O PT afônico | Fábio Campana

O PT afônico

Por Mary Zaidan

O PT nunca amargou desilusão tão profunda: as ruas se abarrotaram de gente sem que o partido as mobilizasse. Gente que, em sua maioria, prefere que a “onda vermelha” convocada, oportunista e extemporaneamente, pelo presidente da sigla Rui Falcão, fique longe.

Golpe duro para quem sempre se vangloriou da sintonia com as massas, de ser o senhor das vozes das ruas. Que se arvorava a ser quase, senão o único, na interlocução com os jovens. Que paga centenas de blogueiros, sabem-se lá quantos tuiteiros e facebuqueiros para falar bem do governo e rechaçar opiniões contrárias. Mas que não foi capaz de nem mesmo sentir o cheiro da mobilização, via redes sociais, que nas duas últimas semanas sacudiu o país de ponta a ponta.

É fato que nenhum partido, pouquíssimos políticos e só alguns analistas conseguiram traduzir, pelo menos parcialmente, o que está se passando. Mas, para o PT, estar divorciado disso, não ser o dono da voz, é quase mortal.

Tanto que se expõe ao rechaço enfiando-se em manifestações que, pelo menos por enquanto, agremiação ou político algum é bem-vindo. Até porque os partidos políticos – mais preocupados com os seus umbigos e com a eleição seguinte – são alvos da grita.

Estar apartado disso é tão letal para o PT que fez seus dirigentes esquecerem os disfarces habituais. No olho do furação, enquanto o prédio da Prefeitura de São Paulo era vandalizada e o prefeito Fernando Haddad deixado nu, lançado à sua própria sorte, a presidente Dilma Rousseff reunia-se com o seu inventor Lula, o marqueteiro João Santana, o ministro Aloizio Mercadante e Rui Falcão.

Na pauta, o PT e a manutenção do poder depois do estouro da boiada – da qual eles se imaginavam donos – falavam mais alto do que o País.

O petista Haddad abrigou-se ao lado do tucano Geraldo Alckmin e, juntos, anunciaram a suspensão do reajuste das tarifas de ônibus, metrô e trens. No dia seguinte, quinta-feira, ambos colheram uma manifestação em paz, que ocupou toda a Avenida Paulista.

Dilma só falou ao País na sexta-feira, um dia depois de a “pequena minoria” – esse pleonasmo que deixou rastros de destruição em dezenas de centros urbanos – fazer estragos diante de seus olhos, importunando-a no Palácio do Planalto, ameaçando o Congresso Nacional, ateando fogo e quebrando os vidros do Palácio do Itamaraty.

Seu pronunciamento foi correto no tom, medido, bem escrito. João Santana teria acertado em tudo, não fosse o deslize costumeiro de, mais uma vez, colocar o PT antes do País; de anunciar um pacto nacional com a pauta da campanha eleitoral já desenhada para 2014. De amenizar, mas não eliminar a soberba.

Mary Zaidan é jornalista. Trabalhou nos jornais O Globo e O Estado de S. Paulo, em Brasília. Foi assessora de imprensa do governador Mario Covas em duas campanhas e ao longo de todo o seu período no Palácio dos Bandeirantes. Há cinco anos coordena o atendimento da área pública da agência ‘Lu Fernandes Comunicação e Imprensa’. Escreve aqui aos domingos. @maryzaidan


13 comentários

  1. Palpiteiro
    domingo, 23 de junho de 2013 – 21:12 hs

    Onde está Lula, o exterminador do futuro do Brasil? O enganador-mór do pais? O que nunca sabe nada? Será uma recidiva?

  2. Max
    domingo, 23 de junho de 2013 – 21:39 hs

    Mary Zaidan faz uma análise com precisão cirúrgica do PT , como sempre brilhante.

    Será que os PETRALHAS vão entender o texto ? Duvido , se até agora não entenderam as manifestações mostrando o descontentamento do povo.
    Até porque o PT está acostumado a pagar militontos e bandidos para agir geralmente violentamente então fica muito difícil entender que as pessoas por vontade própria sem $$$ possam se manifestar

  3. Beleza de Casa, Hein Priscila?
    domingo, 23 de junho de 2013 – 21:51 hs

    Mary Zaidan, meus parabéns. Sua capacidade de deixar a petezada nua perante o Brasil toda semana, é fenomenal! – Embora isso possa ser perigoso. –
    Por muito menos, e sem ter nada a ver com o peixe, a matilha petista perseguiu do primeiro ao último minuto aqui no Brasil, a indefesa Yoani Sánchez, que nada de mais fez, que deixar também, Fidel e seu bando nus, lá na sua ilha da fantasia.
    Lembre-se do Leito de Procusto! – Cuide-se!

  4. Jose Luiz
    domingo, 23 de junho de 2013 – 23:11 hs

    Pois é, fiquei me perguntando… “Onde foi que enfiaram as bandeiras com estrelas que se via em todas as manifestações?”

  5. VISIONÁRIO
    segunda-feira, 24 de junho de 2013 – 6:42 hs

    No auge da minha indignação escrevi diversas vezes neste blog a respeito do marasmo do povo brasileiro em comparação aos outros países onde independente dos motivos a contestação faz parte da
    massa. Hoje ao fazer parte desta imensidão de brasileiros até que
    enfim senti ORGULHO DE SER BRASILEIRO. Estar na rua, gritar
    até ficar afonico, colocar a minha convicção contra este governo corrupto juntamente com outros compatriotas me oxigenou o cérebro
    novamente. Tenho fé que este país realmente “tem jeito” e depende
    de nós e não dos políticos…

  6. juscelino
    segunda-feira, 24 de junho de 2013 – 8:06 hs

    Não e de agora que o PT afastou-se das massas, já esta ha tempos fora de sintonia com a população, se curvando diante de politicas outrora condenada pelos mesmo PT, aliou-se e fez conchavos com políticos da pior qualidade, desonestos, corruptos, e como não poderia ser diferente, contaminou-se por completo, o que no passado era quase impossível achar nos outros paridos (políticos honestos e comprometidos com as massas), hoje já podemos falar sem medo de errar, não se encontra político em todos os partidos indistintamente, que pensam no bem estar da população, são todos farinha do mesmo saco, só pensam em si, esquecendo-se que são sustentados pelos cidadãos que pagam os impostos e não tem retorno que deveriam.

  7. Felipe
    segunda-feira, 24 de junho de 2013 – 8:29 hs

    Parabéns pelo texto, realmente a glória do pt acabaou, agora é o começo do fim.

  8. Do Interior....
    segunda-feira, 24 de junho de 2013 – 8:47 hs

    Não é mortal Mary!.O PT está longe porque está morto faz tempo. Morreu quando abandonou o discurso (só o discurso) da ética e se abraçou com a mentira.

    Por falar em mentira, o que está acontecendo com o PT e a classe política, é o que acontece com quem mente: vai se isolando em uma ilha, pintando um Brasil maravilha que não existe e, naturalmente, afastando-se do povo que é a vontade popular que os colocou no poder.

    É a farsa da mentira, do ilusionismo. Finge-se que está tudo bem, com discursos mentirosos como de de Rui Falcão, da presidente e de todos que a cercam. É Um lamaçal de mentiras que leva à destruição destas próprias pessoas e do país se estiverem no poder.

    Mary disse bem! O PT tem o mal de se colocar antes do país. Essa atitudo é a mesma de outros conhecidos regimes: Hitler, Sadamm, Venezuela, etc…

    Que saudade da democracia! Que saudade de FHC que planejava e tomava as atitudes a favor do país e não da reeleição!….

  9. Cidadão Indignado
    segunda-feira, 24 de junho de 2013 – 8:59 hs

    O melhor de tudo é poder falar em alto e bom som, o que estava guardado a mais de 10 anos……..FORA PT, FORA PT…….. vão para Cuba, Venezuela ou qualquer País que vocês julgam de 1º mundo.

  10. CARUNCHO
    segunda-feira, 24 de junho de 2013 – 9:14 hs

    O PT JÁ ESTÁ MORTO,SÓ FALTA SEPULTAR,O QUE SERÁ FEITO NAS ELEIÇÕES DE OUTUBRO. FORA DILMA,FORA GLEISE E TAMBEM FORA BETO RICHA,ESSA CAMBADA VAI SABER QUEM MANDA NO PAÍS EM OUTUBRO DE 2014.EM 2016 VAMOS TIRAR TAMBEM O GUSTAVO FRUET.

  11. segunda-feira, 24 de junho de 2013 – 9:14 hs

    O PT,nao tem como dizer mais nada ao Povo.Acabaram com as finanças , do Brasil,se afastaram do povo e se ligaram as grandes empreiteiras,ricos e ladroes.

  12. claudio
    segunda-feira, 24 de junho de 2013 – 10:28 hs

    O povo não quiz o PT nas manifestações, nem o PSOL, nem o PSDB, nem o PSD, nem nehum P, de partido e de político. A pesquisa IBOPE mostrou que a instisfação é geral, não é só contra a Dilma ou o PT, mas contra os desmandos políticos como um todo. Roubalheira em todos os níveis, desvios de verbas da saúde, educação e segurança, altas taxas e juros, obras paradas, falta de atenção básica à população em todas as cidades, grandes e pequenas, e isso não é de hoje. Portanto, temos que observar o seguinte: existem senadores, deputados federais, governadores, deputados estaduais, prefeitos e vereadores, ninguém, de nenhum partido se ateve a tal manifestação, e mais, nenhum partido e nehum político colocou uma proposta viável até o momento, deixando tudo por conta do governo federal e da presidente.
    Essa apatia, ou medo dos políticos em se envolver não deixa de ser um reflexo da culpa que todos tem pela atual situação. Mas atenção políticos de carteirinha, as eleições estão ai, 2014 e 2016, as respostas começarão a ser dadas. Aproveitem essa oportunidade e mostrem comprometimento com a população, não só apoiando com belas palavras, mas atuando diretamente em projetos que levem melhorias a todos, sem distinção. Esqueçam as divergências políticas partidárias, siglas e nomes, façam pelo povo que foi ou não para as ruas.

  13. Mr.Scrooge
    segunda-feira, 24 de junho de 2013 – 18:09 hs

    Agora é fácil desmascarar o pestismo, só não enxergava quem não queria, o companheiro 51 só não foi canonizado ainda porque não existe santo vivo. E a mãe do PAC, agora querem o couro dela. Vamos ver se tanta indignação vira o ano, e em 2014 os manifestantes de hoje mostram a indignação nas urnas. Nas eleições de 2010, se alguém ainda se lembra, os deputados ladroes pegos na roubalheira da Alep, denunciados pelos tais Diários Secretos foram todos reeleitos.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*