Cristovam: o PDT virou 'puxadinho do Planalto' | Fábio Campana

Cristovam: o PDT virou ‘puxadinho do Planalto’

Do :

Na definição de Mário Quintana, a guerra é um fantástico método prático de aprender geografia. Graças aos mísseis dos EUA, muita gente que confundia o Iraque com o Irã hoje conhece melhor o mapa do Oriente Médio. Em litígio com Carlos Lupi, presidente do seu partido, o senador Cristovam Buarque (DF) experimenta sensação análoga.

Cristovam acaba de se dar conta de a sede do PDT não fica no local onde ele imaginava. Meio atônito, revelou a lição de geografia partidária no Twitter: “Por que Dilma muda o ministro do PDT na véspera de Convenção do PDT? Por que a direção do PDT aceita? Viramos puxadinho do Planalto!” Noutra mensagem, o senador revelou-sedeslocado no tempo e no espaço: “Saí do PT para o PDT. E Lupi levou o PDT para o PT.”


5 comentários

  1. Constanze Del Piero
    domingo, 17 de março de 2013 – 20:10 hs

    Cristovam Buarque é apenas mais um dos que acreditaram na farsa Lulla; tiveram coragem, reconheceram o erro, de deram-lhe um sonoro ponta pé na bunda.
    Cometeu um segundo erro unindo-se ao pdt brizolista, versão light do partidéco marginal.
    Ainda dá tempo Senador, do sr. vestir uma camisa que não tenha vergonha de usá-la; tanto no corrompido congresso, como na Feira, domingo pelo manhã.

  2. Do Interior....
    segunda-feira, 18 de março de 2013 – 9:04 hs

    Sempre gostei do Cristovam Buarque. Contudo não posso falar o mesmo do presidente do seu partido.

    Quando os segundos dos partidos “alidados” não foram contados para a propagando eleitoral na TV, quem sabe, esta esculhambação na política não será melhor.

  3. Indignado
    segunda-feira, 18 de março de 2013 – 12:04 hs

    Exmo. Senador, só agora que consguiu descobrir? Há outros “puchadinos” por aí, inicia-se com a vice- presidência que é um puchadinho de luxo… essa é a estratégia do poder executivo para se manter no poder e fazer o que bem entende com a maioria dos congressistas e o povo brasileiro…

  4. Parreiras Rodrigues
    segunda-feira, 18 de março de 2013 – 12:51 hs

    As privatizações, chamam de concessões.

    A criação de cabides, ao aparelhamento, ao empreguismo, chamam de governabilidade.

  5. Cajucy Cajuman
    segunda-feira, 18 de março de 2013 – 20:39 hs

    O problema é que os partidos políticos perderam a vergonha na cara. Refiro-me aos partidos que se prostituem, se vendem, se associam e querem provar para a sociedade que são ‘base aliada’ deste ou daquele governo, quando – e na verdade – são BASE ALUGADA, regiamente cacifadas.

    Tanto é verdade, que basta uma dificuldade para emplacar interesses no governo, e essa mesma base – que se diz aliada -, começa a minar o interesse maior: do Estado. Vira uma guerra, terra sem lei, até que o governo ceda o quinhão exigido.

    O PDT de Carlos Lupi é um desses exemplos. Quando era ministro do Trabalho, foi arrancado do trono pela presidente, mesmo ele dizendo que só sairia à bala.

    Dilma colocou Brizola Neto que não tinha o apoio da maioria do seu partido e, menos ainda, a simpatia de Carlos Lupi. Empurrou o que deu. Acabou caindo por exigência do próprio Lupi que emplaca um subordinado como ministro e volta às “boas” com Dilma, na tal base aliada.

    Eu até ouso dizer que, a bem da verdade, o governo se torna refém desses políticos oportunistas que mandam e desmandam, sem dó nem piedade do povo brasileiro.
    Brizola tinha um nome a zelar. Estes, nem isso têm.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*