Foi tiro no 3º andar do Palácio Iguaçu | Fábio Campana

Foi tiro no 3º andar
do Palácio Iguaçu

O Instituto de Criminalística acaba de revelar que o vidro do 3º andar do Palácio Iguaçu, durante a primeira manifestação, foi quebrado com um tiro, o que agrava a responsabilidade dos manifestantes presos no quebra-quebra.


11 comentários

  1. historiador
    sexta-feira, 21 de junho de 2013 – 19:24 hs

    assim NÃO !

  2. historiador
    sexta-feira, 21 de junho de 2013 – 19:39 hs

    Fábio, as pessoas com quem conversei sobre as manifestações, estão umas a favor outras contra, os de mais idade não são muito a favor, são mais conservadores e mais preocupados com os rumos negativos que pode tomar se se perder o controle. Agora, quanto às depredações, violência, jogar bomba caseira, coquetel molotov, atear fogo, SÃO TODOS CONTRA. A Polícia pode prender os baderneiros tranquilo que os cidadãos entendem.

  3. Pedro Rocha
    sexta-feira, 21 de junho de 2013 – 20:06 hs

    Isso é coisa de bandido! E ainda há quem me aporrinhe quando critico a violência contida nessa baderna.

  4. Vigilante do Portão
    sexta-feira, 21 de junho de 2013 – 21:23 hs

    Tiro?

    De Dentro para fora?

  5. Analista
    sexta-feira, 21 de junho de 2013 – 21:37 hs

    Tiro e bomba já é terrorismo e isso é intolerável e a Policia tem que ter tolerância zero. A maioria é da paz e luta pela democracia. Os participantes tem a obrigação de ajudar a policia prender e identificar estes espíritos de porcos que sempre se infiltram.
    A Dilma devia reconhecer que boa parte desta marginalidade existe, porque nada foi feito de efetivo e com a seriedade que a questão merece, sobre o tráfico trancando as fronteiras por onde a droga entra, o contrabando de armas e principalmente a esta verdadeira fábrica de marginais que vem do consumo de craque, abertamente prático pelos jovens nas ruas e praças. Ou seja, o governo deveria reconhecer que boa parte da marginalidade que nos ataca diariamente assaltando pessoas, estabelecimentos, surgiu e vem aumentando pela omissão dos governos. Façam a mea-culpa e coloquem mãos a obra para extinguir AS CAUSAS DESTA VIOLENCIA.
    MAIS EDUCAÇÃO – TOLERANCIA ZERO COM A CORRUPÇÃO.

  6. sergio silvestre
    sexta-feira, 21 de junho de 2013 – 22:16 hs

    Me parece que muitos querem uma revolução.Então se soltar o cavalo chucro numa sala de cristais,com certeza vai quebrar bastante.

  7. CARUNCHO
    sexta-feira, 21 de junho de 2013 – 22:31 hs

    A PERICIA DIZ SE FOI DE DENTRO PARA FORA OU DE FORA PARA DENTRO ?

  8. M.A.S
    sábado, 22 de junho de 2013 – 0:27 hs

    Manifestação é manifestação.
    Desordem é desordem e bagunça e destruição é outra coisa e merece ser tratado com porrada e cana para quem quiser ou pretender andar no gume da navalha.
    O país está prestes a passar por uma transformação jamais vista na história, pois as pessoas de cabeça, conseguiram entender, que estávamos vivendo numa democracia disfarçada com cabestro, onde somos obrigados a pagar os mais caros e altos impostos do planeta, para sustentar uma máquina que lesa qualquer um, que rouba, que desvia e que seus gestores não são responsabilizados por isso.
    De um Judiciário omisso e de juízes que vendem descancaradamente os resultados dos processos propiciando à aqueles que pagam mais.
    Vejam por exemplo, um presidente é denunciado por um crime de uso indevido e desvio de dinheiro, condenado e ninguém fica sabendo, em virtude de termos uma imprensa faxista e nojenta que protege interesses em troca de verbas publicitárias, jogando contra a nação e pousando de mediadora nas horas difíceis.
    Chegou a hora, dela dizer de fato de que lado está, pois caso escolha o lado errado, pagará caro pelo fato de ter esses anos todos omitido as verdadeiras notícias.

  9. M.A.S
    sábado, 22 de junho de 2013 – 0:46 hs

    Tolerância zero com aqueles que cometem crime.
    Mão pesada como fizeram em outros países que hoje são exemplos de respeito e cidadania, que ladrão nenhum pensa em por em prática suas ações.

    Exemplo da Indonésia, que suas cadeias eram lotadas de assassinos e ladrões e hoje, quase não existe mais presos.
    O país mantém no corredor da morte cerca de 30 estrangeiros – entre eles, mais um brasileiro, o paranaense Rodrigo Muxfeldt Gularte, preso também por tráfico de drogas, mas ainda sem morte anunciada. A última execução na Indonésia ocorreu em 2008

    A Indonésia confirmou a execução do brasileiro Marco Archer Cardoso Moreira, condenado à morte por tráfico internacional de drogas em 2004. O procurador Andi Konggoasa anunciou que Marco, natural do Amazonas, será morto por fuzilamento ainda nas próximas semanas, junto a outros dois estrangeiros. De acordo com o site amazonense D24, ele será o primeiro brasileiro executado por outro país, além de o primeiro ocidental a ser morto a mando do governo indonésio.

    O brasileiro foi preso em 2003 ao tentar entrar com 13,4 kg de cocaína no aeroporto da capital Jacarta. No ano seguinte, foi condenado à morte pelo país. A Indonésia adota a pena de morte por tráfico de drogas desde 1997, a exemplo de outros países do Sudeste Asiático, como Tailândia, Malásia, Cingapura e Filipinas.

    O brasileiro foi preso em 2003 ao tentar entrar com 13,4 kg de cocaína no aeroporto da capital Jacarta. No ano seguinte, foi condenado à morte pelo país. A Indonésia adota a pena de morte por tráfico de drogas desde 1997, a exemplo de outros países do Sudeste Asiático, como Tailândia, Malásia, Cingapura e Filipinas.

    Segundo governo da Indonésia, os três prisioneiros fizeram seus pedidos finais. Marco escolheu uma garrafa do uísque Chivas Label, e os outros dois pediram um encontro com a família.

    Pena de morte, temos que discutir, pois do jeito que está, não dá mais, nossas cadeias superlotadas e nós, pagando para eles viverem amontoados e tramando seu próximo golpe quando de lá sairem, pois as leis mais os beneficiam do que nos protegem .

  10. Mr.Scrooge
    sábado, 22 de junho de 2013 – 9:35 hs

    A tigrada perdeu a pista, e partiu para a ignorância. Depois ficamos chateados quando os italianos querem dar no pé. Só fico imaginando o que estão dizendo de nós no Exterior, o gigante macaco acordou, e agora está quebrando toda a loja de louças.

  11. Victorino Fávero
    sábado, 22 de junho de 2013 – 14:58 hs

    Existem baderneiros em grande número por que a Lei, não só paras eles, é muita branda e ficam pouco tempo presos.
    A ninguém está sendo obrigdado reparar os danos (de forma geral), causados às vítimas Civis ou Governamentais, portando, como não dá nada, é o que leva ao vandalismo e outros crimes.
    MUNHA VISÃO

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*