Mesmo proibidas, caxirolas começam a ser vendidas na próxima semana | Fábio Campana

Mesmo proibidas, caxirolas começam a ser vendidas na próxima semana

De Paula Pacheco, iG São Paulo:

A multinacional The Marketing Store, licenciada pela Fifa (Federação Internacional de Futebol) para produzir e vender a caxirola, vai manter os planos de comercializar o instrumento criado pelo músico Carlinhos Brown mesmo depois de o Comitê Organizador Local (COL) da Copa do Mundo de 2014 anunciar nesta segunda-feira (27) que não permitirá a entrada dos chocalhos nos estádios durante as partidas da Copa das Confederações. O campeonato começa em 15 de junho. A caxirola é uma espécie de versão nacional da vuvuzela, instrumento usado pela torcida durante a Copa do Mundo da África do Sul.

Segundo a empresa, as caxirolas estão em fase de produção e começarão a ser distribuídas para a venda no varejo a partir da próxima semana. A previsão inicial era que fossem produzidos no mínimo 10 milhões de chocalhos – para serem comercializados tanto na Copa das Confederações quanto na Copa do Mundo de 2014. Esse volume poderá chegar a 50 milhões de unidades, o que dependerá do interesse do torcedor. O preço oficial do produto é de R$ 29.

Por meio de nota, a The Marketing Store informa “que não há nenhuma resolução definitiva sobre a permissão do instrumento nos estádios durante a Copa das Confederações”. Ainda segundo a multinacional, “o assunto ainda está sendo discutido pela empresa e o governo. Vale reforçar que nenhuma decisão que venha a ser tomada retira do produto sua estratégia de distribuição, uma vez que a Caxirola será comercializada nas lojas oficiais da FIFA e no varejo.

Arma de protesto

A caxirola foi distribuída aos torcedores do clássico entre Bahia e Vitória no final de abril e serviu de arma durante protesto contra a arbitragem. Os chocalhos foram lançados no gramado da Arena Fonte Nova. A ideia naquela ocasião era que a partida servisse para testar a aceitação do produto. Depois da estreia desastrosa, a The Marketing Store tomou algumas medidas, como reduzir o peso da caxirola (inicialmente com cerca de 90 gramas) e tornar a alça do instrumento mais flexível, portanto, em tese, mais seguro.

Além de ser licenciada pela Fifa para fabricar as caxirolas, a The Marketing Store atende empresas como Ambev e McDonald’s por meio do desenvolvimento e fabricação de brindes.


3 comentários

  1. daniel
    terça-feira, 28 de maio de 2013 – 13:07 hs

    Por que temos q copiar o pior da Copa na Africa. Quase nao dava p ouvir a transmissao c aquele barulhao. Coisa do terceiro mundo.

  2. Fui II
    terça-feira, 28 de maio de 2013 – 16:11 hs

    Êta terceiromundão…..caxirola, Fuleco, pobre povo brasileiro, vamos engolindo besteirada dos estranjas…é o fim da picada

  3. Anônimo
    terça-feira, 28 de maio de 2013 – 18:10 hs

    Já não fazem copa do mundo como antigamente, futebol atualmente é mercantilismo puro !!! Saudosos os tempos que o grito da torcida era um dos protagonistas do espetáculo.

    Na copa da Africa vuvuzela, ponderando que por lá é hábito da cultura local nos estádios à tempos, no Brasil caxirolas, qual será o objeto de exploração e consumo na próxima copa na Russia??? Provavelmente a Treschotka. rsrsrsrsr….

    Enquanto isso a FIFA nada em dinheiro através da isenção de impostos, patrocinadores, licenciamento de produtos e participação de vendas.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*