Deputados discutem criação de 25 cargos para desembargador no PR | Fábio Campana

Deputados discutem criação de 25 cargos para desembargador no PR

Do G1 PR:

A Assembleia Legislativa do Paraná (Alep) vota nesta segunda-feira (25), em segundo turno, o projeto de lei que cria cargos para mais 25 desembargadores. Caso a proposta seja aprovada, o Paraná contará com 145 desembargadores.

A estimativa do Tribunal de Justiça (TJ) é de que a ampliação gere um custo aproximado de R$ 25, 5 milhões já neste ano, de 27,6 milhões em 2014 e de R$ 30,1 milhões em 2015. Este montante, segundo o TJ, é suportado pelo orçamento.

Ainda de acordo com o TJ, os cargos são necessários para evitar a obstrução do Segundo Grau. Atualmente, conforme o Tribunal, 36.000 recursos aguardam distribuição no órgão. Há câmaras em que o desembargador que a integra recebe de mil a 1.500 recursos por mês.

Além dos desembargadores, o projeto de lei prevê ainda a criação de sete cargos comissionados de assessoramento, para cada novo desembargador.


5 comentários

  1. Anônimo
    segunda-feira, 25 de março de 2013 – 10:51 hs

    . Essa ALEP E TJ É UMA FESTA …. TDO COM DINHEIRO DO CONTRIBUINTE …

  2. IVANOWSKI
    segunda-feira, 25 de março de 2013 – 10:52 hs

    . Essa ALEP E TJ É UMA FESTA …. TDO COM DINHEIRO DO CONTRIBUINTE …

  3. sergio silvestre
    segunda-feira, 25 de março de 2013 – 12:23 hs

    Não é melhor fazer 2 hospitais!!!!!!!!!
    Prá que serve desembargador?Para embargar mais ainda nossa lenta justiça,e aposentar melhor juizes em fim de carreira.

  4. Anônimo
    segunda-feira, 25 de março de 2013 – 13:03 hs

    É a festa da toga!

  5. Pedro
    segunda-feira, 25 de março de 2013 – 14:42 hs

    A grande questão por trás da criação de 25 novos cargos de desembargador é justamente a financeira. Não apenas o salário dos magistrados, o orçamento também abrange demais funcionários e recursos para exercer a função. Contudo, como o TJ informa haver verba para manutenção de tudo, a criação dester cargos vem para dar mais celeridade ao judiciário. Acho uma boa medida.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*