FHC na Academia | Fábio Campana

FHC na Academia

Do Lauro Jardim:

A disputa pela vaga na Academia Brasileira de Letras aberta com a morte de João de Scantimburgo teve suas articulações iniciais num almoço no paulistano La Casserole, na quinta-feira. À mesa, Nélida Piñon, FHC, José Sarney e mais quatro pessoas.

No meio do almoço, Nélida foi avisada, por celular, que Scantimburgo morrera. Ato contínuo, avisou Sarney, que puxou FHC e ela num canto. Sarney convidou, ali mesmo, FHC a candidatar-se.

Nélida pediu um “de acordo” de FHC para que ela e Sarney pudessem levar o assunto aos outros acadêmicos. A dupla recebeu o o.k.

Nos dois dias em que se seguiram ao almoço em São Paulo, a movimentação foi intensa. FHC já conta com votos de grandes eleitores da ABL. Eduardo Portella, por exemplo, que estava com outro possível pretendente – Carlos Guilherme Motta – converteu-se ao ex-presidente.

FHC teria, já garantidos, os votos de Celso Lafer, Paulo Coelho, Merval Pereira, Geraldo Hollanda Cavalcanti, Antônio Carlos Secchin, Sergio Paulo Rouanet, Alberto da Costa e Silva, Sábato Magaldi, Hélio Jaguaribe, Marcos Villaça e José Murillo de Carvalho.

FHC quer ser candidato – ou melhor, quer ser imortal. Mas só entrará na briga com a certeza da vitória. Não quer, a essa altura da vida, entrar numa disputa como essa para perder. Não quer repetir JK. Até quinta-feira, avaliará esses apoios.

Salvo alguma surpresa de última hora, a cadeira será oficialmente declarada vaga na quarta-feira e, em seguida, chega à ABL uma carta de FHC assumindo a candidatura.

Em resumo, o pai da candidatura de FHC acabou sendo Sarney com quem esteve praticamente rompido a partir do final do seu governo. O motivo foi a ação da PF que resultou na implosão da candidatura de Roseana Sarney à presidência.
Por Lauro Jardim


5 comentários

  1. Tio Quim
    segunda-feira, 25 de março de 2013 – 14:49 hs

    O que a vaidade não faz com as pessoas. Convite do Sarney ninguém merece.

  2. verdade
    segunda-feira, 25 de março de 2013 – 19:35 hs

    Realmente eh o final dos tempos!

  3. sergio silvestre
    segunda-feira, 25 de março de 2013 – 22:28 hs

    Dois presidentes mediocres,e dois supostos escritores não lidos.
    Alguem dos colegas conseguiu ler um livro do Sarnei ou DO fhc?
    Duvido.prefiro ler as baboseiras do PARREIRA.

  4. guri de palmas
    terça-feira, 26 de março de 2013 – 8:48 hs

    Qual foi a obra literária do FHC?
    O Sarney pelo menos escreveu dois livros: O norte das águas e Os marimbondos de fogo.
    Embora seja uma literatura que só maranhense compreende

  5. OCIMAR
    terça-feira, 26 de março de 2013 – 10:19 hs

    GRANDE FHC,O MELHOR PRESIDENTE QUE O BRASIL JÁ TEVE,A NÃO SER PRA TURMA DO MENSALÃO.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*