SEMPRE PREGOU A DIVISÃO – NÃO ASSINOU A CONSTITUINTE DE 88, FOI CONTRA A LEI DE RESPONSABILIDADE FISCAL. FOI CONTRA O PLANO REAL. AGORA QUER FALAR EM UNIÃO??

    FORA DILMA – FORA LULA – FORA PT

    DEIXE O BRASIL CRESCER!!

  6. Sergio silvestre
    terça-feira, 25 de junho de 2013 – 9:19 hs

    A oposição,esfacelada,corrupta e carente de poder para fuder o pais de novo,se agarra neste cipo´que é as manifestações.
    Ainda ninguem sabe o que na verdade estão manifestando.Pra que
    São os demos psdebistas em ação?Ou nem prá isso servem.
    Será que vem ai a Marina ser coadjuvante no segundo turno?Porque a alegria da oposição e ao menos ir ao segundo turno,para os financiadores de campanha despejar dinheiro só assim sobra algum prá eles.
    Esse é o Brasil,não o pais rico,mas o povo,muito pobre até de conciencia.

  7. jobalo
    terça-feira, 25 de junho de 2013 – 11:22 hs

    Não é perseguição!!!!!!!! Quando a gente fala que o PT não tem quadros para usar na administração , alguns nos criticam, mas com essa da Dilma de propor um uma nova constituinte para a reforma politica (função exclusiva do congresso), Ai a gente confirma que realmente o sapo barbudo colocou um poste pra governar o País, que falta de tato, cunho politico e competência, será que esta mulher não mtem gente para dar-lhe conselhos????

  8. Gardel
    terça-feira, 25 de junho de 2013 – 14:17 hs

    Atropelar é uma cultura petista, corrupção também.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*