Crescem os "vultos" de Curitiba | Fábio Campana

Crescem os “vultos”
de Curitiba

A Gazeta do Povo publica hoje uma reportagem de Diego Ribeiro que mostra “quatro mil pessoas perambulam pelas ruas de Curitiba. Eles são imperceptíveis aos olhos da maioria dos passantes, que se habituaram a seguir a rotina sem parar para ouvir as vozes que vêm das calçadas. Essas “sombras” quase sempre têm famílias, tiveram emprego, uma casa, um propósito. Quando são notadas quase sempre é porque se tornaram um incômodo, ou uma ameaça. “Somos como vultos. Me sinto humilhado”, diz Marcos Roberto dos Santos, um imigrante de Barretos (SP), no seu endereço “quase” fixo em Curitiba, a Praça 19 de Dezembro.” Leia a matéria na íntegra no linck abaixo:


14 comentários

  1. TRABALHADOR
    domingo, 7 de abril de 2013 – 15:19 hs

    Notícias frescas do mundo real, de Curitiba. Gustavo Fruet colocou os funcionários públicos e a guarda municipal expulsando crianças com bola embaixo do braço e ciclistas do Jardim botânico.
    Um casal agora pela manhã, com um filho deficiente, que portava um bola de volei foi expulso do Jardim Botânico de Curitiba pelo segurança e guarda municipal. O casal saiu revoltado e disse que alegaram à eles que há um lei municipal que proibia a criança de carregar a bola embaixo do braço dentro do Jardim Botânico de Curitiba.
    Meus Deus do céu, os Curitibanos elegeram um ditador cruel como prefeito da cidade.

  2. Leonidas Ferez
    domingo, 7 de abril de 2013 – 16:45 hs

    Não vejo mais as Kombis da FAS.

  3. LUIZ
    domingo, 7 de abril de 2013 – 20:06 hs

    É O RETRATO DE DEZ ANOS DE DES-GOVERNO DOS CORRÚ–PT–OS.

  4. Viezzer
    domingo, 7 de abril de 2013 – 20:51 hs

    Los Angeles tem 48 mil moradores de rua.
    http://www.jb.com.br/internacional/noticias/2010/12/30/cresce-o-numero-de-moradores-de-rua-em-los-angeles/

  5. INTRUSO
    domingo, 7 de abril de 2013 – 22:02 hs

    ISSO DEMONSTRA QUE O BRASIL É UM PAÍS SEM GOVERNO FEDERAL, ESTADUAL E MUNICIPAL. PASMEM, ENQUANTO CERTOS INDIVÍDUOS (BACANAS) POSSUEM 270 MIL ALQS DE TERRA OUTROS, SEQUER, TEM UM RANCHINHO PARA SE ACOMODAR.
    E O GOVERNO CONTINUAR FAZENDO PROPAGANDA, DO BANCO DO BRASIL, CAIXA ECONOMICA, PETROBRAS, CORREIO, ETC, ETC, E ETC. O MERCADO VAREJISTA TAMBÉM ESTÁ DOMINADO PELAS REDES. O BRASIL TEM QUE SER UM PAÍS DE TODOS, MAS ISSO OCORRERÁ SOMENTE QUANDO HOUVER GOVERNO DE VERDADE!!!!!!!!

  6. Rob
    domingo, 7 de abril de 2013 – 22:50 hs

    Hoje estas pessoas são denominadas moradores de rua. Deveria se fazer um estudo de como resolver esta questão destas pessoas. Conheci a história de uma senhora nas ruas com 50 anos. Ela não podia ficar nas ruas por causa do risco e não podia ir para um asilo porque não tinha a idade mínima. E segundo ela a FAS não queria recebe-la porque a assistente social não tinha ido com a cara dela. Hoje fico triste porque a vejo quase mendiga catando latinhas no Centro da cidade. Muitos moradores de rua dizem que preferem o frio a ir para a FAS onde, segundo eles, são maltratados quando vão lá, a noite, tomar banho e dormir. A primeira dama tem que verificar o que está acontecendo no albergue da FAS na ruaTibagi e também se sensibilizar com esta população sofrida que vive nas ruas.

  7. Vigilante do Portão
    segunda-feira, 8 de abril de 2013 – 7:55 hs

    É uma questão delicada.

    Presenciei algumas abordagens da FAS.
    Os atendententes se esforçaram para que os moradores de rua entrassem na Kombi.
    Seguiriam para os abrigos.
    Teriam cama, banho, comida e encaminhamento para os programas de recuperação.

    Os abordados RECUSAM o atendimento.

    Perguntei para um dos atendentes:

    Qual seria o motivo da recusa?

    Resposta:

    No abrigo, não pode fumar, beber ou usar drogas.

    Existem regras.

  8. Observador
    segunda-feira, 8 de abril de 2013 – 8:37 hs

    Enquanto isso deslumbradas brincam de casinha pra fazer o social, muitas gente da academia que nao sabe nada de humanidade e nem conhece as ruas de |Curitiba

  9. PLAYBOY
    segunda-feira, 8 de abril de 2013 – 11:41 hs

    É verdade Viezzer,
    mas esta matéria que você aponta é de 30/12/2010 às 10h09.
    Nessa época, Curitiba tinha bem menos gente nas ruas e a turma reclamava do Luciano Ducci, que no entanto, sempre teve um bom trabalho na área social.

  10. Marcela
    segunda-feira, 8 de abril de 2013 – 13:42 hs

    Vamos criar uma vila para estas pessoas…Ou uma Rua, a rua das Sombras….
    Já que temos a rua das flores, que apresenta apenas o belo e glamour, façamos a rua das sombras, onde seres sem rumo, sem emprego ou teto possam perambular a esmo. Cade a FAZ???????

  11. Diogo Costa
    segunda-feira, 8 de abril de 2013 – 14:32 hs

    Herança da gestão Richa e Ducci… O engraçado é que neste mesmo blog não se divulgava esses números no ano passado.

  12. Diogo Costa
    segunda-feira, 8 de abril de 2013 – 14:35 hs

    Se perguntar para o Ducci ele vai falar, “As pessoas moram nas ruas por opção” rsrsrsrsrsr.

  13. Mr.Scrooge
    segunda-feira, 8 de abril de 2013 – 17:55 hs

    Discordo dos comentários acima, porque muita gente não fica na FAS porque lá não se pode beber ou drogar. E sei de fonte fidedigna, pesquisadores da PUC, que me afirmou que muita gente não quer sair da rua, viver em casa às vezes é muito pior.

  14. Nelson
    segunda-feira, 8 de abril de 2013 – 22:13 hs

    Muitos são exportados de SC e interior do Paraná.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*