Aloizio Mercadante, Primeiro-Ministro | Fábio Campana

Aloizio Mercadante,
Primeiro-Ministro

Figura de proa do governo Dilma nos últimos meses, Mercadante extrapola suas funções na Educação e é cotado para ocupar vaga de Gleisi Hoffmann na Casa Civil

Cotado para assumir a Casa Civil do governo Dilma Rousseff, o ministro Aloizio Mercadante (Educação) fincou os pés no Palácio do Planalto. À frente da articulação política em resposta aos protestos de rua, liderou reuniões, negociou com aliados e assumiu até as vezes de porta-voz, ofuscando as ministras Gleisi Hoffmann (Casa Civil) e Ideli Salvatti (Relações Institucionais).

Tamanha influência rendeu-lhe o apelido de “clínico-geral da União”. Por sua presença ostensiva, foi responsabilizado por êxitos e dissabores da semana.

Foi ele que participou, na terça-feira, da reunião entre a presidente Dilma Rousseff e o vice-presidente Michel Temer, que ficou contrariado por não ter sido consultado previamente sobre a proposta de Dilma de sugerir uma assembleia constituinte para realizar a reforma política. Gleisi não estava lá. Ideli chegou no final.

Na quinta-feira, Mercadante participou das reuniões com líderes governistas para desenhar a estratégia de um plebiscito sobre reforma política. Também sem Gleisi.

Embora o ministro repita que agiu excepcionalmente, sua ascensão alimentou rumores de que está prestes a ocupar a cadeira de Gleisi e já produziu tremores na base governista.

Líderes atribuem a Mercadante o desenho da malsucedida proposta de constituinte. Também afirmam que foi dele a ideia de cancelar uma reunião com deputados em retaliação às críticas à proposta de plebiscito sobre a reforma. Duas horas depois, a audiência foi reagendada.

Segundo peemedebistas, Temer se queixou por duas vezes da condução política atribuída a Mercadante. Por não ter sido consultado sobre a ideia de uma constituinte e pelo desfecho considerado insatisfatório de uma reunião de deputados na residência oficial do presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN).

Na quarta-feira, Temer telefonou para Mercadante relatando a reunião em que parlamentares de diferentes siglas, inclusive do PT, expuseram restrições à proposta do plebiscito.

Contrariado, Mercadante procurou o presidente do PT, Rui Falcão, para reclamar da participação do líder do PT na Câmara, José Guimarães (CE), no encontro.

IRREVOGÁVEL

Outro que tem reclamado de Mercadante é o senador José Sarney (PMDB-AP). Em 2009, após uma operação do governo que livrou Sarney de um processo de cassação, Mercadante disse que deixaria a liderança do PT no Senado, função que ocupava, em “caráter irrevogável”. Não renunciou.

Desde então, Sarney tem Mercadante como um desafeto. O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), também guarda na memória os discursos feitos pelo petista em 2007, quando defendia que ele deixasse o comando da Casa devido a acusações de irregularidades.

O principal consultor de Dilma enfrenta resistência até no PT. Um episódio clássico narrado por petistas é o diálogo travado entre Mercadante e o então candidato Luiz Inácio Lula da Silva logo após a derrota para Fernando Henrique Cardoso na corrida presidencial de 1994.

Vice na chapa de Lula para a Presidência, Mercadante teria lamentado sua sorte para o companheiro minutos depois de oficializada a vitória de FHC. Não ocupou um ministério nos oito anos do governo Lula.


13 comentários

  1. obs do planalto
    domingo, 30 de junho de 2013 – 8:17 hs

    Dilma precisa de alguém com posturas assim mesmo.

    Não de marionetes subservientes.

  2. Vigilante do Portão
    domingo, 30 de junho de 2013 – 8:38 hs

    É o final dos tempos.

    Faltam quadros competentes no país.

    Resultado do “aparelhamento” do Estado Brasileiro.

  3. Sergio silvestre
    domingo, 30 de junho de 2013 – 9:36 hs

    Tanto lá cmo cá,estão vendendo os tacos de golfe para pagar as raquetes de tenis.Ressussitaram o Mercadanta lá,e o Ezequias aqui.
    Na verdade para ser politico deveria passar por uma universidade euns 10 anos de regime probatório.

  4. SOLANGE LOPES
    domingo, 30 de junho de 2013 – 11:03 hs

    Será que por trás disso tudo não existe um amor platônico?

  5. verdades
    domingo, 30 de junho de 2013 – 11:16 hs

    A GLEISE NAO CONSEGUE SER SECRETARIA DA DILMA ,E QUER GOVERNAR O PARANA . DE PT CHEGA A VICE DE CURITIBA A MIRIAM QUE E SO BURGUESIA

  6. A Sociedade Responde
    domingo, 30 de junho de 2013 – 13:04 hs

    Concordo com o comentário do Silvestre: para ser político teria que passar sim por formação específica universitária para conhecer os problemas do país e do Estado a que vai representar.

    Chega de políticos carreiristas de rabo felpudo que estão “trabalhando” o atraso do país e não é de hoje.

    Mais de UM TRILHÃO DE REAIS em impostos por ano e o país está nesse verdadeiro caos em que a SOCIEDADE DECENTE tem que ir às ruas para dar um basta.

    E os tais não ficam nem vermelhos, acostumados que estão com a malandragem da hora. MUDA BRASIL!

  7. Parreiras Rodrigues
    domingo, 30 de junho de 2013 – 16:18 hs

    Dilma é presidente avalizada pelo Lula. Ele endossou, garantiu essa promissória. Muito vivaldino, sabia que se indicasse ou apoiasse algum nome com maior densidade dentro do partido, corria o risco de ver esse nome crescer, tomar gosto pelo cargo e dificultar-lhe a volta.
    Fica nos bastidores mexendo com os pauzinhos.
    Nesse exato momento, racha o bico de rir da situação em que se encontra o Poste e já se imagina presidente – como se não fosse.
    Um baita dum trapaceiro. O Brasil, ora o Brasil, que se lasque todo…pensa.

  8. Gardel
    domingo, 30 de junho de 2013 – 16:35 hs

    Mercadante Russef esta no comando do Brasil, o mesmo que afirmou por ocasião do Plano Real, que tudo isso era enganação.

  9. Diego
    domingo, 30 de junho de 2013 – 17:07 hs

    Fico com o Ciro Gomes: “A Gleisi é muito fraquinha”.

    O pior de tudo é que a bomba pode ficar com a gente aqui no Paraná. Rostinho bonito aqui nessas terras já se elegeu Senador e tem 30% de intenção pro governo..

    Só povo ignorante vota em rostinho bonito!!!

  10. Lucas
    domingo, 30 de junho de 2013 – 21:11 hs

    Para vocês verem a importância que a Educação tem para o governo petista.
    O ministro abandona a pasta e vai ser aspone de campanha, e acham tudo normal.

  11. CARUNCHO
    domingo, 30 de junho de 2013 – 21:13 hs

    QUANDO O MERCANTANTE CHEGA A SER COMPARADO A 1º MINISTRO E EZEQUIAS É NOMEADO SECRETÁRIO,TÁ NA HORA DE GRITAR : PARA O MUNDO QUE EU QUERO DESCER.

  12. Roberto Santos
    domingo, 30 de junho de 2013 – 22:10 hs

    Êste cara tenta ser o mestra da Bateria no PT, Partido dos Trambiqueiros, mas com turma do surdo e reco reco (Lula & Cia)desafinando, a Dilma de Baiana, os mensaleiros de abra alas a porrada em 2014 vai ser muito forte.Estamos de “ôlho” neste pessoal.Sai ratarada.

  13. VISIONÁRIO
    segunda-feira, 1 de julho de 2013 – 6:27 hs

    Para ser o “clínico geral” do Planalto não precisa nem fazer medicina..

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*