Milhares vão às ruas em Assunção e gritam 'o Paraguai despertou' | Fábio Campana

Milhares vão às ruas
em Assunção e gritam
‘o Paraguai despertou’

Da EFE, em Assunção:

Milhares de pessoas participaram nesta sexta-feira (21) em Assunção de uma manifestação “por um Paraguai melhor”. Tal como ocorre há duas semanas no vizinho Brasil, o ato paraguaio foi convocado com um caráter “pacífico” e por meio das redes sociais, de acordo com a mídia local.

O chamado ao protesto levava o lema “Por um Paraguai melhor” e um texto que criticava o recente aumento aprovado pelos deputados das próprias aposentadorias, assim como o adiamento da votação de um projeto relativo ao transporte público para a cidade de Assunção.

No Brasil, a atual onda de protesto teve origem na maior cidade do país, São Paulo, e por conta de uma causa ligada ao transporte público, o aumento da tarifa de ônibus em R$ 0,20.

Os manifestantes –entre 2.000 e 3.000, conforme a mídia paraguaia– se reuniram na praça das Armas, a poucos metros do Congresso, sob baixas temperaturas, e caminharam rumo ao Panteão dos Heróis Nacionais. Policiais acompanharam toda a movimentação, porém não houve confronto. Durante o percurso, gritavam aos ônibus: “ferro-velho! Queremos Metrobus!”

Milhares de paraguaios protestam contra corrupção em frente ao Congresso paraguaio, em Assunção Leia mais
Também entoaram frases como: “O Paraguai despertou! O que aconteceu em Curuguaty?”, em referência a um massacre de seis policiais e 11 trabalhadores rurais em junho de 2012 durante a integração de posse de terrenos ocupados pelos “sem-terra” como protesto pela reforma agrária.

Entre os manifestantes havia estudantis, políticos locais, ativistas e “todo tipo de pessoa” que se revezavam em discursos e pronunciamentos aos presentes, relata a agência de notícias Efe.

Muitos jovens foram à marcha usando a máscara do filme “V de Vingança” que faz alusão a Guy Fawkes, um britânico católico do século 17 que tentou explodir o Parlamento da Inglaterra.

O símbolo surge com frequência nas manifestações que têm ocorrido em todo o Brasil e foi herdado de outros movimentos, como o dos Indignados, na Espanha, e dos Anonymous, um grupo hacker que ganhou fama por atacar empresas e por defender o ativista Julian Assange, fundador do site WikiLeaks.

INFLUÊNCIA

Kattia González, presidente da Coordenação dos Advogados do Paraguai, uma das organizações responsáveis pela convocatória, um dos objetivos era exigir que a agenda parlamentar esteja segundo anseios populares. “Hoje temos uma agenda que prioriza coisas que são uma agressão ao Paraguai, por exemplo, [os deputados] aumentaram suas aposentadorias ao invés de votarem o projeto do Metrobus. Mas esse não é o único motivo, cada um tem o seu”, afirmou.

González afirmou à Efe que vê influência do movimento no Brasil. “Acho que o exemplo dos brasileiros nos influenciou, por que eles sim e nós não?”

Graciela Ramírez, 69, disse que foi se manifestar contra “as coisas ruins” que os congressistas estão fazendo. “Quero a modernização do transporte público.”

Samsara, uma paraguaia de 22 anos que acaba de retornar ao país com sua família após residir na Espanha por oito anos, afirmou estar “cansada da corrupção de políticos que roubam todos os dias”. “Isso me lembra os protestos que ocorreram em Madri, é uma revolução que está ocorrendo por todos os lados e, sobretudo, é preciso fazê-la no Paraguai que é o segundo país mais corrupto do mundo. Somos os indignados paraguaios.”


9 comentários

  1. Stroessner
    sábado, 22 de junho de 2013 – 21:55 hs

    É uma reação em cadeia – os nosso vizinhos sofrem desde a Guerra do Paraguai com uma corrupção igual ou maior que a nossa. Espero que sejam bem sucedidos e que também obtenham êxito pois a desigualdade social e econômica é enorme. A vantagem deles é que não estão gastando em estádios para a Copa.

  2. carlos a.r.
    domingo, 23 de junho de 2013 – 0:15 hs

    Lá tambem tem trouxas.Votam mal e depois querem reclamar.

  3. Andre
    domingo, 23 de junho de 2013 – 2:44 hs

    A onda de protestos começou em Porto Alegre, e não em São Paulo como referenciado no texto.

  4. SIEGMUND FREUD
    domingo, 23 de junho de 2013 – 8:24 hs

    FALSO! A “ONDA DE PROTESTOS” COMEÇOU COM A MARCHA DA MACONHA BARBARAMENTE TORTURADA NA AV.PAULISTA PELO MAIS CRASSO PSEUDOPOLÍTICO BRASILEIRO, O ATUAL DESGOVERNADOR DE SP GERALDO ALCKMIN! FOI ESTE O PRIMEIRÍSSIMO MOTE, UMA VEZ QUE SOMENTE MACONHEIROS É QUE, JUNTO COM REPÓRTERES DA FOLHA DE SÃO PAULO, FORAM VIOLENTAMENTE PERSEGUIDOS E TORTURADOS EM VIA PÚBLICA! HOUVE UM DESPERTAR – CONSCIENTE OU INCONSCIENTEMENTE – DE TODOS!

  5. domingo, 23 de junho de 2013 – 10:43 hs

    je ne sais plus si c’est le printemps ou l’hiver en Amérique latine, mais c’est sur que l’Amérique se révolte en masse et c’est bien

  6. Democrático
    domingo, 23 de junho de 2013 – 12:05 hs

    Carlos a.r., quem vota não pode reclamar? Tá com saudade dos milicos?

  7. Diomar Campos
    domingo, 23 de junho de 2013 – 15:44 hs

    O grande culpado pela miséria no Paraguay é o Brasil, isso é inegavel…

  8. Albert
    domingo, 23 de junho de 2013 – 19:25 hs

    Paraguaios, Bolivianos, Venezuelanos, Brasileiros, têm uma coisa em comum. Governos, que conseguiram comprar o povo humilde com promessas, bolsa disso e daquilo, minha casa minha dívida, agora a bolsa eletrodomésticos. Onde estão nossos representantes prá esclarecer toda essa enganação. Vocês vão esperar até as eleições?

  9. cesar de barraquinha
    domingo, 23 de junho de 2013 – 20:57 hs

    Me diz carlos a. r., em quem voce votou??? Achou que votou bem???
    Eu conheço em quem eu votei e votei bem. obrigado.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*