O desabafo de Joice Hasselmann | Fábio Campana

O desabafo de Joice Hasselmann

Joice Hasselmann, que está numa cruzada pela investigação de denúncia de corrupção que recebeu e que repassou ao Gaeco, do Ministério Público, faz um desabafo. Conta as pressões, os interesses, os assédios que vem sofrendo e sobre o caráter da medíocre vida política nativa, marcada pelo domínio do baixo clero. É o que segue:

Sobre a bomba no coração do Palácio – um desabafo
Do BLOG DA JOICE

Nesses últimos dias em que tenho acompanhado de perto denúncia que está nas mãos agora de um grego, um troiano e um baiano sobre uma obra gigantesca a ser feita no Paraná e o favorecimento, mediante agrado, de importante construtora, pude perceber algo realmente triste. Em meio a tudo isso, a uma suspeita grave, que precisa ser investigada muito de perto, pouquíssima gente está interessada realmente na verdade dos fatos.

São raros os exemplares do mundo político que querem saber se houve direcionamento, corrupção, armação, quem são os culpados e quem são os inocentes. Um grupo formado pela oposição e também por integrantes da situação está de um lado tentando fritar aquele ou aqueles que supõem sejam os beneficiados com o gordo agrado. Querem usar a informação, tão grave, politicamente. Do outro lado está o outro grupo formado por aqueles que temem ter sido citados na conversa, ou sabem que foram e colegas que tentam salvar na verdade a própria pele e aí vale tudo, até arrumar um nome para entrar de gaiato do navio, ou seja, tentar culpar um inocente (inocente diga-se de passagem apenas nessa denúncia específica). Sabe como é malandragem, usar a informação politicamente faz parte! Não é isso?


E a verdade? Ora, ora, nessas bandas saber a verdade, punir quem realmente tem culpa no cartório, inocentar aqueles que estão “limpos” acabam sendo detalhes, simplesmente detalhes. Para essa turma o que importa é fritar o inimigo, abrir caminho, passar por cima de qualquer um para salvar a própria pele e se der faturar em cima.

E quanto ao que é moral e legal? E quanto ao som bonito da verdade? Puxa, imagino quantos estão pensando agora: “que discurso mais antigo!”. E tem razão quem pensa assim, porque atualmente parece mesmo coisa do passado falar no que é correto. Pois vou dizer uma coisa, em tom de desabafo mesmo, a sensação que tenho é que é que esses princípios todos são vistos como sacanas e démodés por uma parcela muito significativa dos barões, tubarões e marionetes. Sim, imagine ser honesto nos dias de hoje? Que absurdo!
Então aos que preferem não mudar o sentido das palavras ética e decência o que resta? Nos resta ficar fora de moda, démodés e por mais incômoda que seja essa palavra para muitos, honestos. Claro que tenho convicção que alguns tem engulhos ao ler e ouvir tal heresia, essa coisa aí de honestidade, mas sim, é o que resta, e para piorar é melhor mais honesto ficar….nem que seja só para sacanear.


12 comentários

  1. sergio silvestre
    sexta-feira, 22 de março de 2013 – 12:39 hs

    Uma coisa é denunciar lá em pirabuzunfa uma tramóia dessa,outra é em Curitiba,um famoso penico de falcatruas e de gente poderosa por tráz.Se ela ir em frente vai ser fritada,e pelo jeito não vai recuar.
    Se a oposição entrar na parada,bom para ela que dilui seu comprometimento,deixando com eles as provas e é claro vão usar isso contra o governo.
    O que é preciso,que as instituições de curtiba cobrem isso ,mas ai é que mora o perigo.Estas instituições são as que sempre fecharam os olhos e são beneficiadas com isso.
    E se passaram os dias,logo esquecem e as reuniões vão continuar e os conchavos vão acontecer e o governador vai se reeleger.
    Esse é o Parana.

  2. sexta-feira, 22 de março de 2013 – 14:21 hs

    descobriram a américa

  3. ernesto
    sexta-feira, 22 de março de 2013 – 16:11 hs

    Olha, a solução é bem simples. Libere o conteúdo das gravações e pronto. Esqueça o resto, entregue ao mundo e a Deuz a repercussão dos fatos. Quem tem culpa no cartório que se explique.

  4. Que Original
    sexta-feira, 22 de março de 2013 – 16:49 hs

    Belo desabafo, apesar de parafrasear – sem citar – Elisa Lucinda e seu texto ‘Só de Sacanagem’.

  5. Padre Aneico
    sexta-feira, 22 de março de 2013 – 18:11 hs

    No caso o ditado é. Onde teve fumaça vai ter fogo.

  6. Rafa
    sexta-feira, 22 de março de 2013 – 20:49 hs

    Entendo o seu desabafo. É desesperador ver tanto roubo e bandidagem e o pior, sem motivo. Antes quem roubava era por necessidade, fome, pobreza. Hoje praticamente todos roubam. Empresas entram em esquemas de favorecimento de políticos para conseguir contratos. E qual é o resultado disso tudo é o que você diz: Mudança no sentido da palavra decência e ética. E isso fere toda a sociedade não só quem corrompe e quem é corrompido mas, todo o povo. Existe uma mudança de valores e de caráter geral em toda população. Todos querem roubar e enganar já que ricos roubam, políticos roubam, pessoas cultas roubam, profissionais ao exercerem sua profissão roubam e aceitam propina,porque ser honesto? O resultado é não poder deixar o carro numa vaga que vem alguem e rouba. O resultado e ter um monte de documentos para se proteger de roubos das instituições. Socorro

  7. YSS
    sábado, 23 de março de 2013 – 7:15 hs

    A Joyce se perdeu…se tinha a denuncia, como jornalista deveria se organizar antes e mandar ver…explodir, afinal tem escandalo todo dia…mais um….nao ia fazer diferença. Acho que por inabilidade ou ma fé ela mesmo acabou se queimando com o episodio e esse discurso de que honesto é demodê não é bem assim, ainda existem instituiçoes vigilantes a ordem publica. O que passa para a opiniao publica é de que como ela anunciou o escandalo e depois recuou…ficou idea de que tem linguiça debaixo da farofa.

  8. Zé buscapé
    sábado, 23 de março de 2013 – 9:54 hs

    Tá na hora de começar a dar nomes aos gatos, faz um estardalhaço e deixa todo mundo curioso, fala logo pô…

  9. Celso Rocha
    sábado, 23 de março de 2013 – 13:36 hs

    Fábio em homenagem a nobre e digna jornalista, radialista, blogueira e apresentadora de televisão Joice Hasselmann, fica o conhecidíssimo poema do poeta português Sidônio Muralha:

    “Parar. Parar não paro.
    Esquecer. Esquecer não esqueço.
    Se caráter custa caro
    pago o preço.
    Pago embora seja raro.
    Mas homem não tem avesso
    e o peso da pedra eu comparo
    à força do arremesso.
    Um rio, só se for claro.
    Correr sim, mas sem tropeço.
    Mas se tropeçar não paro
    não paro nem mereço.
    E que ninguém me dê amparo
    nem me pergunte se padeço.
    Não sou nem serei avaro
    se caráter custa caro
    pago o preço.”

  10. Cristina Shimmer
    sábado, 23 de março de 2013 – 16:34 hs

    Joice você é muito especial…corajosa, linda, sou sua fã

  11. sergio silvestre
    domingo, 24 de março de 2013 – 22:07 hs

    Cristina Shimer!!!!!!!!!!!!!!!! hummmmmmmmmmmm,Será?

  12. adriani
    quinta-feira, 23 de maio de 2013 – 9:37 hs

    Sei perfeitamente o que a Joice quer dizer, para pessoas que não entendem é fácil criticar e dar opiniões ainda sem conhecimento de causa. Vivemos em um país perigoso e se fala algo a mais,amanhece com a boca cheia de formiga e só vai ser mais uma que falou e não adiantou nada. Joice, adoro vce e continue sua vida íntegra.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*