Fidelidade partidária virou letra morta | Fábio Campana

Fidelidade partidária
virou letra morta

Ilimar Franco, O Globo

O TSE liquidou com a lei da fidelidade partidária. Desde 2007, o tribunal recebeu 51 casos de deputados federais e três de senadores que mudaram de partido. Das 51 ações, 39 delas foram arquivadas, beneficiando o parlamentar infiel. No caso dos senadores, todos saíram ganhando, mantendo seus mandatos.

Estão tramitando no TSE outras 12 ações de deputados, sem prazo para conclusão. Apenas um deputado até hoje teve o mandato cassado pelo tribunal por infidelidade partidária. Foi Walter Brito (PB), que trocou o DEM pelo PRB. A fidelidade virou lei a partir de resposta do TSE à consulta do DEM.


4 comentários

  1. Pedro Rocha
    domingo, 9 de junho de 2013 – 20:09 hs

    Pessoalmente discordo dessa lei. Considero que o MANDATO pertence ao POLÍTICO. Um voto bem estruturado, é feito no homem e não no partido! – Especialmente nesse simulacro democrático que vivemos! – Conforme a lei, o cara não pode sair, por exemplo, do petê, mesmo sabendo de todas as roubalheiras e crimes cometidos pelo partido, pois se sair, perderá seu mandato. Isso é um absurdo!
    O QUE PRECISA ACABAR TAMBÉM, E JÁ, É COM AQUELA SACANAGEM CHAMADA VOTO DE LEGENDA, onde um Tiririca da vida, elege um monte de gente sem votos, com o que lhe sobrou nas urnas. Isso é uma vergonha!
    Só mesmo ideologias retrógradas e idiotizantes como petê, pcb pcdb, psol e outras sacanagem que vicejam por aí, têm a pretensão de aliar o voto ao partido; pratica muito usada nos buracos onde se espelham, como Cuba; Coréia; Venezuela etc etc etc

  2. Albert
    domingo, 9 de junho de 2013 – 20:11 hs

    Estamos chegando lá. A hora que a Justiça não vale mais nada, estamos perto do fim. Fim das esperanças. O que dizer desses coitados assassinos, que somente fazem o que aprenderam para sobreviver. Cada um comercializa aquilo que tem na mão. Uns tem a caneta, outros tem armas. Salve-se quem puder. Onde chegamos!

  3. Pedro Rocha
    segunda-feira, 10 de junho de 2013 – 1:11 hs

    Aliás o petismo safado, vira e mexe, volta com a proposta do VOTO EM LISTA, esse atentado à DEMOCRACIA, onde o eleitor não votaria num candidato, mas numa lista.
    Seu candidato estaria supostamente na lista do petê, do psdb, do psol, etc etc.Você vota no partido.
    O resto deixa que ele faz…
    E eles colocariam lá o nome que melhor lhes aprouvesse, e na posição que mais lhes conviesse! –
    Quer votar numa lista? Quer? – Então continue apoiando o comunopetismo…

  4. VISIONÁRIO
    segunda-feira, 10 de junho de 2013 – 6:16 hs

    Com esta conduta do TSE de desmoralizar a Fidelidade Partidária
    este deveria mudar de nome:- Macaco de galho em galho !!!

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*