Dilma discutirá plebiscito com OAB, STF e Senado | Fábio Campana

Dilma discutirá plebiscito com OAB, STF e Senado

De Luci Ribeiro, Agência Estado:

Brasília – A presidente Dilma Rousseff dá continuidade nesta terça-feira, 25, às reuniões que têm realizado para ouvir setores da sociedade e adotar medidas que respondam às reivindicações das ruas. O primeiro compromisso de Dilma será com o presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Marcus Vinicius Furtado Coêlho, em reunião prevista para esta manhã.

A presidente deve conversar com Marcus Vinicius sobre a proposta de convocação de um plebiscito para instalar uma Assembleia Constituinte específica sobre reforma política. O plebiscito é um dos cinco pactos propostos nessa segunda, 24, por Dilma para tentar conter os protestos realizados no País.

Dilma também recebe o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Joaquim Barbosa, às 15 horas, e o presidente do Senado, Renan Calheiros, às 17h30. Nos dois encontros, o tema do plebiscito deve marcar as conversas.

Deputados, senadores e ministros do STF questionaram a viabilidade da realização de um plebiscito. Já o presidente da seccional de São Paulo da OAB, Marcos da Costa, foi receptivo à proposta.

Ainda nesta terça a presidente terá encontro com representantes de ‘Movimentos Urbanos’. A reunião está marcada para as 16h30. Todas as reuniões do dia ocorrerão no Palácio do Planalto.

Nessa segunda, 24, Dilma conversou com integrantes do Movimento Passe Livre (MPL), grupo que liderou os protestos na capital paulista. Após o encontro, o grupo avaliou que o governo não apresentou propostas concretas de melhorias do transporte público. Em seguida, Dilma reuniu-se com governadores dos Estados e prefeitos das capitais, quando apresentou os cinco pactos. Além da instalação da Constituinte, a presidente defendeu o combate à corrupção – que inclui a proposta de tipificar corrupção dolosa como crime hediondo -, investimentos em saúde, educação e transporte.


5 comentários

  1. Vigilante do Portão
    terça-feira, 25 de junho de 2013 – 11:28 hs

    Mais uma ENGANAçâo.

    Própria de quem não quer resolver NADA.

    É a cara da Dilma e do PT.

  2. Ary Bracarense Costa Junior
    terça-feira, 25 de junho de 2013 – 12:16 hs

    Salvo melhor Juízo, não há nada a comemorar.
    Os Royaltes do Petróleo seriam dividendos a serem partilhados com os Municípios Brasileiros. Agora o Governo Federal pretende retirar mais verba dos Municípios, centraliza mais verba na União. Para um Governo com focos constantes de “mal feitos” e máquina administrativa ineficiente era melhor deixar que cada Prefeito investisse naquilo que entendesse como prioridade na saúde e educação.
    Escolas e Hospitais brasileiros padrões “fifa” é o sonho de consumo de cada Brasileiro. Dinheiro tem à vontade. Não precisa tirar ainda mais dos Municípios que sequer conseguem pagar suas contas…Responsabilidade Fiscal já está na Lei, o que efetivamente precisa é gestão e responsabilidade moral.
    Trazer médicos de fora, sem hospitais, sem exames de especialidades, sem suporte para trabalho digno é trazer confeiteiro para fazer bolo sem fermento e farinha de trigo.
    Na forma pretendida, será mais um gargalho de desvio de verba pública mal aplicada e destinada apenas a gerar efeito nas palavras tendentes a minimizar o impacto desta nova Revolução de idéias.
    Ao contrário, de qualquer comemoração por este “pacto federativo” mal elaborado, tem que haver maior distribuição dos Recursos Centralizados na União. Nossa educação precisa de investimentos na base. Com maior remuneração ao Professor, construção de novas Escolas, e oportunidade de estágios e ensino profissionalizante aos nossos meninos do Brasil.
    Sabe-se que a Sra.Presidente queria destinar os Royaltes do Petróleo exclusivamente aos Estados produtivos.
    Por outro lado, aproveita momento delicado que vive o Brasil e mais uma vez, apenas propõe, jogando a responsabilidade para o Congresso Nacional para que se edite Leis tratando Corrupção como Crime Hediondo.
    Esqueceu-se de dizer que o chefe do maior esquema de corrupção do País ainda encontra-se fora das grades, com grande poderio de influenciar nas decisões deste Pais. Portanto, as lutas pelas mudanças continuam, chega de mentiras e discursos falaciosos. O Brasil precisa ser passado à limpo.

    Fica nosso breve registro.

    Ary Bracarense Costa Júnior

  3. Do Interior....
    terça-feira, 25 de junho de 2013 – 13:33 hs

    Dilma, não se faz honestidade com leis.
    Basta fazer mais e bravatar menos!

  4. Pedro Rocha
    terça-feira, 25 de junho de 2013 – 14:52 hs

    Que barriga, hein tia dilma? – Mais uma vez, fomos pras manchetes da imprensa mundial; como os reis da trapalhada!

  5. Marcos Leandro
    terça-feira, 25 de junho de 2013 – 19:03 hs

    O Brasil nao precisa de plebiscito , quem não sabe quais são as mazelas do País , apresente sim um planejamento , dizendo , VAMOS FAZER ISSO , mais algo real , construtivo , planejamento e ação , é isso que a sociedade quer , e esquecer por favor , a tratativa que se tem com a nossa nação , não somos um País de miseráveis , que distribuindo bolsa isso , bolsa aquilo , basta .
    Somos 200 milhões de Brasileiros que querem apenas o básico , boa escola , acesso a bom atendimento médico , segurança ,
    Nao se pode tratar assuntos importantes com remendos , cotas porque não conseguem fazer com que o ensino publico seja de qualidade , vamos importar médicos , sim , e que condições de trabalho será dada a eles ? a mesma que ai está?
    E trate a administração pública como se fosse privado , porque o privado estabelece metas , resultados , lucros e ai sim com o ” lucro” que significa gerir com eficiência os recursos públicos , se pode fazer um grande trabalho social , mais real , incluir não é alimentar , Bolsa Família tem que ser transitório , ou você acha que uma pessoa que vive uma vida toda de bolsa família atinge um objetivo minimo de realização pessoal .
    13 milhões de famílias vivendo de assistencialismo , é inoperância do Estado que não conseguiu incluir pelo menos uma parte destas famílias , no contexto da sociedade ,esse número deveria ser decrescente ano a ano , viverem a margem da sociedade , pode ter certeza que não dignifica ninguém.
    Vamos tratar o individuo com o respeito que ele merece , dando-lhe oportunidades ,

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*