Com indícios de irregularidades, TJ-PR é alvo do CNJ | Fábio Campana

Com indícios de irregularidades, TJ-PR
é alvo do CNJ

O CNJ está em Curitiba para a correição do Tribunal de Justiça do Paraná. A fiscalização feita pelo Conselho Nacional de Justiça procura verificar se há irregularidades no andamento dos tribunais, analisando desde a contratação de servidores, a legalidade de licitações e a produtividade dos desembargadores. Segundo a Gazeta do Povo, além dessas questões, o CNJ investiga em Curitiba denúncias de tráfico de influência e venda de sentenças envolvendo desembargadores.

A denúncia teria partido de uma advogada que representava uma das partes em uma disputa pela guarda dos filhos. Segundo a Gazeta do Povo, a representação no processo do CNJ acusa o atual presidente do Tribunal de Justiça do Paraná, Clayton Camargo, e o desembargador Rafael Augusto Cassetari – aposentado no início do ano.


47 comentários

  1. morretes
    quinta-feira, 25 de abril de 2013 – 18:52 hs

    existe mesmo, pois num processo ele mudaram a sentença sem fundamento nenhum

  2. Jorge
    quinta-feira, 25 de abril de 2013 – 19:01 hs

    Tomara que não seja apenas fogo de palha isso do CNJ. Tenho vontate de postar umas coisas aqui sobre esse TJPr, mas como ainda tenho um processo em andamento lá, sobre questão de uma casa. Melhor ficar quieto, mas assim que resolver, vou postar aqui um caso em que disputo com invasores de uma casa de minha propriedade e os quais, os invasores contrataram um advogado filho de desembargador para atuar por eles. Será que tenho chance de ganhar alguma coisa nessa disputa??? No cível ganho de lambada, ai eles recorrem no TJ e tomo uma lavada. A coisa já se arrasta por mais de 8 anos.

  3. verdade
    quinta-feira, 25 de abril de 2013 – 19:18 hs

    Acho que esta denúncia tem tudo com a indicação do Fabio Camargo ao TCE! Coisas da turminha da ALEP. Alguém tem dúvida?

  4. Francisco de Assis
    quinta-feira, 25 de abril de 2013 – 19:44 hs

    Ate que enfim

  5. lika
    quinta-feira, 25 de abril de 2013 – 20:01 hs

    Poxa e o Desembargador, ainda vai emplacar o filho no TC, nossa estamos ferrados, aí fica tudo em casa, quero ver a hora que eles descobrirem que montar uma igreja tambem dá dinheiro, aí vai ser uma concorrencia infernal. rsrsrsrsrs

  6. Fabio
    quinta-feira, 25 de abril de 2013 – 21:15 hs

    Estou a mais de 3 anos lutando para dar a meu filho de 6 anos um pai PRESENTE e já ficou claro que a influência de algumas pessoa do meio juríco (atuante ou aposentado) leva sempre ao protelamento do processo, passando por cima de éticas e sobretudo da real necessidade da criança. A alienação parental, no meu caso, já está mais clara do que nunca, cheio de provas concretas e só “não enxergam” as “autoridades pressionadas por essas pessoas sem escrúpulos que acham ter um poder soberano para direcionar e comandar as próprias pessoas que deveriam ter a competência de solucionar um problema tão sério (e facil para eles) como é este sobre FAMÍLIA. Isso é um ABSURDO, pois o principal interessado nisso tudo, que é a criança, NINGUÉM está nem aí. Agora que estou com uma advogada maravilhosa, a qual já botou as cartas na mesa e avisou que se o negócio não andar, vai levar para o CNJ, para o competentíssimo Joaquim Barbosa resolver. Sabem o que aconteceu? De forma “MÁGICA” o processo começou a andar e está em fase de sentença. É uma VERGONHA… que questôes dessa magnitude cheguem a um ponto lastimável desses…. Pessoas que deveriam dar o exemplo, são facilmente manipuladas por um sistema medíocre onde um pouco de influência faz STRIKE na vida de quem quer apenas justiça, apenas dar um pai frequente para uma criança.
    Segue a minha indignação.

  7. ZECA
    quinta-feira, 25 de abril de 2013 – 22:43 hs

    Em tempos de vitórias, surgem os chamados boatos, agora querem macular de forma covarde um homem que duas vezes foi presidente do tribunal de alçadas, um homem que tem honrado a magistratura. Que país é esse que se vive de denuncismo barato.
    Repeitem a história do Dr. Clayton Camargo, respeitem.

  8. Henrique
    quinta-feira, 25 de abril de 2013 – 22:46 hs

    Vocês precisam entender, não existe uma prova material contra esses dois homens do poder judiciário, Dr. Rafael e Dr. Clayton. A realidade é que tudo foi arquivado. Tanto que o STJ analisou e julgou improcedente a denuncia.
    Querem prejudicar o Fabio Camargo com um fato antigo e arquivado. Agora querem injustiça no lugar da justiça.

  9. José
    quinta-feira, 25 de abril de 2013 – 22:49 hs

    A mentira voa, a verdade caminha.
    Logo essa mentira sórdida, covarde e nojenta contra quem luta pelo bem será será esclarecida, pois a verdade vem sempre apagando a mentira. Dr. Clayton, quem lhe conhece sabe da sua honra.

  10. Antonio
    quinta-feira, 25 de abril de 2013 – 22:51 hs

    Dr. Clayton, homem íntegro, vitima da mentira de uma advogada e, de um jornal denunciado pelo filho de desembargador.

  11. Antonio
    quinta-feira, 25 de abril de 2013 – 22:55 hs

    Eu disse há 3 meses, esse jornal que aponta o dedo pra todo mundo e, que foi desmascarado, irá aprontar mais uma. Acertei. Eles erraram feio, pois atacaram um homem acima de qualquer suspeita.
    Dr. Clayton, o litoral lhe conhece, pelo bom tempo em que foi promotor aqui em Paranaguá.

  12. Matheus
    quinta-feira, 25 de abril de 2013 – 22:58 hs

    Dr. Clayton, sua história fala pelo senhor, que Deus lhe dê forças, o senho é do bem.

  13. Simone
    quinta-feira, 25 de abril de 2013 – 23:00 hs

    Praga de urubu não pega em beija flor.
    Portanto, o Presidente do Tribunal de Justiça do Paraná não será atingido por essas aves de mau agouro.

  14. Geraldo Ramirez
    quinta-feira, 25 de abril de 2013 – 23:02 hs

    O desembargador Camargo nunca participou desse proceso que falam segundo nota da Amapar. Claro que a Gazeta foi com tudo pra tentar derrubar a familia Camargo que tem coragem de peitar esse grupo tendecioso. Deveriam soltar o processo do filho do Chico que envolve umas criancinhas.

  15. MARCIO
    quinta-feira, 25 de abril de 2013 – 23:03 hs

    Entendo quase nada de política, mas o pouco que sei me assusta. Usam as piores armas pra se virar um jogo. Armas baixas.
    Mas aviso, pegaram uma pessoa de muita honra e história jurídica em nosso estado para intrigas. O Presidente Clayton tem um legado pela justiça. Isso ninguém poderá apagar.

  16. Pedro
    quinta-feira, 25 de abril de 2013 – 23:06 hs

    Presidente Clayton, tudo já foi esclarecido, inclusive pelo STJ, ta certo o Senhor em não dar ouvidos pra essa gente.
    Aqui na Região dos Campos Gerais nós sabemos da armação de gente que não vence na raça.
    Parabéns, confiamos no senhor.

  17. Lúcia
    quinta-feira, 25 de abril de 2013 – 23:22 hs

    Sabendo que a Gazeta do Povo quer intimidar o Fabio Camargo que foi o único a enfrentar esse grupo é normal que eles tentem arrumar uma suposta denúncia para atrapalhar o ingresso do Fábio ao TC.

  18. Pedro
    quinta-feira, 25 de abril de 2013 – 23:23 hs

    Essa denúncia ao TJ-PR está parecendo uma estratégia armada para atrapalhar a eleição do deputado Fabio Camargo ao TC.

  19. Mariana
    quinta-feira, 25 de abril de 2013 – 23:24 hs

    A vida do Dr. Clayton sempre foi pautada em valores éticos e por muito trabalho e competência. Prova disso foi sua eleição ao TJ-PR. Se ele não fosse um homem de caráter e integro não seria presidente de um órgão de tamanha grandeza.

  20. sergio silvestre
    sexta-feira, 26 de abril de 2013 – 0:20 hs

    Cerca tudo com arame farpado,coloque uns vigias e não deixa ninguem sair.

  21. TROLL
    sexta-feira, 26 de abril de 2013 – 6:30 hs

    Os carissimos blogueiros aí em cima, que se desmancham em elogios, certamente não tiveram o prazer de estudar, nos idos anos 60, no colégio Moyses Lupion ou tentado atravessar a praça da Espanha durante a noite.
    Pelo visto, o tempo tudo muda, inclusive o DNA das pessoas.
    E mais; se tudo está resolvido e arquivado pelo STJ, pergunto o que o Ministério Público Federal está fazendo aqui?
    Se o MPF é movido pelos jornalões e interesses escusos, então a PEC 37 tem mesmo que ser aprovada.
    E finalmente Mariana, não se esqueça que o Lulla foi Presidente da República…………..Quer mais?

  22. Opinante
    sexta-feira, 26 de abril de 2013 – 7:22 hs

    Onde há fumaça, há fogo…

    O Conselho Nacional de Justiça não viria até Curitiba para, entre outros assuntos, tratar de investigação de corrupção e venda de sentenças por parte do atual Presidente do Tribunal de Justiça do Paraná, Clayton Camargo, pai do Dep. estadual Fábio Camargo, se não houvesse fundamento na denúncia ofertada por uma advogada contra o Desembargador Presidente e um ex-Desembargador…

    A corrupção não poupa nenhum dos Poderes, nenhuma das instituições, mas necessariamente depende do preenchimento de um simples e odioso requisito: a falta de caráter, retidão, honestidade de uma ou mais pessoas.

    Lamentável.

    Espero que a(s) decisão(ões) eivada(s) pela repugnante venda da “consciência” de magistrado(s) possam ser imediatamente revistas e anuladas.

  23. Justiça Parana
    sexta-feira, 26 de abril de 2013 – 9:32 hs

    Todo mundo que já foi parte sabe dos problemas da Justiça. Há casos escabrosos envolvendo desembargadora do Paraná. Também já foi denunciado no CNJ. Vamos aguardar ver se também recebe a atenção do CNJ.

  24. Wantuir
    sexta-feira, 26 de abril de 2013 – 9:45 hs

    Esse judiciário é um conto de fadas, dizer que esse pessoal trabalho duro, que é integro ou que esse órgão é de muita grandeza, só pode ser coisa de puxa-saco. Lembrem o que eles fazem, compram toneladas de frutas, carros de luxo com motorista particular, quem faz a maioria dos julgamentos são os acessores, é lógico que está explicado porque é considerado um dos piores do país. Se acham deuses, mas são na verdade assalariados do Estado, não entendo como conseguem ter tanto patrimônio.

  25. Manoel
    sexta-feira, 26 de abril de 2013 – 9:54 hs

    Essa nota da Associação dos Magistrados do Paraná e do Brasil diz tudo:

    “Diferentemente do que diz a reportagem de ontem da Gazeta do Povo, o presidente do Tribunal de Justiça do Paraná, Clayton Camargo, não proferiu decisões favoráveis no processo que está sendo investigado pelo CNJ. Na época em que ocorreu a suposta compra de sentença, o desembargador Camargo era presidente da 12ª Câmara Cível. Por esse motivo, não poderia tomar decisões em processos que corressem no colegiado(…)”

  26. Rafael
    sexta-feira, 26 de abril de 2013 – 9:57 hs

    Todos aqui sabem que esse jornal,chamado Gazeta do povo,é tendencioso.O dep. Fábio Camargo é um dos poucos,no estado,que tem coragem de enfrentar esse grupo que tenta monopolizar a informação no Paraná.
    Estão tentando derrubar a família Camargo.
    Mas eles vão quebrar a cara,afinal,temos internet,outras tvs,rádios pra ficarmos cientes do que realmente acontece.
    O dep. devia é tentar abrir uma CPI da gazeta do Povo,pra investigar esse jornal e suas falcatruas.Aí saberiamos quem realmente tem o ”o rabo preso”.

  27. Roberval
    sexta-feira, 26 de abril de 2013 – 11:04 hs

    O augusto Desembargador Clayton Camargo é homem duro e correto. Passa seus ensinamentos. Por ser sincero e direto desagrada muita gente. Prefiro as palavras verdadeiras do que a bajulação. Todo meu apoio ao presidente do TJ. Se tivesse algo contar ele, os desembargadores não teriam o colocado no cargo máximo do Judiciário.

  28. Paulo
    sexta-feira, 26 de abril de 2013 – 11:15 hs

    A historia feia desse processo de guarda ja e conhecida a língua pequena ha muito tempo. Oque causa estranheza e a gazeta do povo ter publicado isso dois anos apos a denuncia feita pela parte que perdeu o processo. E pior, ninguem fala que os autores da denuncia no CNJ foram presos e sao alvos de investigação da Polícia Federal. Tenho pena de ver o Dr. Cassetari, conhecido aqui em Maringa pela sua humanidade passar por esse vexame absurdo!

  29. Sérgio Porto
    sexta-feira, 26 de abril de 2013 – 11:42 hs

    Foi esse Tribunal que legalizou o concurso interno nas universidades, proporcionando que sem certame universal, os funcionários saissem de funções de nível fundamental para o nível superior.

    Como isso é justiça? Tribunal que age contra o preceito constitucional!

    Essa coisas todas deveriam ser revistas pelo CNJ.

  30. Stela
    sexta-feira, 26 de abril de 2013 – 13:03 hs

    Me expliquem, um caso antigo, devidamente arquivado, desenterrado por um jornal. Esse mesmo jornal, tem um membro da família com um processo em segredo de justiça, com denuncia de envolvimento em crime sexual.
    Seria retaliação, ou, vingança???
    QUEM FOI QUE DENUNCIOU ESSE FATO NA ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA?
    ENTENDI, QUEREM TUMULTUAR.
    A verdade foi dita, o jornal que gosta da sombra do poder, quer desviar a verdade.

  31. Carol
    sexta-feira, 26 de abril de 2013 – 13:06 hs

    Presidente Clayton Camargo, as suas vitórias causam inveja em muita gente. Fé meu querido, o senhor é mais que vencedor.

  32. Selma
    sexta-feira, 26 de abril de 2013 – 13:08 hs

    Um home que mostrou sempre a verdade não será atingido por um jornal tendencioso. Presidente Clayton, um senhor desembargador.

  33. caruncho
    sexta-feira, 26 de abril de 2013 – 15:01 hs

    VOCE ME CHAMOU,PARA ESSE PAGODE
    E ME AVISOU AQUI NÃO TEM POBRE
    ATÉ ME PEDIU PRA CHEGAR DE MANSINHO
    POR QUE SOU DA COR EU SOU ESCURINHO
    VÍ QUE REALMENTE AQUI TEM A NATA
    SÓ TEM DIRETOR E ATÉ MAGNATA
    MAS NA BEBEDEIRA E NA CONFUSÃO
    TIREI A MINHA CONCLUSÃO:
    SE GRITAR PEGA LADRÃO NÃO FICA 1 MEU IRMÃO
    SE GRITAR PEGA LADRÃO “ÔÔÔÔÔ” NÃO FICA UM.

  34. Valmir Batista
    sexta-feira, 26 de abril de 2013 – 16:54 hs

    Deu no Jornale

    Presença do CNJ do Paraná é para acompanhar atas firmadas anteriormente:

    O presidente do Tribunal de Justiça, Clayton Camargo, falou com nossa reportagem na manhã de hoje sobre as matérias veiculadas na Gazeta do Povo, que afirma que o Corregedor Geral do CNJ estaria no Paraná para investigar uma denúncia feita por uma advogada contra ele.

    Clayton esclareceu que “a presença do CNJ no Paraná é resultado de um ato de rotina e que ocorre apenas e tão somente para verificar o cumprimento do conteúdo das atas firmadas entre o Tribunal de Justiça e o CNJ, firmadas na gestão do Desembargador Miguel Kfoury. O CNJ veio e fez uma correição que deu origem a atas contendo certas determinações, a serem observadas pela justiça paranaense e agora voltou para aferir se as determinações estão cumpridas e verificou que sob a minha Presidência todas as determinações do CNJ estão sendo rigorosamente cumpridas, nada mais”.

    Sobre as reportagens da Gazeta, Clayton afirmou que “se trata de uma nova tentativa de desacreditar as decisões que proferi em caso envolvendo uma pessoa da família Cunha Pereira, que os contrariou profundamente, e a partir daí, de vez em quando, a Gazeta tenta me atingir”.

    Sobre o fato de não ter atendido o repórter da Gazeta, Camargo lembrou que foi abordado pelo telefone e lembrou que o “jornalista sabe que não falo para a Gazeta, justamente em razão da falta de isenção do jornal quanto a minha pessoa em razão das decisões que proferi e que contrariam os interesses da família, razão pela qual não tinha o direito de me abordar diretamente através do telefone, deveria ter se dirigido a assessoria de imprensa do Tribunal, como fazem todos, e receberia a informação de que não falo com a Gazeta. Mas, maliciosamente, me ligou direto e ainda, de modo desleal, gravou a conversa sem a minha autorização. Tudo isso é estratégia para tentar desacreditar as minhas decisões no caso da família”.

    Clayton ainda acrescentou que já ingressou com as medidas que tinha para demonstrar que as alegações de uma advogada contra ele são destituídas de qualquer fundamento, alegando “Nem participei dos julgamentos a que ela se refere e, portanto, não tinha como produzir qualquer alteração no julgamento. Isso é coisa de quem perde e depois reclama do Juiz. Um costume ruim e feio de algumas pessoas”.

    O Corregedor Geral do CNJ, Ministro Francisco Falcão, deu entrevista para a imprensa pela manhã, nas dependências do TJ, e esclareceu que veio ao Paraná apenas para verificar o “cumprimento das atas firmadas anteriormente” e que as determinações estão sendo encaminhadas pelo Judiciário paranaense, alegando que as providências que o CNJ está recomendando é para a melhoria do serviço de primeiro grau na justiça da capital paranaense.

  35. sergio silvestre
    sexta-feira, 26 de abril de 2013 – 19:47 hs

    O homem agora tambem se chama AUGUSTO.?

  36. LAW
    sexta-feira, 26 de abril de 2013 – 22:36 hs

    De quem é a frase a GAZETA MENTE?

  37. Anselmo
    sexta-feira, 26 de abril de 2013 – 22:37 hs

    CNJ pra RPC…

  38. Mariana
    sábado, 27 de abril de 2013 – 12:31 hs

    TROLL, o CNJ não é ministério Público Federal. Santa ignorância cidadão.
    Não sabe nem diferenciar os poderes e quer dar opinião…

  39. Lucas
    domingo, 28 de abril de 2013 – 10:01 hs

    O tempo agora é de atacar a honra de quem tem uma vida reta. esquecemos da luta desse desembargador pela nossa justiça, acreditamos em factoides vergonhosos de um jornal parcial e vingativo.
    Quem atira pedras em saber, deverá em breve reparar os danos causados por elas.
    Presidente Clayton, parabéns sua conduta séria desde os tempos de MP.

  40. Kátia
    domingo, 28 de abril de 2013 – 10:04 hs

    Me entristece a forma grosseira e jocosa como se falam das pessoas de bem de nosso país.
    Fico chocada com tanta bobagem que se escreve por aqui.Tem pessoas que sentaram na derrota e frustração para atacar quem tem sucesso. Eu lembro da luta do Dr. Clayton quando ele era promotor em minha cidade. Naquele temo a gente sabia que ele sera referência de justiça no Paraná. Por ser íntegro, causa revolta nos perdigueiros.

  41. Francisco
    domingo, 28 de abril de 2013 – 10:09 hs

    Tenho minhas convicções, não corro delas e, nem baixo minha guarda. Sempre digo: tem gente que não aceita a derrota. Tem um jornal que viu ser aberto as verdades em um plenário de uma casa de leis desse estado. A vergonha foi mostrada de forma centrada, mas, causou um estrago moral em um uma família que se dizia acima do bem e do mau.
    E, agora Chico?
    Bom, agora é tentar a vingança da forma mais vil e baixa. Atacam a honra de um homem cuja história de luta, fala por ele. Presidente Clayton revolucionou o Tribunal de Alçadas no Paraná. Aguardem.

  42. Marlene
    domingo, 28 de abril de 2013 – 10:12 hs

    Pelo que entendi, isso tudo é vingança, vingança pela verdade proferida contra uma família que controla a mídia no Paraná.
    Vamos nos manisfestar sempre em favor da justiça. Sempre em favor de alguém que tem defendido a verdade. Nessa luta eu fico sim a lado do Dr. CLAYTON CAMARGO. SEMPRE.

  43. Edvaldo
    domingo, 28 de abril de 2013 – 10:15 hs

    Morro em Maringá, frequento sempre as rodas de pessoas ligadas as aos meios jurídicos. Aqui todos falam a mesma coisa, Esse grupo de comunicação ressuscitou um caso antigo e arquivado por pura vingança. Vamos assinar um manifesto em favor do Presidente Clayton Coutinho Camargo.

  44. renato
    domingo, 28 de abril de 2013 – 11:17 hs

    O comentário do Manoel diz tudo, na época dos fatos o Desembargador Clayton Camargo presidia a 12ª Câmara Cível, portanto não poderia interferir nas decisões do TJ-PR.

  45. Cintia
    domingo, 28 de abril de 2013 – 11:19 hs

    AO LONGO DE SUA HISTÓRIA O DR. CLAYTON APRESENTOU UMA POSTURA ÉTICA E SÉRIA E DESENVOLVEU UM TRABALHO HONESTO. ELE FOI E É EXEMPLO EM TODA A SUA CARREIRA JURÍDICA. NÃO É VÁLIDO E NEM JUSTO TENTAREM MANCHAR A VIDA DE UM HOMEM QUE TEM A HISTÓRIA DO DR. CLAYTON CAMARGO.

  46. Juarez
    domingo, 28 de abril de 2013 – 11:20 hs

    Todo mundo sabe que a Gazeta do Povo é tendenciosa e que persegue quem for contra seus interesses. Todo mundo sabe também que o Fabio Camargo, filho do Desembargador Clayton foi o único que desafiou esse jornal que se acham o dono da verdade. E o nome de tudo isso?? Retaliação. Tentativas frustradas de tentar manchar a honra do Dr. Clayton e tentar calar o Fabio Camargo.

  47. THAIS DOS SANTOS SILVA
    quarta-feira, 8 de abril de 2015 – 5:31 hs

    DENUNCIEI ELES EM 2011 E 2012 E NADA ACONTECE. ATÉ HOJE SOU PERSEGUIDA NO PARANÁ E NÃO CONSIGO ADVOGAR. VERDADEIRA ORGANIZAÇÃO CRIMINOSA.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*