Ratinho Jr propõe novo modelo de gestão do transporte da RMC | Fábio Campana

Ratinho Jr propõe novo modelo de gestão do transporte da RMC


Estudo origem e destino vai ajudar a estabelecer o custo real da passagem de ônibus de cada linha

O Governo do Estado, pela Secretaria do Desenvolvimento Urbano (SEDU), propôs apoio financeiro para que a Prefeitura de Curitiba, através da Urbanização de Curitiba (URBS), execute uma pesquisa sobre a origem e destino dos passageiros que utilizam a Rede Integrada de Transporte (RIT), que atende a Capital e outros 12 municípios.

“Temos total interesse em saber o custo real de cada linha da rede integrada que atende a Região Metropolitana de Curitiba”, disse o secretário do Desenvolvimento Urbano, Ratinho Junior. Para ele, deve haver uma ampla discussão sobre o modelo de gestão da rede integrada. “Vamos pensar juntos um modelo de gestão para os próximos 20 anos”, disse.

Ratinho Junior se reuniu com o presidente da URBS, Roberto Gregório, na noite de quarta-feira (20/03), para tratar do assunto e informou que o Estado pode financiar até um terço da pesquisa de origem/destino. A proposta de fazer a pesquisa em conjunto foi bem recebida pelo presidente da URBS. Outros temas do encontro foram o estabelecimento de uma agenda única; discussão operacional; e composição tarifária da RIT.

O secretário da SEDU afirmou que o processo de reavaliação do sistema deve envolver a Coordenação da Região Metropolitana de Curitiba (Comec), vinculada à Secretaria do Desenvolvimento Urbano, a Prefeitura de Curitiba e a Associação dos Municípios da Região Metropolitana de Curitiba (Assomec).

Gregório já convidou o Governo do Estado a participar do grupo de discussão e análise que pretende definir a composição tarifária do sistema de integrado de transporte coletivo. Esta reunião acontece na próxima segunda-feira (25), às 8h30, na sede da URBS.

Participaram também deste primeiro encontro o diretor-geral da secretaria do Desenvolvimento Urbano, João Carlos Ortega, e o procurador jurídico Luciano Borges; e pela URBS, o diretor de transportes, Antônio Carlos Araújo, e o diretor jurídico, Rodrigo Grevetti.


4 comentários

  1. pdavidactba
    sexta-feira, 22 de março de 2013 – 1:23 hs

    o ratinha está pensando isso ……………. poxa!!!!!

  2. E o cara?
    sexta-feira, 22 de março de 2013 – 7:07 hs

    O cara do lado do presidente da Urbs é aquele diretor da época do Ducci? Nada muda no reino de Fruet? Pacabá

  3. lafaiete neves
    sexta-feira, 22 de março de 2013 – 9:23 hs

    Car@s leitor@s,

    Precisamos ter cautela com a tal pesquisa origem- destino dos passageiros de Curitba e Região Metropolitana. A mesma é cara,em torno de 8 milhões de reais e detecta o fluxo de passageiros para orientar medidas que favoreçam um transporte público mais eficiente e inclusive ajuda na sua futura expansão. Outra coisa é o controle do número de passageiros, que tanto as entidades, incluindo os empresários dizem não ter por ser uma informação fechada do Instituto Curitiba de iNformática (ICI) e que determnina o valor da passagem. Este controle é muito mais imnportante do que a tal pesquisa origem-destino.

  4. Sansan
    sexta-feira, 22 de março de 2013 – 10:53 hs

    Ratinho Jr… Inicia uma grande articulação, menino esperto.
    Estamos juntos e sucesso

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*