Dilma empossa ministros do Trabalho, Agricultura e Aviação | Fábio Campana

Dilma empossa ministros do Trabalho, Agricultura e Aviação

Da Folha de S.Paulo:

A presidente Dilma Rousseff deu posse na manhã deste sábado (16) a três de seus novos ministros.

O deputado federal Antonio Andrade (PMDB-MG) assumiu o Ministério da Agricultura; Moreira Franco foi empossado novo ministro da Secretaria de Aviação Civil; e Manoel Dias será o novo ministro do Trabalho.

A reforma ministerial contempla o PMDB e o PDT, dois partidos da base aliada da presidente Dilma e tem o intuito de garantir apoio na eleição do próximo ano.

Andrade é do PMDB de Minas Gerais, ala do partido que ameaçava apoiar o PSDB, do senador Aécio Neves.

Moreira é aliado do deputado federal Eduardo Cunha (PMDB-RJ), líder do partido na Câmara e que vinha manifestando descontentamento com o governo.

Já Manuel Dias é aliado do ex-ministro do Trabalho e presidente do PDT, Carlos Lupi, que deixou a pasta após escândalos relativos a mau uso de dinheiro público, mas manteve o controle do partido.

A presidente não anunciou novo nome para a Secretaria de Assuntos Estratégicos, até ontem ocupada por Moreira Franco. O secretário-executivo, Roger Leal, ocupará o posto interinamente.

Mendes Ribeiro, que deixou a pasta da agricultura, voltará para a Câmara dos Deputados, onde é deputado pelo PMDB do Rio Grande do Sul.

Brizola Neto, que ocupava a pasta do Trabalho, é suplente de deputado federal. Wagner Bittencourt, ex-ministro da Secretaria de Aviação Civil, é servidor do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social).


2 comentários

  1. Alessandro
    sábado, 16 de março de 2013 – 17:08 hs

    Com a palavra, Jorge Gerdau:

    Folha de S. Paulo: O Brasil acaba de ganhar, agora, o seu 39º ministério. O Brasil precisa ter 39 ministérios?

    Gerdau: Não. Deveria trabalhar com meia dúzia de ministérios. Fazer um agrupamento de ministérios. Agora, na realidade, por contingência das estruturas políticas que você tem… Eu não sei quantos partidos nós temos hoje. A cada meio ano vem mais um. A cada composição dessas, novamente tem que ajeitar um ministério. Novamente falta o conceitual básico de que as decisões políticas tem que existir, mas a estrutura gerencial tem que ter estruturas administrativas. Esse fenômeno de ter esse número de partidos é consequência da estrutura política partidária que nós temos.

    Folha de S. Paulo: O número de partidos vai aumentar. É uma lógica perversa. A gente vai acabar tendo cada vez mais ministérios?

    Gerdau: É. Eu diria o seguinte: tudo tem o seu limite. Quando a burrice, ou a loucura, ou a irresponsabilidade vai muito longe, de repente, sai um saneamento. Nós provavelmente estamos no limite desse período.

  2. Nelson
    sábado, 16 de março de 2013 – 23:12 hs

    Empossar ministro do trabalho no sabado? Cade os sindicatos?

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*