Ideias de março está nas bancas | Fábio Campana

Ideias de março
está nas bancas

A revista Ideias de março está nas bancas com uma reportagem sobre o lado obscuro da Medicina e outra sobre as mazelas do sistema público de saúde.


6 comentários

  1. Analista de Bagé
    quarta-feira, 6 de março de 2013 – 8:39 hs

    Desculpa o “offtopic”, mas alguém pode verificar o estado de saúde do Prefeito G.Fruet?

    Estou muito preocupado, pois estão noticiando que o “Chorão” morreu…

  2. Comentário adequado
    quarta-feira, 6 de março de 2013 – 8:53 hs

    $erá o Valdemiro? Diz: Seu comentário está esperando confirmação .
    6 mar 2013 – 08:41
    A partir de amanhã o deputado federal Edmar Arruda, do PSC de Maringá, entra em período de licença por 122 dias, devendo aproveitar o período para tratar de assuntos particular e para visitar os municípios que integram sua base eleitoral.

    Assume o terceiro Arruda na Câmara Federal pelo Paraná e da Igreja do Apóstolo Valdemiro:
    MISSIONARIO RICARDO ARRUDA – 33.119 votos no PSC

    Ele já foi candidato a vereador em SP pelo PDT em 2000:

    http://www.fichapolitica.com.br/?fp=62588

    http://www.gazetadopovo.com.br/votoconsciente-2010/candibook/ficha.phtml?id=936

  3. ernesto
    quarta-feira, 6 de março de 2013 – 13:46 hs

    Sistema público de saúde? O Evangélico é um hospital privado.

    R: São duas matérias. Uma sobre o lado obscuro da medicina e outra sobre o sistema público de saúde.

  4. Beyt
    quinta-feira, 7 de março de 2013 – 10:39 hs

    De fato, é privado, embora receba algumas verbas públicas.
    Mas na formação acadêmica da medicina também estuda-se filosofia: Entre os primeiros grandes teóricos das teorias das probabilidades encontramos Bernouilli, Bayes e Laplace.
    Elesdefiniam a probabilidade como o quociente entre o número de casos favoráveis e o número de casos possíveis de serem solucionados. O resultado final é só sim ou não. Então isto pode-se aplicar também à existência humana?

  5. Beyt
    quinta-feira, 7 de março de 2013 – 10:46 hs

    “Estes casos favoráveis, por exemplo, dependem de quê? Para um defensor da
    interpretação subjetiva da probabilidade, eles estariam ligados à crença que o sujeito tem nestes casos. Desta forma, o grau de probabilidade estaria ligado aos sentimentos inerentes ao sujeito, tais como certeza, dúvida, etc”. Em outras palavras, que fator principal motivou a escolha dos pacientes que deveriam ou não ter acesso à continuidade da existẽncia?

  6. Beyt
    quinta-feira, 7 de março de 2013 – 10:59 hs

    Mas que houve uma tendẽncia, não se pode negar…
    pois…foram casos com certa frequẽncia, segundo a Mídia, que nesta semana deixou vazar os nomes dos que entraram em óbito naquele período e naquela Instituição
    “atribui-se uma probabilidade ao acontecimento individualapenas enquanto este acontecimento individual for umelemento de uma sequência de acontecimentos com uma
    frequência relativa” E agora, onde poderá resultar isto?

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*