Em apenas dois anos, Paraná reduziu 42% da mortalidade materna | Fábio Campana

Em apenas dois anos, Paraná reduziu 42% da mortalidade materna

O Paraná registrou nos últimos dois anos uma redução de 41.87% na mortalidade materna. Em dois anos, a redução foi maior do que nos últimos 20 anos. “Graças ao Programa Mãe Paranaense, podemos comemorar estes números que nos deixam orgulhosos. Estamos fazendo uma saúde pública que é exemplo para o País”,disse o governador Beto Richa durante o I Encontro Estadual da Rede Mãe Paranaense.

A mortalidade infantil no Paraná também caiu. Foi uma redução de 4% em 2012. Foram registrados 11,6 óbitos a cada mil nascidos vivos. A média nacional é de 15,6 a cada mil nascidos vivos. “E vamos avançar ainda mais, com investimentos vigorosos para levar às famílias paranaenses a saúde de qualidade que tanto merecem e precisam”, disse Richa.


2 comentários

  1. pereira vieira
    quarta-feira, 8 de maio de 2013 – 20:30 hs

    parabéns aos esforços do governo e sua equipe da secretaria de saúde; ações como essa colocam o paraná em destaque no cenário nacional. pelo menos não estamos vidas se perderem por falta de apoio do Estado; pena que não estou vendo outras manifestações pela belissima noticia. creio que se fosse uma matéria criticando o governador este espaço já estaria lotado de comentários. parabéns ao blogueiro

  2. QUESTIONADOR
    quinta-feira, 9 de maio de 2013 – 8:47 hs

    -Lemos tantas notícias desagradáveis em matéria de saúde, que quando aparece uma boa notícia, não damos importância.
    -E esta notícia é muito importante, apesar de ser obrigação do governo zelar pela saúde da população de seu estado, faz mais do que isso, superou índices nacionais.
    -Quero parabenizar o Governador do Estado do Paraná, Sr. Beto Richa, pelo resultado nos índices de melhora da sáude. Não é fácil retomar o investimento na saúde em pouco tempo, pois os resultados demoram a acontecer, mas se bem empregados, aparecerão logo!!!

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*