Ministro Aldo Rebelo e as ideias do Pessôa | Fábio Campana

Ministro Aldo Rebelo e as ideias do Pessôa

Há cerca de um ano, o jornalista, escritor e estudioso do futebol, Carlos Alberto Anciutti Pessôa, que vem a ser o conhecido Nêgo Pessôa, fez chegar às mãos do ministro Aldo Rebelo um minucioso estudo sobre a situação dos clubes brasileiros e suas dívidas com o fisco, especialmente com obrigações trabalhistas, que não podem continuar inviabilizando o futebol nativo.

São ideias colhidas nesse estudo do Pessôa que o ministro dos Esportes, Aldo Rebelo, começa a propor como salvação dos clubes e do futebol. A síntese das ideias do Pessôa vão no Leia Mais. Simples, objetivas e eficazes.

EXPOSIÇÃO DE MOTIVOS:

Considerando que a imensa maioria dos clubes de futebol profissional no Brasil são associações tradicionais, muitas delas centenárias;

Considerando que a unanimidade das mesmas há muito ou sempre transcendeu o restrito círculo de associados;

Considerando o indiscutível, oportuno e positivo papel psico-social que representam involuntariamente;

Considerando que são poderosos instrumentos de inclusão social, mobilidade horizontal e vertical;

Considerando que são inegavelmente democráticas – no sentido dado à palavra por Alexis Tocqueville;

Considerando que são verdadeiras paixões populares;

Considerando que são insubstituíveis veículos de identidade e afirmação nacionais;

Considerando as suas inestimáveis contribuições à Educação, à Saúde, à Integração Social, ao Orgulho Pátrio via esportes em geral, esportes amadores e futebol profissional em particular;

Considerando que a “Pátria de Chuteiras” só é possível graças a existência dos clubes – que a antecedem, a municiam de craques, valores e ídolos;

Considerando que sempre foram e praticamente continuam a ser associações sem fins lucrativos;

Considerando que ainda são essencialmente amadoras no verdadeiro sentido da palavra;

Considerando que foram, são e provavelmente continuarão a ser associações de inegável e gigantesca utilidade pública;

Considerando os prejuízos que sofreram em razão de demagógicos e populistas congelamentos dos ingressos;

Considerando que o preço dos ingressos foi e é voluntariamente subsidiado pelos clubes;

Considerando que o preço médio dos ingressos é ridiculamente baixo ao longo da história;

Considerando a exploração político-social do futebol e dos nossos clubes pelos vários governos pós-Império;

Considerando a longa exploração dos nomes dos clubes e dos seus jogos pela loteria esportiva;

Considerando a inexistência de contrapartida financeira minimamente condizente com a exploração acima referida;

Considerando o total de benefícios públicos decorrente das contribuições da loteria esportiva em pelo menos duas décadas;

Considerando a crítica e crônica hemorragia que abate a saúde de todos os nossos clubes de futebol profissional;

Considerando os efeitos deletérios desse lamentável estado de coisas – a migração em massa dos nossos craques pro Exterior não é o menor deles,

Cremos sustentável, legítimo e legal abater do total da dívida dos clubes com os órgãos governamentais federais os juros de toda natureza e as multas incidentes sobre o débito original, principal. Passível somente de correção monetária. Suficiente para resguardar os interesses do Tesouro e evitar excessos vexatórios.


11 comentários

  1. Negro
    domingo, 10 de março de 2013 – 14:14 hs

    Aí negrinho! Salve salve ao futebol!

  2. Carlos
    domingo, 10 de março de 2013 – 14:54 hs

    Considerando que os clubes de futebol são uma empresa como qualquer outra;
    Considerando que os maiores salários pagos no País são de jogadores e técnicos de futebol;
    Considerando que toda empresa e qualquer cidadão tem o dever de pagar suas obrigações fiscais;
    Considerando que a Constituição Federal determina que todos são iguais perante a lei;
    Cremos insustentável, ilegítimo e imoral qualquer abatimento das dívidas dos clubes de futebol, uma vez que estes deixaram deliberadamente de cumprir com suas obrigações fiscais e financeiras.

  3. NARIZ DE FOLHA
    domingo, 10 de março de 2013 – 15:12 hs

    SALVAÇÃO DOS TIMES BRASILEIROS ? DE NOVO ?

    O GO. FEDERAL JÁ FEZ UMAS DUAS OU TRÊS “SALVAÇÕES” E OS CARTOLAS, LADRÕES, NUNCA CUMPREM O QUE PROMETEM E VOLTAM A DELINQUIR.

    ENTÃO, AÍ VEM O NEGO PESSOA PARA DAR SUGESTÃO DE SLAVAÇÃO ? DE NOVO ? ATÉ QUANDO ?

    QUE SE LIXEM OS CLUBES DE CARTOLAS LADRÕES E MILIONÁRIOS.

  4. josé celso
    domingo, 10 de março de 2013 – 19:03 hs

    EM nome do ministro Rebelo, considerando seus considerandos
    considere-se engavetado, senhor Pessôa…

  5. Reinoldo Hey
    domingo, 10 de março de 2013 – 21:50 hs

    Perfeito, Nêgo. O Coritiba, por exemplo, está engessado na atual administração por dívidas contraídas anteriormente e que quadriplicaram na atual em função dos juros e multas.
    Há uns três “pangarés” que nos fizeram cair pra segunda e ainda acionaram judicicialmente o Clube. Corpo mole e bolso cheio.
    Para concluir: prazo mais longo e supressão de juros/multas seriam bem-vindos.
    Saudações Coxas!!!

  6. Diogo
    domingo, 10 de março de 2013 – 22:30 hs

    Considerando tratar-se de uma ideia lamentável, espero que o governo engavete ou jogue no lixo “estudo” tão absurdo.Lembro desse senhor: era um colunista que escrevia diversas abobrinhas em uma coluna na Gazeta do Povo, jornaleco que num raro momento de luz mandou-o para o chuveiro mais cedo para ficarmos no jargão do futebol. Raras vezes li texto tão cheios de clichês no sentido mais pejorativo que se possa dar as palavras. Realmente é preciso pouco para ser considerado um “estudioso do futebol” tupiniquim. E como ele “fez chegar às mãos do ministro” tal “estudo”: enviou pelo correio?

  7. sergio silvestre
    domingo, 10 de março de 2013 – 22:38 hs

    Não entendo uma empresa que é um time de futebol,dever a decadas
    centanas de milhões de reais e continuam com contas sem bloqueios on line para o governo se ressarcir.
    Não sei qual foi a proposta do Nego Pessoa,mas se foi uma maneira de perdoar as dividas,está na contramão das coisas.
    time que não tem competencia fecha .

  8. Parreiras Rodrigues
    segunda-feira, 11 de março de 2013 – 7:45 hs

    O “neguim” e o “branquim”, assalariados, 800 na carteira profissional, chegam ao estádio às 14 para assistir o jogo que começa às 18. Pegaram dois ônibus – quatro com a volta. Tomarão dois refri cada e um sanduba. Gastaram, no mínimo, 60 reais cada. Os ídolos deles, ganham, no mínimo, 2 milhões, fora comerciais, gentilezas de restaurantes, de casas de espetáculos, E, na Flórida, nos esteites – não na Flórida perto de Santa Fé, Lobato – vive nababescamente, num padrão de fazer inveja a muitos xeiques, um senhor Eurico Miranda.

  9. Pantcho
    segunda-feira, 11 de março de 2013 – 9:19 hs

    O problema é que os ditos “grandes” clubes concorrem com os “médio e pequenos” clubes com deslealdade…:
    1º que as verbas da tv são divididos entre o eixo rio-são paulo (maior fatia-enorme), minas e rs (fatia grande) e os outros, pr, bahia, sta catarina (menor fatia- menos da metado da fatia enorme); apesar do maior mercado ser rio-sp.
    2º que os que tem a fatia enorme e a grande contratam jogadores pagando (na maioria não paga em dia…) uma fortuna se comparado ao padrão nacional.
    3º que além de receber verba de patrocínio estatal (petrobras com flamengo – eletrobras com vasco e por aí afora…proibido por lei, mas como toda lei no Brasil não se leva a sério) estão com todos os impostos, TODOS e em todos os níveis, atrasados e pior não pagam!!!
    4º que os outros, também tem dívidas com impostos, bem menor e a maioria já estão pagando parcelamento, refis e etc… .
    5º e último, se for “perdoar” a dívida dos enormes e grandes, o que será de nós, dito por “eles”, pequenos??? Ganhar título a nivel nacional será impossível, ainda mais agora que os que jogam a libertadores vão entrar na sequência da copa do brasil (seria única chance, veja os coxos bi-vice…), se no brasileirão, quem tem dinheiro contratam os mellhores jogadores para montar um grupo muito forte!!!!

    Acredito que para por um “equilibrio” nas verbas, deveriam perdoar as dívidas dos pequenos e manter as dos grandes.

  10. Wilson Galvão de Oliveira
    segunda-feira, 11 de março de 2013 – 9:48 hs

    Nego Pessoa, vamos deixar os considerandos e partir para os finalmente; Os jogadores profissionais ganham bem, os Diretores idem e porque sonegam os impostos, para sobrar mais é logico, então meu irmão vamos pagar como todos os mortais, sem moleza.

  11. Constanza Del Piero
    segunda-feira, 11 de março de 2013 – 10:20 hs

    Interessante que o Atlético há muitos anos atrás, reuniu-se com seus credores, federais, estaduais e municipais, fez uma composição de suas dividas, e paga-as religiosamente, todas acrescidas de leoninas taxas de juros, multas e correções estratosféricas.
    Tanto que hoje o clube tem crédito em qualquer instituição bancária do Brasil e do exterior, e é considerada a agremiação mais bem administrada do país.
    O velho Nêgo Pessoa, iratiense e coxa branca de quatro costados, deve ter trocado umas idéias com o presidente Virso. antes de botar essa asneira no papel.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*