Mãe de Feliciano conta como praticava abortos no anos 70 | Fábio Campana

Mãe de Feliciano conta como praticava abortos no anos 70

Da Folha de S.Paulo:

Lúcia Maria Feliciano era uma doméstica de 20 anos, mãe solteira de um filho pequeno, e, segundo seu relato, realizava nos anos 70 abortos em mulheres mais novas em Orlândia (a 365 km de São Paulo).

Na época, mães levavam as filhas grávidas, a maioria adolescentes de 15 ou 16 anos, até sua casa, conta Lúcia, hoje com 59 anos e moradora da mesma cidade.

Seu passado de 40 anos atrás foi trazido a público pelo filho, o deputado Marco Feliciano (PSC), atual presidente da Comissão de Direitos Humanos da Câmara.

Criticado por declarações consideradas racistas e homofóbicas, o pastor Feliciano contou em entrevista à Folha e ao UOL que a mãe tinha uma pequena clínica de abortos. “Eu vi fetos serem arrancados de dentro de mulheres.” O pastor é contra a interrupção da gravidez até mesmo em vítimas de estupro, como permite a lei.

À Folha, Lúcia disse que o filho jamais viu um aborto feito por ela. Na época em que ela diz ter recebido as adolescentes, Feliciano era um recém-nascido.

Ela afirma que só atendeu casos de gravidez inicial, com 15 ou 20 dias de gestação. “Não tinha nada [de fetos].”

Longe de um ambiente esterilizado, como o de um hospital, a gravidez era interrompida com a ajuda de uma sonda, introduzida até o útero, e de uma mistura de pinga com arruda dada às jovens.

Em sua casa, em Orlândia, Lúcia em vários momentos interrompeu a entrevista para se dizer arrependida e que espera “o perdão de Deus”. Hoje ela é evangélica. Não permitiu que fosse fotografada nem falou sobre as polêmicas atuais do filho.

Antes de ficar grávida de Feliciano, seu único filho, Lúcia afirma ter se submetido a um aborto, aos 17 anos.

Ela estava com dois meses de gestação quando decidiu procurar “essas benzedeiras antigas”. Essa mulher, conta, lhe ensinou como interromper a gestação com uso de uma sonda, mais fina do que uma caneta, que era introduzida pela vagina até o útero.

Também tomou um “queimado”, como chama a bebida de pinga e folhas de arruda.

Lúcia começou ajudar outras mulheres a praticar abortos após ter sido procurada por mães de adolescentes grávidas, conforme relata. Diz ter interrompido a gestação de cinco ou seis jovens.

O aborto, que não era cobrado, segundo ela, demorava cerca de meia hora e não teria resultado em nenhuma complicação às jovens.

“Achei que estava ajudando alguém, mas estava é destruindo uma vida”, disse.

O filho só soube dos abortos, conta a aposentada, quando ele tinha dez anos. Quando perguntada se entende como é a realidade do aborto hoje no Brasil, Lúcia volta a dizer ser contra o ato.

“Não peço perdão a você ou ao Marquinho [como chama o filho], peço perdão a Deus e espero que ele me perdoe pelo o que eu fiz.”

Segundo estimativa de organizações feministas, são realizados cerca de 1 milhão de abortos clandestinos no país, anualmente, que resultam na morte de duas centenas de mulheres, em média.

Pela lei atual, o aborto só é permitido no Brasil em casos de estupro ou de risco para a vida da mãe.


16 comentários

  1. Anonimo
    quinta-feira, 4 de abril de 2013 – 12:37 hs

    Os filhos não tem culpa dos erros dos seus pais, o meu já foi até preso pela PF, e foi dos seus erros o menor. Considero injusto com o Feliciano – de quem não tenho um alto conceito, muito pelo contrário – usar este fato para atacá-lo. Imaginem se todos os filhos respondessem pelos erros dos seus pais, este é um princípio que vale para todas as pessoas

  2. WALTER
    quinta-feira, 4 de abril de 2013 – 14:12 hs

    BANDIDOS OS DOIS

  3. tadeu rocha
    quinta-feira, 4 de abril de 2013 – 14:31 hs

    VOCE FALOU TUDO ANONIMO, AS PESSOAS TEM O CORAÇAO MALDOZO,O SER HUMANO É ISSO AI,

  4. tadeu rocha
    quinta-feira, 4 de abril de 2013 – 14:39 hs

    ANONIMO VOCE FALOU TUDO, PARABENS, O SER HUMANO É ASSIM MESMO.

  5. toninho
    quinta-feira, 4 de abril de 2013 – 14:43 hs

    Anônimo, não percebi nos comentários que alguém esteja culpando a mãe do dito Deputado pelo que ela fez. Quem trouxe a notícia foi ele mesmo, e nem sei o porquê. A maior pena para qualquer delito que alguém comete é a acusação da própria consciência e esta vai até o final da vida. Portanto, aqui está se debatendo a postura do Sr. Deputado e não a da sua mãe. O que está em tela são as suas posições homofóbicas e colocadas sem qualquer cuidado ferindo a suscetibilidade das pessoas que não tem as mesmas idéias dele. Ele está no lugar errado e deveria reconhecer isso, afastando-se de uma vez do cargo que é justamente para fazer o contrário do que ele está fazendo.

  6. quinta-feira, 4 de abril de 2013 – 16:08 hs

    Acendam as fogueiras, tirem dos baús as armas, apetrechos, e aparelhos usados na inquisição, eles voltaram a ter utilidade em pleno século XXI. Falam tanto, alardeiam aos quatro ventos que são democraticos, civilizados, politicamente corretos, mas não passam de pseudos democratas, apedeutas travestidos de marqueteiros, piqueteiros, barulhentos, grossos, falsos, dissimulados, “MILITANCIA PAGA”, Chega disso, se fosse o Deputado Feliciano, ajudado pelo Bolsonaro, entrava com uma queixa crime por “PERSEGUIÇÃO RELIGIOSA”!… Entramos na era do “GAYZISMO”, na era da cultura gay. Hoje quem é branco, hetero, classe média, nivel superior, trabalha todos os dias, evangélico ou católico praticante, defensor dos valores familiares e Cristão está perdido, condenado, massacrado, aviltado em seu direito de livre pensamento, de expressão, direitos fundamentais pétreos garantidos pela nossa carta magna. Repito incansavelmente: “Bancada evangélica, onde estão vocês”?!…

  7. quinta-feira, 4 de abril de 2013 – 16:10 hs

    Em tempo:. Tem quota para tudo, e para nós?… Não sou contra as quotas, mas se tem para um, tem que ter para todos!… Ou não?…

  8. fiscal de realeza
    quinta-feira, 4 de abril de 2013 – 18:03 hs

    entao ela aprendeu com a mulher do JOSE SERRA pois foi nos anos 70
    que a cotadinha declarou nao ter condiçoes de criar um filho e entao ela e o marido
    JOSE SERRA FIZERAM O CRIME

  9. Cris
    quinta-feira, 4 de abril de 2013 – 18:30 hs

    até quando esse cara vai resistir no cargo…

  10. quinta-feira, 4 de abril de 2013 – 20:22 hs

    ola BONFIM,
    esse Deputado não deve ser alinhado com a bancada evangélica.
    ele está sozinho nesse embatge pq insiste em ser presidente de uma comissão a todo custo.
    sofre um tremendo desgaste politico.
    esse embate é pessoal e politico; não podemos envolver os evangelicos nessa demanda. tem hora que ele fala como deputado, depois só como pastor, daí mistura tudo!
    acho que o Dep. Feliciano (que para mim até 1 mes atras era o cantor marcos feliciano) e agora descobri que ele é pastor, não tem apoio politico para continuar a frente da comissão de direitos humanos, daí a ausência de manifestação da bancada evangélica.
    nesse caso, só nos restar orar pelo mano!

  11. Mr.Scrooge
    quinta-feira, 4 de abril de 2013 – 20:43 hs

    Fico pensando, o que a mãe do pastor quis com estas declarações, queimar o filho de vez? Se é vitrine o que ela pretendia, conseguiu. Agora o pastor vai ser queimado de vez pelos crimes hediondos cometidos contra inocentes nascituros. Mas como diz o ditado, quem procura acha, e o pastor procurou, agora vai pagar o preço da teimosia e da falta de modéstia, porque ele pode muito bem passar sem esta presidência. Ou não pode? Pode sim. E falar de fogueiras é um exagero. ACarlos

  12. Suely Walter
    quinta-feira, 4 de abril de 2013 – 21:18 hs

    Putz! Celso, sou azarada mesmo. Não me encaixo em nenhuma cota: sou branca, nem chego ser classe média, mas não posso ser considerada pobre, não sou gay, não sou idosa … tô ferrada …

  13. Sandro
    quinta-feira, 4 de abril de 2013 – 22:53 hs

    Querem um Brasil democrático na base do fórceps para alguns setores.Perguntinha básica.. quantos milhões temos no Brasil? todos serão forçados a aceitar o que certos grupos pleiteiam.Que tal dar uma voltinha no mundo e ver por exemplo só o trabalho infantil.Tenho certeza que muitas outras pessoas precisam de ajuda do que certos ativistas com a pança cheia e conta gorda escabelando por aí.

  14. jairo
    sexta-feira, 5 de abril de 2013 – 5:36 hs

    Esta falta de respeito por meia dúzia de vândalos, que querem aparecer tentando derrubar o dep. FELICIANO da presidência desta comissão, Estes desocupados deveriam devem a saída do RENAN! ELE AGRADECE, ESTA FALTA DE RESPEITO DESTE GRUPO QUE ESTA DESVIANDO O FOCO DA FISCALIZAÇÃO QUE DEVERIA ACONTECER… DELE PT.

  15. Silvajr
    sexta-feira, 5 de abril de 2013 – 7:31 hs

    Bom Fim, vc acabou mesmo!

  16. Rober
    sexta-feira, 5 de abril de 2013 – 8:42 hs

    Ela errou e se está arrependida verdadeiramente existe perdão. Deus é o Deus do amor e do PERDÃO. Até o Feliciano ainda tem chance de ser perdoado pelas condenações que faz aos irmãos homossexuais e o racismo, principalmente contra os irmãos negros. Deus criou a todos a sua imagem e semelhança, puros e para serem felizes, não ditou normas de como ser feliz, entaum, não cabe a um igual (feliciano), mas ele ainda tem chance.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*