Dilma oficializa troca na Agricultura, no Trabalho e na Aviação Civil | Fábio Campana

Dilma oficializa troca na Agricultura, no Trabalho e na Aviação Civil

Moreira Franco, Antônio Andrade e Manoel Dias, que serão anunciados em ministérios nesta sexta-feira

Da esq. para dir.: Moreira Franco, Antônio Andrade e Manoel Dias.

Da Folha de S.Paulo:

A presidente Dilma Rousseff oficializou nesta sexta-feira trocas em três ministérios: Moreira Franco (PMDB-RJ) irá para a Aviação Civil, Antônio Andrade (PMDB-MG) para Agricultura e Manoel Dias (PDT) para o Trabalho. As mudanças fazem parte da reforma ministerial da presidente.

O anúncio oficial será feito na tarde desta sexta, com agradecimento aos antecessores.

Devido à viagem de Dilma a Roma, para participar da missa que vai inaugurar o pontificado do papa Francisco, na terça-feira (12), as posses ocorrerão neste sábado (16), no Palácio do Planalto.

A Secretaria de Assuntos Estratégicos, a cargo de Moreira, não será ocupada pelo PMDB: ficará com o interino da pasta. Anteriormente, a expectativa era que Mendes Ribeiro (PMDB-RS), desalojado da Agricultura, poderia assumir o cargo.

A troca de Mendes Ribeiro por Andrade faz parte de um acordo pelo apoio do PMDB mineiro à candidatura do petista Patrus Ananias para a Prefeitura de Belo Horizonte, na eleição de 2012.

Já no Trabalho, pasta controlada pelo PDT, Manoel Dias substituirá Brizola Neto, desafeto de Carlos Lupi, presidente da legenda e demitido por Dilma da mesma pasta após denúncias de irregularidades em 2011.

A troca por um aliado de Lupi visa garantir apoio do partido à presidente na eleição presidencial de 2014. Possível candidato de Dilma em 2014, o governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB), já flerta com os pedetistas.

No caso da Aviação Civil, atualmente ocupada por Wagner Bittencourt, um técnico sem vinculação partidária, a troca acontece para acomodar o PMDB em uma pasta com maior importância na Esplanada. Na opinião de peemedebistas, a Secretaria de Assuntos Estratégicos não tem potencial para que suas ações sejam convertidas em dividendos eleitorais.

Já as possíveis pastas destinadas ao PSD de Gilberto Kassab só deverão ser anunciadas no mês que vem.

PSD

Após meses negociando a entrada do PSD no governo, o ex-prefeito de São Paulo Gilberto Kassab disse ontem que o partido não deve assumir um ministério neste momento. Em jantar com a presidente, ele afirmou que ainda é cedo para se comprometer com o apoio ao governo e à reeleição de Dilma em 2014.

Kassab disse à presidente que continua disposto a apoiá-la, mas decidiu que não fará nenhuma indicação por enquanto. “Não teria sentido integrar o governo agora. Vamos manter nossa independência, mas apoiando o governo em tudo que for bom para o país”, afirmou.

Ao recusar-se a indicar nomes do PSD para um ministério, o ex-prefeito deixou uma porta aberta ao dizer a Dilma que o partido não vai se opor se ela quiser nomear alguém filiado à sigla para algum cargo em “caráter pessoal”.

A ressalva permite que a presidente mantenha em seus planos o vice-governador de São Paulo, Guilherme Afif Domingos, que é do PSD e está cotado para assumir o recém-criado Ministério da Micro e Pequena Empresa.

Antônio Andrade, que vai assumir a Agricultura
Antônio Andrade (PMDB-MG), que vai assumir a Agricultura

Presidente estadual do PMDB em Minas, Antônio Eustáquio Andrade Ferreira está em seu segundo mandato como deputado federal. Ele vai assumir o Ministério da Agricultura.

Andrade é natural de Patos de Minas (MG). Formado em engenharia civil pela UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais), é produtor rural.

Em 2009, foi eleito presidente da Executiva Estadual do PMDB de Minas Gerais e, em 2012, foi eleito presidente da Comissão de Finanças e Tributação da Câmara dos Deputados, cargos que ainda ocupa.

Manoel Dias, que assume o Trabalho
Manoel Dias (PDT-SC), que assume o Trabalho

Atual secretário-geral do PDT, Manoel Dias é aliado do presidente da sigla, Carlos Lupi, e assume o Ministério do Trabalho após Brizola Neto perder o respaldo do partido.

Natural de Santa Catarina, foi líder estudantil na década de 60 e ajudou o avô de Brizola Neto, o ex-governador Leonel Brizola, a fundar o PDT.

Durante a ditadura militar (1964-1985) teve o mandato cassado em duas oportunidades. A primeira em 1964, quando era vereador na cidade de Içara, com base no Ato Institucional nº 1 (AI 1). A segunda cassação aconteceu com o AI-5, quando era deputado.

Foi candidato ao governo de Santa Catarina em 2006 e a vice-governador na chapa de Angela Amin (PP), em 2010, mas em nenhuma ocasião conseguiu se eleger.

Moreira Franco, que assume a Aviação Civil
Moreira Franco, que assume a Aviação Civil

Wellington Moreira Franco, que assumirá a Secretaria de Aviação Civil, é sociólogo e fez carreira política e acadêmica no Rio de Janeiro, onde foi eleito governador em 1987.

Começou sua militância no movimento estudantil, como dirigente estadual da Ação Popular (AP).

De 1998 a 2002, foi assessor especial do presidente Fernando Henrique Cardoso. Em julho de 2007 assumiu a Vice-Presidência de Fundos e Loterias da Caixa Econômica Federal.

Em 2011 assumiu a SAE (Secretaria de Assuntos Estratégicos), cargo que deixa agora para assumir a Aviação Civil.


7 comentários

  1. LENZA TOLEDO
    sexta-feira, 15 de março de 2013 – 19:11 hs

    …que reforma, né!???

  2. Zé Cerealista de Campo Mourão
    sexta-feira, 15 de março de 2013 – 19:28 hs

    No Ministerio da Agricultura devia ser o Senador Blario Maggi de Mato Grosso do PR, que já estava indicvado, agora essa não entendi!

  3. Inocêncio Pinto
    sexta-feira, 15 de março de 2013 – 21:29 hs

    Não consigo entender como pode estes caras que dizem ter passado politico atuante, que foram vitimado pela ditadura, mas os seus atos são oligárquico. O atual secretário-geral do PDT, Manoel Dias que diz ter sido caçado pelo AI-5, se fosse militar naquela época seria igual qualquer outro do SNI.
    O PDT é uma sigla de meia dúzia de cacique, entre eles o Manuel Dias, Carlos Lupe, Osmar Dias, que nunca fez nada louvável em prol da base militância. Usam durante as campanhas e depois descartam, como bagaço. Até hoje o partido não regulamentou os diretórios provisórios, justamente pra não conceder legitimidade garantida no estatuto do partido.
    São brizolistas do cacete!

  4. Zé Deodoro de Piraquara
    sexta-feira, 15 de março de 2013 – 22:45 hs

    Será que na gestão Moreira Franco a portaria ANAC 100/SIA/2013 que fechou o aeródromo Bonacin ao tráfego aéreo vai ser cumprida? Ou o intenso uso continuará?

  5. Parreiras Rodrigues
    sexta-feira, 15 de março de 2013 – 22:57 hs

    Fábio: Tá lá no paraná-online que Manoel Dias, o novo ministro do “Trabalho”, iria trabalhar para unir o PDT.

    Ué, e a gente pensava que ministro do Trabalho, trabalhava para melhorar a vida do trabalhador.

    Então, tá, fazer o quê, uai?

    A fêmea do bovino já se dirigiu para o charco mesmo e, com o trançado de fibra de cânhamo e tudo.

  6. FUI !!!
    sábado, 16 de março de 2013 – 4:45 hs

    A velha mania de “tapar buraco”. Com raríssimas exceções todos
    os ministérios são criados com a finalidade exclusiva de colocar in-
    competentes no poder onde nem entendem da pasta que ocupam…
    A verdadeira guerra dos poderes entre os partidos.
    Até o Lupi continua mandando e desmandando na presidencia do
    PDT e metendo a colher no prato da Dilma !?

  7. sergio silvestre
    sábado, 16 de março de 2013 – 9:26 hs

    Pompeo,Crasso e Julio Cezar,o primeiro triunvirato da Dilma.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*