Conselho de Igualdade Racial repudia indicação de Feliciano | Fábio Campana

Conselho de Igualdade Racial repudia indicação de Feliciano

De O Globo:

SÃO PAULO – O Conselho Nacional de Promoção da Igualdade Racial publicou no “Diário Oficial da União” desta segunda-feira moções de repúdio contra a indicação do deputado Marco Feliciano (PSC-SP) para a presidência da Comissão de Direitos Humanos da Câmara dos Deputados e também contra trote aplicado em calouros do curso de Direito da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). O Conselho é vinculado à Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial da Presidência da República e as moções foram assinadas pela ministra e presidente do colegiado, Luiza Helena de Bairros.

Na internet, as polêmicas do pastor Feliciano continuam muito discutidas. Hoje no Twitter, John Lennon entrou na lista dos assuntos mais comentados por causa de um vídeo em que o pastor diz que o “beatle“ foi morto por três tiros à queima-roupa, porque declarou que a banda era mais famosa do que Jesus Cristo. Diante de uma multidão, Feliciano condena o músico e diz:

— Eu queria estar lá quando descobriram o corpo dele. Ia tirar o pano de cima e dizer: me perdoe John, mas esse primeiro tiro é em nome do pai. Esse é em nome do filho, e esse em nome do espírito santo. Ninguém afronta Deus e sobrevive para debochar — fala, sendo muito aplaudido.

Na nota publicada no D.O., o Conselho Nacional de Promoção da Igualdade Racial considera “inaceitável a permanência do deputado na Presidência da Comissão dos Direitos Humanos, visto que afronta os princípios de liberdade, respeito e dignidade da pessoa humana, que devem ser assegurados independentementedo pertencimento racial e da orientação sexual”.

“A trajetória e a postura do deputado em relação à população LGBT e à população negra se revelam preconceituosas e excludentes, causando insatisfação aos mais diversos segmentos sociais, com manifestações de repúdio à indicação do parlamentar amplamente divulgada nas redes sociais e nos mais diferentes canais de comunicação.”

Trote na UFMG
Já a moção contra episódios de “racismo e violência” contra a “população negra, especialmente contra as mulheres e a juventude” descreve a fotografia da festa de recepção dos calouros de Direito na UFMG divulgada nas redes sociais.

A recepção dos calouros virou polêmica na semana passada e virou assunto nas redes sociais. Isso porque, em uma das fotos do trote, uma jovem aparece pintada de preto e tem uma placa de papel pendurada no pescoço com os dizeres “caloura Chica da Silva”. As mãos dela estão acorrentadas.

O conselho pede à universidade que os responsáveis sejam punidos. Ainda segundo a publicação, o “trote racista ofendeu o direito da pessoa e da população negra à dignidade”.

O conselho diz que “repudia essas práticas racistas, que ferem a dignidade da população negra brasileira e a memória da figura histórica e representativa de Francisca da Silva de Oliveira, mais conhecida como “Chica da Silva”.


8 comentários

  1. Clovis Galhardo
    segunda-feira, 8 de abril de 2013 – 14:10 hs

    Pergunta
    Alguma destas entidades que se dizem indignadas com indicação do Marcos Feliciano já fez campanha pela saída de José Genuíno ou de João Paulo Cunha da Comissão de Constituição e Justiça, já que ambos são condenados pelo STF?

  2. Décio
    segunda-feira, 8 de abril de 2013 – 15:18 hs

    NÓS TAMBÉM !

  3. sergio silvestre
    segunda-feira, 8 de abril de 2013 – 15:52 hs

    Como grita esse povo hein?Até parece que a preocupação deles é ficar pinçando quem fala alguma coisa que supostamente os podem ter ofenfido.
    Isso se chama banalização do esperneio e querem aparecer até na capa da Veja como a estrela que caiu Daniela Mercury.
    É a apologia a semvergonhice.

  4. segunda-feira, 8 de abril de 2013 – 16:05 hs

    “Afronta os princípios de liberdade, respeito e dignidade da pessoa humana, que devem ser assegurados independentementedo pertencimento racial e da orientação sexual”. Uma nota com dinheiro público, o que é pior!!!… O governo patrocinando a “PERSEGUIÇÃO RELIGIOSA” e incentivando o “HETEROFOBISMO”, depois ainda tem coragem de exigir coerência do Pastor Marcos Feliciano… Ele é coerente, quem está sendo “INCOERENTE” são vocês que falam, pregam uma coisa e vivem outra!… Estão de perseguição religiosa sim!…

  5. Constanza del Piero
    segunda-feira, 8 de abril de 2013 – 19:00 hs

    Essa cambada petista não tem, mesmo o que fazer! – A cumpanherada, cada qual com um baita cargo em Brasília, tem que arrumar assunto pra gerar notícia!
    Daí, procura, procura, e acha, o Feliciano! Dá um tempo cumpanherada. Esse papo já encheu os pacová! Arruma outro Cristo. Esse já encheu!

  6. Jorge Lindoner
    segunda-feira, 8 de abril de 2013 – 20:27 hs

    Enquanto isto, os deputados condenados do mensalão continuam numa boa, assumindo Comissões e se passando de “honestos” e defensores da ética parlamentar.

  7. segunda-feira, 8 de abril de 2013 – 21:16 hs

    Esse é um dos 39 Ministérios da Dilma, é mais um Que não faz nada a não ser servir como Cabide de emprego, Assim como o Min da PEsca, o recem criado min da micro e pequenas Empresas, etc, É tudo Cabide de Emprego, Esse Min, da Igualdade Racial e esse conselho jamais fizeram NADA de util. Tanto a Ministra , como o Presidente deste Conselho deveriam ficar de Boca Calada. O Deputado foi eleito por um Colegiado legitimo do Congresso. E quem está incitando a violencia são esses Movimentos de Gays, nem os Negros, estão fazendo barulheira contra ele.

  8. cesar - umuarama
    segunda-feira, 8 de abril de 2013 – 22:17 hs

    É SÓ FICAR DE OLHO. O CONGRESSO TEM VOTADO COM A MINORIA, QUE GRITA, QUE ESPERNEI, QUE TEM CORAGEM DE IR A RUA.
    INFELIZMENTE A MAIORIA ESTA COM MEDO ATÉ DE DAR ATÉ UMA OPINIÃO, QUANTO MAIS SAIR AS RUAS EM DEFESA DA FAMILIA.
    BEM DIZEM QUE SE TIVER UMA REVOLUÇÃO NO BRASIL, O POVO VAI PRA CASA VER NA TV.
    VEJO MUITA GENTE QUE SE DIZ CRISTÃO COM O RABINHO NO MEIO DAS PERNAS, E ATÉ APOIANDO A semvergonhice.
    Que Deus nos de Forças.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*