Pedágio informa: já arrecadou R$ 10,5 bilhões no Paraná | Fábio Campana

Pedágio informa: já arrecadou R$ 10,5 bilhões no Paraná

Pasmem, senhores. A Associação Brasileira de Concessionárias de Rodovias (ABCR) divulgou em sua página, na internet, que o pedágio arrecadou no Paraná a bagatela de R$ 10.550.355.500,00 entre os anos de 1998 e 2012.

Se a arrecadação das concessionárias nesses últimos dez anos foi estratosférica, o mesmo não se pode dizer do volume de investimentos das pedagiadoras, que cresceram apenas 7,4%, chegando a R$ 300 milhões em 2012.

Já o valor arrecadado aumentou 279% no mesmo período, somando R$ 1,53 bilhão somente no ano passado.


11 comentários

  1. Pedro Rocha
    sexta-feira, 3 de maio de 2013 – 15:37 hs

    As empresas que exploram o pedágio em SC e algumas em SP, concedidas pelo petê, diga-se de passagem, cobram uma tarifa rasoável; que certamente cobrem seus custos, e sobra um belo superavit em caixa. Nada contra!
    Porém, o pedágio que é cobrado, especialmente aqui no Paraná. é um ROUBO! Um assalto a mão armada! –
    Todos os políticos, e demais envolvidos nessa roubalheira já deviam estar presos.
    Jaime Lerner, um homem com a sua história, manchou para sempre sua biografia, com essa história de pedágio. E com ele, tem muita gente graúda envolvida.
    Recuso-me a pagar esse roubo! – Quando vou pro litoral, desço e subo pela Graciosa. – Da última vezx que fui a Ponta Grossa, paguei R$30 reais de pedágio. Certamente gastei mais com pedágio do que com combustível. Um rouibo! Um roubo!

  2. Mr.Scrooge
    sexta-feira, 3 de maio de 2013 – 16:01 hs

    E daí, algum dos nossos empenhados deputados já fez um discurso irado lá na Casa do Povo contra as concessionarias? Talvez não porque hoje é sexta feira, e todos foram cuidar dos seus negócios, que não são iguais aos nossos, simples contribuintes e pagadores deste acinte chamado pedágio.

  3. Adilson
    sexta-feira, 3 de maio de 2013 – 16:30 hs

    mas que absurdo, e ainda dizem que o Requião era louco…
    ele é que estava certo ao abrir mais de 100 ações na justiça contra o pedágio

  4. Petrukio
    sexta-feira, 3 de maio de 2013 – 16:39 hs

    Obrigado, Jaime Lerner.

  5. sergio silvestre
    sexta-feira, 3 de maio de 2013 – 16:50 hs

    Se fosse fazer pontes,trincheiras e passagens por viadutos,mais duas pistas que vai e duas que vem,fariam todo o tál anel de integraçaõ,com estradas novas,ainda sobraria 1 bilhão e mais 7 anos para arrecadar.
    Essa estrada de Londrina a ourinhos onde se cobra 25 reais em pouco mais de 90 km não foi investido nem 10% do que arrecadam.

  6. loop
    sexta-feira, 3 de maio de 2013 – 20:30 hs

    “Ou o pedágio abaixa ou acaba”

  7. Vandixon Richard Delemos
    sexta-feira, 3 de maio de 2013 – 21:18 hs

    Acredito que o modelo de concessão de rodovias foi muito paternalista, com benefícios e financiamento com recursos públicos que não existem em outros países que adotam o modelo. Além da liberalidade de modificar as cláusulas contratuais no sentido de segurar o aumento das tarifas com a eliminação ou diminuição dos investimentos originalmente contratados no momento da licitação.

    Não faço parte das empresas concessionárias, do Governo do Estado ou da ABCR, aliás pouco uso as rodoviais concedidas. Sou apenas um cidadão que não concorda com distorções nos números que estão correndo com matérias e opiniões sobre as concessões de rodovias no Estado do Paraná e sobre os resultados financeiros das concessionárias. Entretanto, temos que fazer justiça aos números. Fui checar os relatórios financeiros da ABCR e aparentemente o raciocínio das matérias e opiniões não condiz com a realidade dos fatos.

    Coletando os números nos relatório financeiros da ABCR , podemos perceber que realmente houve uma arrecadação de R$ 10,5 bilhões por parte das concessionárias de rodovias no Paraná, mas também houve investimentos na ordem de 2,95 bilhões, cerca de 28% da receita arrecadada, muito mais que a média de investimentos nos orçamentos públicos municipais e estadual no Paraná (na ordem de 5% da receita). E também, se contarmos que a concessionárias pagaram ao governo, entre impostos e taxas pela concessão, cerca de R$ 2,13 bilhões, e que esses recursos poderiam ser revertidos em investimentos ao cidadão, o montante de recursos para investimentos pode subir para R$ 5,08 bilhões, cerca de 48% do arrecadado pelas concessionárias.

    E finalmente, é possível observar que as concessionárias começaram a ter lucro apenas em 2010, ou seja, trabalharam durante 12 anos com déficit em seus resultados financeiros. E o superávit acumulado até o momento, na ordem de R$ 676,5 milhões, corresponde a 6,4% de margem, um valor razoável para esse setor, semelhante aos índices médios da indústria e abaixo da área de telecomunicações, que gira ela ordem de 10% á 15%.

    Atenciosamente,

    Vandixon Richard Delemos | (41) 9929-2723
    GONÇALVES, OLIVEIRADIAS & ALCÂNTARA| ADVOGADOS ASSOCIADOS
    Rua Padre Anchieta, 214 – Bairro Mercês
    Cep 80410-030 – Curitiba – Paraná – Brasil
    +55 [41] 3016-6030 | http://www.godaa.com.br

  8. Deputado Cleiton Kielse
    sexta-feira, 3 de maio de 2013 – 22:23 hs

    Parabenizo a coragem deste jornalista, sabendo que já denunciei todos os proprietários das empresas de pedágio do anel de integração do Estado do Paraná por fraude, mudança contratual e com toda a certeza, alteração em dados contábeis os quais influenciam diretamente no equilíbrio econômico financeiro, sendo que os valores que eu levantei, contabilizados, as correções hoje passam de 20 Bilhões arrecadados contra menos de 03 (três) bilhões de investimentos em duplicações e recapeamentos, neste período de 15 anos em que eles são responsáveis.

    Citando apenas algumas contratações de consultorias que ultrapassam, por concessionária, 50 milhões ao ano, as quais não têm qualquer utilidade junto às estradas do Paraná, a não ser o desvio do dinheiro que deveria ser investido nas rodovias. Contabilizo mais de 5.300 mortes no anel de integração nestes últimos 15 anos e que, absurdamente esta em números crescentes todo o ano. Só no ano de 2012 morreram 853 pessoas inocentes nas rodovias pedagiadas, e que se estas estivessem duplicadas, conforme mandava a licitação original, com toda a certeza, não chegaria a 50 mortes. Por isso eu os chamo de “covardes e assassinos”.

  9. Anônimo
    sexta-feira, 3 de maio de 2013 – 23:20 hs

    ESTA FOI A BENDITA HERANÇA DO GOVERNO DO JAIMÃO. E TEM GENTI QUE GOSTA……………$$$$$$………

  10. Rudmar Luiz Pereira dos Santos
    domingo, 5 de maio de 2013 – 15:48 hs

    Parabéns também ao Excelentíssimo deputado Cleiton Kielse pelas igualmente destemidas denúncias que fez nesse sentido! Com poucas palavras forneceu um preciso e pavoroso diagnóstico da situação envolvendo as rodovias com pedágios no Estado do Paraná.

  11. Paulo
    domingo, 8 de junho de 2014 – 11:48 hs

    Tinha e que ver o quanto eles gastam em ” consultoria ” . O Reiquiao que informe os contratos ocultos que fez com as concessionárias .

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*