Casa da Mulher Brasileira será instalada em Curitiba | Fábio Campana

Casa da Mulher Brasileira será instalada em Curitiba

Foto de Roberto Stuckert Filho.

Curitiba irá receber recursos do governo federal para construir a Casa da Mulher Brasileira, um centro especializado de atendimento à mulher que oferecerá assistência jurídica, psicossocial e para geração de renda, dentre outras. Essa casa integra o programa “Mulher: Viver sem Violência”, do governo federal, lançado em Brasília pela presidenta da República, Dilma Rousseff, e pela ministra Eleonora Menicucci, da Secretaria de Políticas para as Mulheres da Presidência da República (SPM), nesta quarta-feira (12).

O custo médio de cada unidade é de R$ 4,3 milhões, incluindo construção financiada pelo governo federal, aquisição de equipamentos, mobiliário e transporte. A previsão é atender cerca de 200 pessoas/dia, 6 mil por mês e 72 mil ao ano. “O combate à violência tem de estar casado com medidas fortes de coerção, repressão, de cumprimento da lei e com reforço à autonomia das mulheres”, disse a presidente Dilma Rousseff.

A secretária municipal da Mulher, Roseli Isidoro, esteve no lançamento do programa, que prevê a adesão dos governos estaduais e municipais e a criação de centros integrados de serviços especializados, humanização do atendimento em saúde, cooperação técnica com o sistema de Justiça e campanhas educativas de prevenção e enfrentamento à violência contra a mulher.

A Casa da Mulher Brasileira será instalada em Curitiba numa área central, e contará com delegacia especializada de atendimento à mulher (DEAM), juizados e varas, defensoria, promotoria, equipe psicossocial (psicólogas, assistentes sociais, sociólogas e educadoras) e equipe para orientação na área de emprego, geração de renda, empreendedorismo e acesso ao microcrédito. A estrutura física terá ainda brinquedoteca e espaço de convivência para as mulheres.

O acesso aos serviços de saúde (instituto médico legal, hospitais de referência e unidades básicas) e de abrigamento será feito pela logística de transporte gratuito, vinculada ao Ligue 180 e à Casa da Mulher Brasileira.

“Hoje, a vítima entra para os serviços por delegacias, hospitais e Ligue 180. E, a partir daí, começa a busca por uma série de direitos que podem levar muito tempo e até mesmo custar a vida da mulher. Nosso objetivo é evitar que a vítima da violência se perca no caminho do acesso aos serviços públicos. Por isso, estamos investindo na integração da rede de serviços já existente e criando um modelo arrojado que faça frente à violência patriarcal”, afirma a ministra Eleonora Menicucci.

O programa “Mulher: Viver sem Violência” será instalado em 27 estados e reforça a rede existente de serviços públicos do governo federal, estados, Distrito Federal, municípios, tribunais de justiça, ministérios e defensorias públicas. Essa integração se dará por meio do Pacto Nacional pelo Enfrentamento à Violência contra as Mulheres, que será assinado entre o município de Curitiba e o governo federal no próximo dia 22 de março, durante a realização de um seminário promovido pela prefeitura em parceria com a Câmara Municipal. Curitiba será uma das cinco capitais brasileiras que assinarão convênio com o governo federal para a construção do centro integrado – Casa da Mulher Brasileira.

“Vamos captar recursos e reestruturar a Rede de Atenção à Mulher na cidade de Curitiba para garantir os direitos previstos na Lei Maria da Penha e também para assegurar a proteção integral da mulher curitibana”, disse Roseli Isidoro. Para ela, as ações anunciadas em Brasília, associadas à capacitação continuada de gestores e profissionais municipais e à realização de uma ampla campanha de prevenção e conscientização das pessoas, vai permitir “tirar a mulher da condição de sobrevivente e propiciar a que ela se torne senhora do próprio destino”.


6 comentários

  1. Max
    quarta-feira, 13 de março de 2013 – 22:40 hs

    kkkkkkkkkkk é para implantar mais cabides de emprego para PETEZADA que não coube na Prefeitura
    O Brasil desmorando em todos os indicadores economicos e sociais e Dilma e Gleyse fazendo campanha e pior COM O NOSSO DINHEIRO

  2. Vigilante do Portão
    quinta-feira, 14 de março de 2013 – 3:42 hs

    É mais um PRESENTE DE GREGO.

    O governo FEDERAL repassa uma graninha para construir a sede, e o MUNICÍPIO fica com os encargos de MANTER o Centro Integrado.

    Dilma faz a PROPAGANDA (inauguração, etc.), gasta UMA VEZ, enquanto o MUNICÍPIO gasta TODOS OS MESES.

    Funcionários, Salários, manutenção, limpeza, vigilância, Luz, água telefone…

  3. tadeu rocha
    quinta-feira, 14 de março de 2013 – 9:22 hs

    CASA DA MULHER BRASILEIRA EM CTBA, É MAIS UM GASTO PARA O BRASIL QUE NAO REAGE, ISSO SE CHAMA, PROPAGANDA ELEITORAL, ESTA CHEGANDO ELEIÇOES PARA GOVERNO NAO É MINISTRA, ISSO É UMA VERGONHA DONA DILMA, VEJA A SAUDE, SEGURANÇA ETC QUE ESTA HORRIVEL, SE PREOCUPE É COM ISSO, NAO PROPAGANDA ELEITORAL AS ELEIÇOES TEM QUASE 2ANOS AINDA..

  4. salete cesconento de arruda
    quinta-feira, 14 de março de 2013 – 11:37 hs

    Nós merecemos!
    As MULHERES GUERREIRAS DA PERIFERIA ATÉ O CENTRO sempre atuaram mais que muitos MACHOS que se encolhem diante de MULHERES e HOMENS DE VERDADE.
    Esse MACHOS só ficam de blá, blá, blá …nhém,nhém.nhém…

    MULHERES E HOMENS DE CURITIBA vão fazer a diferença e mostrar que esta cidade é outra vez DE TODOS!

    Antes de sermos masculino/feminino SOMOS TODOS – SERES HUMANOS e como tais devemos ser RESPEITADOS!

    E já é TEMPO de HOMEM QUE É HOMEM DE VERDADE fazer a REVOLUÇÃO MASCULINA antes que machos se afirmem como únicos da espécie. O que será o fim. Pois para ser MACHO não precisa nem ter cérebro pensante.

    O problema é que ainda tem MACHO que se acha o MÁXIMO. Nem percebe que APANHA DO PATRÃO, DO SISTEMA CAPITALISTA SELVAGEM…. pois enquanto pode… bate nos mais frágeis para encobrir sua raiva e sua impotência diante do próprio sofrimento.

    Vamos lá HOMENS!

    Tempo de LUTAR pelos seus DIREITOS de SER HUMANO!

    E não apenas MACHO!

    Ser MACHO é fácil. Qualquer animal IRRACIONAL consegue!

  5. Cajucy Cajuman
    quinta-feira, 14 de março de 2013 – 13:22 hs

    É preciso lutar contra a violência ao cidadão: homem, mulher, criança e idoso. É preciso um pacote global de medidas. Pulverizar verba e segmentar não resolve o âmago do problema. A criminalidade no Brasil mata mais que em muitas guerras. Olho vivo.

  6. Vigilante do Portão
    sexta-feira, 15 de março de 2013 – 2:46 hs

    Promessas,
    Apenas promessas.

    Dilma, ainda em 2008, PROMETEU centenas de Clínicas para tratmento de Viciados.

    Quantas estão funcionando?

    Prometeu 6 mil creches,

    Quantas sairam do papel?

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*