Médica acusada de antecipar mortes em UTI é destaque na CNN | Fábio Campana

Médica acusada de antecipar mortes em UTI é destaque na CNN

Do R7:

O caso voltou a ganhar destaque depois da notícia de que diretores do hospital curitibano também poderiam ser investigados
A médica acusada de antecipar a morte de sete pacientes quando dirigia a UTI do Hospital Evangélico, em Curitiba, entre 2006 e este ano, foi destaque em TV internacional nesta quinta-feira (28).

O caso que envolve Dra. Virgínia Soares de Souza foi noticiado pela rede CNN com transmissão ao vivo da jornalista correspondente do canal no Brasil, Shasta Darlington.

O caso voltou a ganhar destaque depois da notícia de que diretores do hospital curitibano também poderiam ser investigados junto com Virgínia Soares. O Ministério Público do Paraná pediu novo inquérito policial para investigar se houve antecipação de mortes.

Na segunda-feira (25), o MP-PR (Ministério Público do Paraná) entrou com um recurso contra a decisão da Justiça de revogar a prisão da ex-chefe da UTI (Unidade de Terapia Intensiva). A médica foi solta na última quarta-feira (20). O pedido não tem prazo para ser analisado pelo juiz.


15 comentários

  1. Laura Rodrigues
    quinta-feira, 28 de março de 2013 – 20:32 hs

    Isso aí é trabalho da POLÍCIA CIVIL DO PARANÁ, que um monte de gente fala mal. Tá aí! Parabéns aos policiais civis e ao Dr. Michelotto, que tá fazendo um excelente trabalho! Tíveram que ouvir muito e calados, mas agora a verdade começa a aparecer. PC, parabéns pela CORAGEM, COERENCIA E PONDERAÇÃO!

  2. Rose
    quinta-feira, 28 de março de 2013 – 20:49 hs

    Que vergonha! Quanto as investigação penso que não só os diretores atuais devem se investigados mas, também todos os outros diretores a partir de 2006. Inclusive o Evangélico deveria ser auditado porque funcionários do hospital dizem a boca pequena que um certo deputado federal que mandou e desmandou lá dentro, desviou grandes somas de dinheiro que “quebrou” o hospital

  3. RENEZÃO
    quinta-feira, 28 de março de 2013 – 21:38 hs

    Colocasse o link do vídeo né Campana …

  4. Evangelus Próspero
    quinta-feira, 28 de março de 2013 – 22:13 hs

    Caríssimos ainda bem que apareceu alguém para investigar e comprovar os delitos que ocorrem diàriamente também em outras UTIS – fechou a porta ninguém sabe o que ocorre lá dentro. A maioria das UTIS 1. são mal localizadas nos piores espaços dos hospitais, sem visão externa e sem ventilação adequada, o que causa um mal humor permanentes na equipe médica e enfermagem . 2. é raro a UTI que tenha médico plantonista titulado, geralmente servem de bico para outros especialistas melhorarem seus ganhos. 3. o ruído hostil é permanente em utis, principalmente quando ocorre uma parada cardiorespiratória se tiver algum paciente lúcido por perto do “quase morto” ele entra em parafuso. É pior ainda quando se fica ao lado de pacientes comatosos e com respirador, é infernal.4. os idosos com doenças crônicas povoam as utis produzindo uma grande fonte de renda; geralmente AVCS, neoplasias em fase terminal, Alzheimer. A estatística mostra que mais de 80% dos pacientes são grandes idosos que ali são colocados pelos seus médicos de origem ” que se livram do pepino” de ter que fazer visitas e deixam a mercê dos plantonistas que não tem afinidade nenhuma com o pobre coitado. 5. os hospitais que se dispõe a atender idosos devem obrigatòriamente ter utis intermediárias para que estes permaneçam ao lado dos familiares; hoje em Curitiba apenas dois tem, pois a alegação é que custa muito e com isso o cidadão permanece longo tempo para se restabelecer ou vai pro céu!!!!!!! 6. a maior parte das utis são propriedade particular do chefe e da equipe médica e não dos hospitais, o que permite ampla liberdade de ação passando por cima na maioria das vezes das normas do hostpital. 7. os problemas não são só dos pacientes do SUS e sim de todos que estão em uti – falta humanismo; havia uma UTI em tempos idos que tinha uma parceria com grupo de psicólogos/psiquiatras para reciclagem permanente de toda a equipe – isso deve ser obrigatório. Surtos psicóticos em médicos e enfermeiros em utis são frequentes……….o contato com a morte e a hostilidade com familiares que “sempre estão descontentes” pela gravidade da situação altera o emocional. 8 Espero que com a equipe de auditoria permanente anunciada pelo secretario municipal de saúde para fiscalizar as utis a situação melhore, mas a curto prazo vão surgir denúncias e queixas em outros locais…………espero que não tão graves!!!!! 9. e como disse a Laura Rodrigues ” agora a verdade começa a aparecer” – no inicio todos achavam que era falacia, e os médicos ficaram ofendidos em ver que sua profissão estava sendo deturpada e ao invés de ajudarem a separar o joio do trigo ficaram tumultuando, acreditando no fantasmagórico rábula que vive em cenas na TV abraçado com a ré e falando mal de todos que detectam os problemas, ninguém sabe nada, tudo é fantasia, a mídia exagera, ele criou uma paranóia que foi abraçado por incautos e medíocres e lhe deram espaço que a meu ver a OAB deveria fiscalizar – marketing gratuito.

  5. André
    sexta-feira, 29 de março de 2013 – 2:02 hs

    Belo trabalho da Policia Civil que deve ser conhecido!!!!!!!!

  6. Indignado!
    sexta-feira, 29 de março de 2013 – 7:14 hs

    Agora já não são mais os cidadãos de Curitiba e do Paraná, mas sim do mundo, que “certamente” terão de pedir desculpas à Dra. Virgínia pelas injustiças que estão cometendo ao prejugá-lá! Rsrsrs… Quem sabe agora “simpatizante$ de mensaleiro$” não param de postar mensagens de apoio “à cau$a” da “Admini$tração Evangélica” voltada para a “célere liberação de corpo$” daquele “mórbido no$ocômio”… Eu rio muito com tanta “arrogância” e “falta de credibilidade” daqueles poucos que “acreditam” e “abusam do poderzinho e prestígio” que eles acham que tem, ao absurda e loucamente tentarem classificar este caso como o maior erro investigatório de todos os tempos, ofendendo ainda a mais antiga das instituições do Estado do Paraná, ao insinuarem de forma perversa que a polícia civili que não sabe investigar…

    Pergunto: estes poucos arrogantes e desmedidos ofensores já começaram a preparar seu pedido de desculpas à opinião pública e toda a polícia civil do Paraná? Ou será que seu discursinho “esquerdofrênico” vai ser o de dizer que – se condenada a médica – a culpa foi da imprensa golpista?

  7. Pedro
    sexta-feira, 29 de março de 2013 – 9:31 hs

    Parabéns, gostaria de saber agora onde fica a culpa de vigilância sanitária que não fiscaliza os hospitais, sao leis que não sao cumpridas, tudo mal fiscalizados até tocos de cigarros foram encontrados na sala dessa medica o pelo código sanitário isso daria cassação do alvará do estabelecimento. E nada aconteceu

  8. Matraca da lapa
    sexta-feira, 29 de março de 2013 – 12:18 hs

    O advogado esta querendo ser mais noticiado que a própria noticia. Gastou os seus trunfos no inicio e na mídia.
    A defesa técnica de Virgínia esta sendo prejudicada, vai acabar indo a Juri e no Juri nao tem conversa vai precisar de advogados do Juri. Agora só advogados salvam.
    Dra Virgínia boa sorte!

  9. sergio silvestre
    sexta-feira, 29 de março de 2013 – 18:04 hs

    Acho absurdo um sujeito como esse tal indignado botar esquerda no meio dessa confusão.
    Até sabendo que gente como essa,se fala pelos cotovelos,tambem pode errar sendo um policial ou médico.
    Já vi estas praticas,e agora vão tentar a todo custo incriminar a médica e o hospital,já que a coisa ao contrario de politicos que seus desmandos corre em sigilo de justiça.
    Já fui a anos vitima de mau atendimento a minha mãe,por esgotar minhas finanças na epoca.
    Pelo que se sabe,o sem dinheiro morre sim nos hospitais,pois não é o mesmo modo de tratar como aquele que esta pagando.
    Não adianta a hipocrisia de dizer que o tratamento é igualitario para todos,e esta de que só o evangelico de Curitiba cometia esses erros é de uma falta de comnhecimento daquilo que acontece a meia noite em utis.

  10. bico doce
    sexta-feira, 29 de março de 2013 – 19:37 hs

    Existe diferença entre antecipar a morte e assassinato ?

  11. sexta-feira, 29 de março de 2013 – 19:48 hs

    Eu ja tinha dito lá no começo deste assunto, e dizia que era estranho a Direção do Hospital não se manifestar, não se defender, e disse mais, que pra mim, a Diretoria estava envolvida desde o começo. Com objetivo claro que arrecadar mais, fazendo pela UTI um “rodizio”, de pacientes (matando os em piores situação), pra entrar pacientes novos na UTI de Planos de Saúde que pagam mais. Eu disse e agora se comprova.

  12. Carlos
    sexta-feira, 29 de março de 2013 – 22:07 hs

    O Indignado deve ser parente dela ou do escritório do dr Pavão. Estes nao ligam para as dezenas assassinadas na calada da noite no hospital pela Dra Virgínia e associados. Parabéns a Policia Civil e ao Ministerio Publico paranaenses. Foram contra os verdadeiros interesses $ e nao recuaram .

  13. Deutsch
    sexta-feira, 29 de março de 2013 – 23:45 hs

    Pena que a dilma não passou por essa UTI.

  14. Norberto Kraff
    sábado, 30 de março de 2013 – 0:41 hs

    A Polícia Civil, em especial, a Delegada que preside o inquérito do chamado “Holocausto do Hospital Evangélico”, merecem o Prêmio Nobel pelo corajoso e eficiente trabalho.

  15. PAULO
    domingo, 31 de março de 2013 – 16:37 hs

    que piada e essa …sete mortes…,umas sete mil ate da pra acreditar..imaginem essa mulher na uti a mais de dez anos,,quantos que ela ja mandou pro alem….cadeia nela ja..de preferencia o manicomio judicial. so pode ser uma psicopata..Holocausto no hospital ewangelico…

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*