Professores apresentam a Ratinho Jr ideias para reutilização de resíduos | Fábio Campana

Professores apresentam
a Ratinho Jr ideias para reutilização de resíduos

No fim desta manhã, o secretário de Estado do Desenvolvimento Urbano, Ratinho Junior, recebeu um grupo de professores e pesquisadores da Universidade de Boras, na Suécia. O grupo trouxe a ideia de reutilização de resíduos adotada há 40 anos em Boras, cidade considerada a mais limpa do mundo. “Todas as novas e boas ideias, que possam trazer benefícios à população e aos municípios do Paraná, são bem vindas”, disse Ratinho Junior.

O gestor do projeto é o engenheiro e mestre na Faculdade de Engenharia, PhD da Universidade de Boras, Hans Björk. Ele estava acompanhado do professor em biotecnologia e diretor de recuperação de recursos da mesma universidade, Mohammad Taherzadeh, e do empresário Fredrick Joahansson.

Também presente no encontro estava o engenheiro civil brasileiro Fernando Salino Cortes, especialista em resíduos sólidos, em engenharia sanitária e ambiental e mestre em saúde pública. Salino Cortes traduzia e explicava o projeto que aproveita e transforma integralmente resíduos orgânicos, possibilitando chegar ao “Lixo Zero”.

A transformação da matéria orgânica em biogás permite total aquecimento e resfriamento do ambiente em prédios públicos e particulares, nas residências, e também da água. Ainda o uso do biogás como combustível para os carros e motores diversos. “Enfim, é um projeto auto-sustentável em toda a sua extensão”, resume Björk. Para ser usado no Brasil, de acordo com os especialistas, serão necessárias adaptações do projeto, como o de incluir a participação dos carrinheiros ou catadores de papel.

O grupo de especialistas chegou a SEDU trazido pelo engenheiro civil Antonio Borges dos Reis que conheceu os suecos e o projeto quando esteve em Cabo Verde, por designação do Ministério das Cidades, para fazer uma palestra sobre acessibilidade. Os mestres suecos apresentaram o projeto para aproveitamento total do lixo em um trabalho de gestão integral.

“É um projeto que para obter sucesso precisa que sejam protagonistas toda a comunidade, as autoridades, a Universidade e os empresários. No caso de Curitiba, que já possui uma cultura de separação do lixo, também dos carrinheirros”, explica Borges dos Reis.

O deputado estadual Artagão Junior, que esteve há poucas semanas na Suécia, conheceu o projeto do “Lixo Zero” e se mostra entusiasmado. “Temos de fazer projeto piloto para depois implantar em todo o Paraná”, advoga.

O grupo de especialistas suecos já assinou um Termo de Cooperação com a Universidade Federal do Paraná para um intercâmbio de conhecimentos sobre o projeto “Lixo Zero”.


2 comentários

  1. Kacetada
    quarta-feira, 27 de março de 2013 – 7:12 hs

    Não são novas idéias. São velhas, só quie aqui vcs políticos não adotam por que não convem aos seus financiadores….

  2. Lee
    quinta-feira, 28 de março de 2013 – 8:56 hs

    Sim, porque nesses lixões que há hoje em dia, criam-se muitos animais transmissores de doenças.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*