Brasil fica estagnado na 85ª posição do ranking de desenvolvimento humano | Fábio Campana

Brasil fica estagnado na 85ª posição do ranking de desenvolvimento humano

Elisa Andrade Gomes recebe Bolsa-Família e Bolsa-Escola, que, juntos, chegam a um salário mínimo (Hans von Manteuffel).

Por Luciane Carneiro, O Globo:

RIO e BRASÍLIA – O Brasil ficou estagnado no ranking do Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) de 2012. O país manteve a mesma 85ª posição que havia registrado em 2011, de acordo com dados divulgados pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud), de um total de 187 países. O indicador que apura o bem-estar das populações avançou de 0,728 para 0,730, uma alta de 0,27%, o que manteve o Brasil no grupo dos países de desenvolvimento elevado. A escala do IDH varia de 0 a 1. Quanto mais perto de 1, maior é o desenvolvimento humano no local.

Diante das críticas do governo em relação aos dados utilizados para o cálculo do IDH 2012, no entanto, o Pnud decidiu refazer as contas para o Brasil informalmente. Assim, o IDH do Brasil passou para 0,754. O país estaria, então, no mesmo nível do Cazaquistão, com IDH de 0,754, que ocupa a 69ª posição no ranking.

O recálculo foi feito com dados da Pesquisa Nacional Por Amostragem de Domicílios (Pnad) de 2011, enquanto no cálculo oficial do IDH a fonte é o Instituto de Estatísticas da Unesco. Um dos indicadores de educação considerados são os anos esperados de estudo da população. No caso brasileiro, a base para esse cálculo utilizada no IDH de 2012 foi 2005. Além disso, a média de anos de escolaridade utilizada foi a calculada com dados de 2010.

Os anos esperados de escolaridade, por exemplo, subiram de 14,2 anos para 15,7 anos. Já a média de anos de escolaridade saltou de 7,2 anos para 7,4 anos. A expectativa de vida — indicador de saúde para o IDH — subiu de 73,8 anos para 74,1 anos. Já o indicador de renda subiu de US$ 10.152 para US$ 11.547.

Segundo a analista de desenvolvimento do Pnud, Daniela Gomes Pinto, as novas contas para o Brasil não são oficiais e não podem ser usadas para reclassificar os países no ranking do IDH. Ela explicou que isso só poderia ser feito se o Pnud refizesse os cálculos para todos demais países. Ao ser questionada sobre o motivo pelo qual as contas brasileiras foram refeitas informalmente, ela explicou:

— Sabemos o impacto do relatório e do IDH para o Brasil. E também sabemos que alguns países podem ter um retrato diferente com dados mais recentes. Foi apenas um exercício.

Brasil é o 97º mais desigual do mundo
A parada na melhoria dos dados de educação segundo o cálculo oficial — que vinha em ritmo mais forte nos anos 90 e no início da década de 2000 — é um dos principais fatores que seguram o desenvolvimento humano brasileiro. E a situação é ainda mais preocupante quando se olha a desigualdade. Apesar da queda recente, o Brasil ainda é o 97º país mais desigual do mundo, no ranking de IDH que considera a desigualdade.

— O Brasil já esteve em 73º lugar no ranking de IDH, em 2010, e agora está em 85º. A distância do primeiro lugar hoje é maior do que já foi. Estamos atrás de Azerbaijão, São Vicente e Granadinas, e Omã. Efetivamente, a situação do Brasil no ranking do IDH piorou — afirma o professor da Universidade de Cambridge e da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Flávio Comim. — A educação é a imagem mais forte da parada, mas a renda não se mexe muito e a expectativa de vida também não.

A partir da entrada de novos dados, o Pnud recalcula o índice e por isso recomenda não se faça comparações com resultados anteriores.

O índice olha três componentes do desenvolvimento humano: saúde, educação e renda. Na saúde, a expectativa de vida do brasileiro subiu de 73,5 anos em 2011 para 73,8 anos em 2012. O nível é próximo ao da Bulgária, de 73,6 anos. A renda per capita passou de US$ 10.086 para US$ 10.152, na mesma base de comparação. A renda brasileira à próxima da do Cazaquistão (US$ 10.451) e Montenegro (US$ 10.471).

Já a educação ficou parada. Pelos dados do Pnud, o brasileiro tinha 7,2 anos de escolaridade em 2012, mesmo número de 2010 e 2011. O nível é próximo ao de países como Portugal (7,7 anos), Ilhas Maurício (7,2 anos) Já a expectativa de anos de escolaridade também está mantida em 14,2 anos desde 2005.

Leia mais em Brasil fica estagnado na 85ª posição do ranking do IDH.


10 comentários

  1. quinta-feira, 14 de março de 2013 – 17:43 hs

    n E aí salete… faço questão que vc. se manifeste quanto a esse indicadores, a já sei … é o tal do PIG , FHC, IMPRENSA “MARRÃO” ETC…. né sua fajuta.

  2. OCIMAR
    quinta-feira, 14 de março de 2013 – 20:50 hs

    É O “BORSA FAMIA”COMPRA DE VOTOS RESOLVE TUDO,pt QUADRILHEIROS,VAGABUNDOS.

  3. Silva Jr
    quinta-feira, 14 de março de 2013 – 20:54 hs

    Kkkkkkkkk, vamos postar aqui e comparar com os índices do governo tucano? Que oposição mais idiotizada, não aponta o quanto avançamos durante o governo trabalhista

  4. Silva Jr
    quinta-feira, 14 de março de 2013 – 20:57 hs

    O importante é que em seis anos, Lula fez quatro vezes mais do que FHC em oito anos.

  5. Marcos Leandro
    quinta-feira, 14 de março de 2013 – 21:34 hs

    Eu não acredito nessa elite Golpista que é as Nações Unidas , o PT claro , deve fazer uma manifestação de repúdio a esses dados colocados na mídia pela imprensa golpista , AI TEM COISA DA GLOBO .
    PHA . HAHAHHAHHAHAAHAHHA

    BOLSA FAMÍLIA DO
    LULA ELEVOU IDH

    IDH DO BRASIL
    SOBE 24%
    Site conversa afiada ,
    Como transformar um dado vergonhoso , em algo maravilhoso.

    Agora vamos combinar , atrás da líbia (EM GUERRA CIVIL) , Peru e Irã (A DUZENTOS ANOS COM EMBARGO ECONÔMICO) .
    É PRA ACABAR MESMO.

  6. NA CORDA BAMBA
    sexta-feira, 15 de março de 2013 – 5:18 hs

    O Brasil vive hoje uma situação já esperada para quem analisa o
    aspecto desenvolvimento humano. Quando o PT colocou como carro
    chefe o slogan bolsas (família, escola, gás, reclusão e outras…) e
    não intensificou a implementação na saúde e educação em primeirís-
    simo lugar, simplesmente deu o peixe e não ensinou pescar.
    Assim a eleição estará eternamente garantida, porem a miséria vai
    continuar !!!

  7. sergio silvestre
    sexta-feira, 15 de março de 2013 – 8:29 hs

    Esse indice é um pouco exagerado,até porque nosso pais está sendo invadido por trabalhadores gringos no sul e por americanos ,europeus e asiaticos no norte.
    Ai eles vem aqui,tiram fotos em alguma favela,com mendingos e pessoas que não são amantes do batente,e dá nisso ai.
    Nosso indice segundo eles é baixo.
    Sem contar que no norte,estão de olho na amazonia,onde tambem e baixo ,quase proximo de zero.Mas lá asteiam a bandeira americana,com indios falando ingles e andando de caminhonetas cabine dupla.
    Tem territorios que só entra brasileiro com licença ,enquanto estrangeiros tem acesso a tudo .
    Sem contar que a maioria destes estrangeiros são ladrões de riquezas,ou espiões procurando jazidas e petroleo.
    Acho que o governo é muito complacente ,com os ditos indios ricos de lá,e com esse monte de gringos que estão ocupando a amazonia.
    Se medir o IDH dos indios ,vão perceber que subiu muito,enquanto o branco azeitonado está na descendente.Enquanto a bases não são construidas e os helicopteros não desembarcam,ela continua no mapa como brasileira.
    Mas se deitarmos em berço explendido,logo vai ser incorporada ao imperio americano,

  8. sergio silvestre
    sexta-feira, 15 de março de 2013 – 8:30 hs

    Hasteiam,vem de haste,não procurei o pai dos burros.

  9. Anônimo
    sexta-feira, 15 de março de 2013 – 11:34 hs

    Quando sair o novo IDH do Paraná, com certeza teve uma boa melhora, aguardemos.

  10. salete cesconento de arruda
    sexta-feira, 15 de março de 2013 – 21:13 hs

    Haja contorcionismo!
    Mas que burrice!
    Está na IMPRENSA MUNDIAL.
    IDH cresceu!
    E o Fernando já está dizendo que o filho é dele!
    Rsrsrsrsrsrs
    Novo PARADIGMA na ECONOMIA que tem como prioridade o POVO e não o pibinho da massinha cheirosa da multidinha do Milleniunzinho.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*