Resultado do 1º tri indica: Dilma amargará 'pibinho' em 2013 | Fábio Campana

Resultado do 1º tri indica: Dilma amargará ‘pibinho’ em 2013

Talita Fernandes, VEJA Online

Depois de mais um resultado decepcionante do desempenho econômico do Brasil – o Produto Interno Bruto (PIB) do país cresceu apenas 0,6% no primeiro trimestre do ano -, a expectativa do governo para o crescimento da economia, de 3% ao final deste ano, fica cada vez mais distante.

O resultado do primeiro trimestre, informado ontem pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), ficou bem abaixo das estimativas de analistas, que previam alta entre 0,8% e 1% no período. O dado decepcionou o mercado e, segundo analistas ouvidos pelo site de VEJA, indica que a presidente Dilma Rousseff vai amargar um novo “.

Desde que assumiu o poder, em 2011, o melhor PIB obtido por Dilma foi o daquele ano, de 2,7%. Para analistas, os dados do primeiro trimestre indicam que a marca não será igualada em 2013.

Comenta Roberto Padovani, economista-chefe do Banco Votorantim: “Nós continuamos nos frustrando com a economia. É algo que aconteceu ao longo de todo o ano de 2012”.

Se o dado já veio ruim no começo do ano, a expectativa para os próximos trimestres não é muito animadora. Antes mesmo da divulgação do dado de hoje, a Tendências Consultoria – que apostava em alta de 0,8% no primeiro trimestre – trabalhava com projeções menores de crescimento para os demais trimestres do ano, uma média de 0,7%.

Após a divulgação do PIB, a economista-sócia da Tendências Alessandra Ribeiro já fala em crescimento próximo a 2,5% no ano. Para Padovani está cada vez mais difícil fazer um diagnóstico da economia. “Os dados econômicos têm sido muito instáveis”, afirma.

A economista do Santander Fernanda Consorte diz que a divulgação do PIB é ainda muito pior na “abertura dos dados”, ou seja, quando é observado o desempenho dos itens que compõem o PIB de forma mais detalhada. Ela explica que, ao analisar os componentes que formam o indicador, pode-se perceber que o crescimento ficou escorado no grande avanço da agropecuária, que subiu 9,7% na comparação com o último trimestre de 2012.

O resultado foi o melhor desde o segundo trimestre de 1998, quando o setor registrou expansão de 13,9%. Fernanda reforça que o resultado visto na agropecuária nos primeiros três meses do ano é pontual e não deve se repetir ao longo do ano. “Agropecuária não deve cair, mas também não vai crescer sempre a um ritmo de quase 10%”.


5 comentários

  1. Deutsch
    quinta-feira, 30 de maio de 2013 – 23:05 hs

    Pibinho com um governinho…Tudo a ver.

  2. Odorico
    sexta-feira, 31 de maio de 2013 – 6:06 hs

    Governo de faz de conta.

  3. VLemainski - Cascavel
    sexta-feira, 31 de maio de 2013 – 9:46 hs

    Uma economia escorada no setor primário é uma temeridade…

  4. Mané do sudoeste
    sexta-feira, 31 de maio de 2013 – 10:31 hs

    Grande novidade.Enquanto isso o Ministro Pinóchio da Fazenda,falou que é um número expressivo,grande,importante.Todo mercado financeiro entendeu, e já respondeu é claro negativamente.Enquanto isso caminha a humanidade.

  5. Parreiras Rodrigues
    sexta-feira, 31 de maio de 2013 – 11:47 hs

    Os conhecimentos na área da administração da dona Dilma Rousseff não são suficientes para gerenciar uma borracharia de beira de rodovia.
    E sua soberba no exercício dum cargo para o qual não dispõe de qualquer referência, começou quando exigiu ser chamada de presidentA.
    Estamos phodhidhos!

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*