André Vargas conseguiu errar duas vezes no mesmo projeto | Fábio Campana

André Vargas conseguiu errar duas vezes no mesmo projeto

O Deputado Federal André Vargas aprovou lei que dá o nome de Cecílio do Rego Almeida à rodovia Curitiba-Paranaguá. Diz que foi Cecílio quem a construiu. Há controvérsias. A família de Lysimaco Ferreira da Costa protesta contra a injustiça, pois quem construiu foi Lysimaco, não Cecílio.

Isso significa que Andre Vargas errou e desagradou duas vezes. Ao MST, que acusa Cecílio Almeida de ser o maior grileiro do planeta, e a todos que conhecem a história, especialmente os familiares de Lysimaco ferreira da Costa.


30 comentários

  1. Marcus Michelotto
    domingo, 17 de março de 2013 – 23:52 hs

    Perfeito Fábio. O nobre deputado se atrapalhou. O dr Cecilio foi uma pessoa iluminada da qual só tenho respeito. Mas quem abriu a mata no braço, a frente de todos os trabalhos da empresa Lysimaco e irmãos, e nos possibilitou termos esta estrada, foi meu avô Lysimaco. O deputado deveria ter estudado a historia antes da proposição.

  2. sergio silvestre
    segunda-feira, 18 de março de 2013 – 0:04 hs

    Votei no André Vargas para deputado federal,mas compadre voce pisou na bola colocando o nome deste empreiteiro ealimentador de campanhas de politicos.
    Ficou rico superfaturando obras,e esse tipo de gente não merece ser perpetuado.Pare deputado,seja mais objetivo e não um mero distribuidor de titulos.Posso te cobrar porque em ti confiei meu voto.

  3. macedo
    segunda-feira, 18 de março de 2013 – 0:11 hs

    quem construiu foi a ferrereira da costa, cecilio prestava serviço como empreiteira auxiliar na época e antes era engenheiro da ferreira da costa

  4. Denise
    segunda-feira, 18 de março de 2013 – 0:11 hs

    É duro ver a pessoa errada sendo homenageada. Já passei por isso e é traumático e inesquecível. Sei como dói.
    Fica aqui minha solidariedade para a família.
    Só me resta a curiosidade de saber desde quando que Rego Almeida combina com o PT?????

  5. luiz
    segunda-feira, 18 de março de 2013 – 8:06 hs

    Foi só uma pequena confuzão o Cecílio foi o homem que tornou-se o DONO da 277 que vai a Paranaguá. Lembram da festa que ele deu no Maxímis lá em São Paulo para festejar? Tem garçon que nunca vai esquecer, pois as gorgetas eram de 100.
    Agora saber quem projetou, construiu, serve pra que mesmo?

  6. Vitório Sorotiuk
    segunda-feira, 18 de março de 2013 – 8:59 hs

    E olha que ele em assessor de alto quilate! Tivesse consultado o Messias não haveria erro.

  7. ILSON DE OLIVEIRA
    segunda-feira, 18 de março de 2013 – 9:04 hs

    Até eu ! um humilde cidadão do litoral , sei que foi a empresa do Lisimaco Ferreira da Costa que construiu a estrada Curitiba-Paranaguá.

  8. Parreiras Rodrigues
    segunda-feira, 18 de março de 2013 – 9:05 hs

    Muito açodado esse deputado. Só dá furo…

  9. Jorge
    segunda-feira, 18 de março de 2013 – 9:20 hs

    Este sujeito cometeu um lapso, não por ingenuidade. Entrega-se todo arrepiado aos encantos do falecido capitalista selvagem CRA. Até os integrantes do MST já vislumbram o engo(r)do…

  10. PAULO ROBERTO GOMES FRANCO.-
    segunda-feira, 18 de março de 2013 – 9:37 hs

    ….DR. CECÍLIO MERECE MAIS DO QUE ISSO….NESTA VIA SE´RÁ LEMBRADO ETERNAMAENTE DE FORMA TORPE, EM VIRTUDE DO PEDÁGIO….PERTENCER A SUA EMPRESA.- ECOVIA.- PARA O CONSUMIDOR SERÁ UMA OFENSA….JÁ DERAM A ESTRADA AGORA DÃO NOME …..
    O DEPUTADO É POUCO SENSÍVEL….

    PR.

  11. Anônimo
    segunda-feira, 18 de março de 2013 – 10:55 hs

    entre os outros erros do deputado citado está o de sustentar que o Brasil existe a partir de 2003!!!!!!!

  12. CAPPO DA SILVA
    segunda-feira, 18 de março de 2013 – 11:19 hs

    Este é o pt do lulla, ignorante, inculto mas não é bobo, aí tem mordida.

  13. Dunha
    segunda-feira, 18 de março de 2013 – 11:19 hs

    Não é possível que isso ocorra em outros países tambem… não é possível…

  14. PLAYBOY
    segunda-feira, 18 de março de 2013 – 11:48 hs

    cecilio construiu o pedágio na estrada, na divisa entre morretes e são josé dos pinhais, ora bolas. “não deixa o nobre deputado molhar o bico, pô”

  15. André
    segunda-feira, 18 de março de 2013 – 12:26 hs

    Quem construiu a estrada foi Lysimaco Ferreira da Costa…Cecilio era funcionario da empresa!!!!!!!!!!!

  16. suetonio nogueira
    segunda-feira, 18 de março de 2013 – 14:02 hs

    Os comentários do Playboy e do Cappo até que são soerentes.
    mas com o devido respeito ao contrutor da estrada e ao explorador do pedágio, nem um nem outro construíram nada.
    Foram contratados e ganharam de uma forma direta ou indireta uma grana respeitável.
    Quem construiu essa estrada foi o meu dinheiro, dinheiro que sempre me descontaram trambém de forma direta e indireta.
    Querem homenagear alguem que o façam, mas não podem dar autoria de realizadors quando foram pagos para isso.
    Porca miséria, quem é o pai, o que furufunga a mulher ou o médico que faz o pré natal?

  17. Marcia Da Silva
    segunda-feira, 18 de março de 2013 – 14:36 hs

    Logo ele vai dar o nome do outro dono de pedágio para a rodovia.

    Aquele que fez um deposito na sua conta de campanha de 2006.
    É só conferir foi o dono da triunfo Luiz Wolf de Carvalho.

  18. Marcos Affonso
    segunda-feira, 18 de março de 2013 – 14:57 hs

    Prezado Vitório. Esse Messias depois que o fruet escanteou ele, virou lobbista. Acho que foi ideia dele para o deputado homenagear o grileiro.

  19. Alexandre Montanha
    segunda-feira, 18 de março de 2013 – 16:01 hs

    A dúvida que fica é: O que levou o nobre deputado a cometer tal “erro”? Será que tal erro não foi proposital e que algo muito vantajoso possa estar prestes a acontecer na conta do senhor deputado?

  20. escobar
    segunda-feira, 18 de março de 2013 – 17:20 hs

    Tanto um como outro deve ter se servido das benesses de quem é contratado para fazer uma obra pública. Parem de colocar o nome desses personagem em coisa pública, que tal nome de pássaro, só um número, de um animal qualquer; nome de político, de empreiteiro, não passa de puxa-saquismo interesseiro.

  21. Cajucy Cajuman
    segunda-feira, 18 de março de 2013 – 20:06 hs

    Interessante! Acontece que Vargas está é de olho nos dividendos que virão, por certo – e da família de Cecílio – em eleições futuras. O que vale dizer que ele está aumentando o seu cacife com vistas a 2014.

    Com o devido respeito ao falecido, todo mundo sabe que ele não era pessoa bem quista pela sua maneira ligeira, rápida e nada convencional de ganhar dinheiro… Aliás, falando em dinheiro, ele era um glutão!

    Os tais movimentos dos sem terra sempre tiveram ojeriza ao seu nome, não apenas pelo poder concentrado, como também pela forma como acumulava terras e mais terras nos mais diferentes cantos do país.

    Ora, André Vargas de bobinho não tem nada, nem o jeito de andar. Essa homenagem tem calibre certo, com aval e garantidor. Na política imediatista do momento, tudo tem troco e em verdes razões…

  22. Carlos
    segunda-feira, 18 de março de 2013 – 21:36 hs

    Caro Suetonio, é claro q sabemos q o dinheiro publico construiu. Mas quem constrói a obra fica lembrado. Isto em todos os ramos. Nao seja insensível.

  23. BAGRINHO DE OURO
    segunda-feira, 18 de março de 2013 – 21:47 hs

    QUE SAUDADES DE BENTO MUNHOZ DA ROCHA NETO, POLITICO CULTO E DO LITORAL. ESSES ´PÉ VERMELHO NEM SABEM DE ONDE CAIRAM E METEM O BEDELHO AQUI NO LITORAL.

    CALMA BENTO, LOGO ESSE ESTARÁ POR AI E VOCÊ ENSINA ELE, PORQUE AQUI ESTÁ DIFÍCIL.

  24. Proteu Dela Rue
    terça-feira, 19 de março de 2013 – 1:09 hs

    Se há um sujeito que na alma é DEM e esse André Vargas, a militância tem que se alvorar e ficar de atalaia, os bancários da Caixa e do BB sabem o quanto doi uma traição, este companheiro engavetou o PL da Isonomia, como se ele fosse dono das duas instituições. Um sujeito que queima incenso no altar do capitalismo não pode cerrar fileira no PT, sob pena de violarmos os princípios fundamentais do partido dos trabalhadores. A deputada Erika Kokai já está a merecer um lugar de destaque nesse governo.

  25. regis
    terça-feira, 19 de março de 2013 – 6:55 hs

    Estou na direção do CEEP LYSIMACO FERREIRA DA COSTA e gostaria de saber mais sobre o histórico desse homem pelo que entendi alem de professor foi empreiteiro.Comemoramos anualmente o dia do patrono gostarÍamos de receber alguém da família ferreira da costa. meu contato regisluiz10@yahoo.com.br

  26. Romão Miranda Vidal
    terça-feira, 19 de março de 2013 – 8:44 hs

    Todos o comentários, corretíssimos.E se continuar nesta linha de raciocínio, deverá propor que a Estrada da Graciosa,receba o nome do proprietário da Construtora Aranha, que a Ferrovia que liga Curitiba à Paranaguá, passe ser conhecida por ter sido construída pelo ex-presidente da Valec,o Juquinha das Neves.

  27. Constanza del Piero
    terça-feira, 19 de março de 2013 – 9:45 hs

    Os que criticam Cecílio do Rego Almeida saibam que o mesmo, não obstante suas histórias, truculências e outras lendas que sempre circularam em torno do seu nome, fez muito mais pelo Paraná e pelo Brasil, do que todo o bando petista, desde sua fundação.
    E mais, jamais roubou, como costumeiramente faz a petezada! – Pelo contrário, devemos a ele, a defenestração do
    Haroldo Leon Peres, então governador biônico do Pr, quando esse safado tentou extorquir-lhe um milhão de dólares, a troco dumas obras!

  28. Confirma aí
    sexta-feira, 22 de março de 2013 – 8:57 hs

    O cheiro da morte e o cheiro da vida
    Por Edmar Macedo*

    Naquela tarde de 11 de dezembro de 1992, no Teatro Guaíra, no centro de Curitiba, eram diplomados os vereadores da cidade. Aquela eleição tinha sido marcada pelas denúncias (com gravação de imagens inclusive) de que uma parte dos vereadores (o chamado “grupo pró-cidade”) teria sido financiada pela máfia do transporte coletivo. Pois bem, com denúncia e tudo, a maioria deles foi eleita.
    Naquela tarde da diplomação lá estavam representantes de vários movimentos sociais, militantes de partidos de esquerda. Quando subiam ao palco os acusados de receber a “caixinha” do transporte coletivo, lá estava a maré de vaias e apupos. Até que um dos líderes da quadrilha, digo, do “grupo pró-cidade”, fica irritado com aquilo tudo e, acompanhado de seguranças, se mete no meio da plateia distribuindo sopapos. Quem se junta a ele, com uma tropa maior ainda de seguranças particulares, é o empreiteiro e grileiro de terras Cecílio do Rego Almeida. A pancadaria foi generalizada; apanharam todos: jovens, mulheres, líderes comunitários, membros das pastorais sociais da Igreja e quem mais estivesse pela frente.
    Já na saída, os seguranças de Cecilio cercam um militante do PT, Oscar Fachini. Apanhou muito, do próprio Cecílio, que gritava histérico que ia “matar esses comunistas”. O então vereador Angelo Vanhoni era um dos que tentavam defender os manifestantes daquelas bandos de seguranças. E não acabou aí. Todos foram para a delegacia (antes passaram no hospital) prestar queixa contra os que haviam promovido aquela selvageria. No caminho entre a delegacia e o IML para os exames de praxe, Cafu, militante da APP-Sindicato e do PT, e mais uns são cercados pelo próprio Cecílio e seus seguranças, que agora não espancavam, mas ameaçam de morte se houvesse o prosseguimento da queixa.
    Terminada a noite, estávamos todos exaustos, amedrontados, mas com um sentido de dever cumprido. Afinal estava tudo mais ou menos no seu lugar: nós protestávamos contra a corrupção e a máfia que dominava a política da cidade. Cumpríamos nosso papel de militantes do maior partido de esquerda brasileiro, o PT. E a direita raivosa e truculenta reagira com violência digna do fascismo. Mas estava tudo mais ou menos dentro do esperado.
    O que não era esperado é que depois daquilo o PT, partido que capitaneava aquele sentimento de protesto, fosse se integrando cada vez mais à ordem, fosse se transformando paulatinamente em um sustentáculo desta mesma ordem e por fim morresse como partido operário capaz de fazer mudar esta ordem de coisas. Mas, enfim, morreu.
    E como todo corpo morto e insepulto, o PT exala cada vez pior cheiro. Todas as barbaridades cometidas nestes anos de governo federal, com Sarney’s, Collor’s, Renan’s, Osmar’s e Fruet’s, e seus séquitos sedentos por cargos e benesses à custa do povo, seja em Brasília ou em Curitiba. Reforma da Previdência e caixa dois. As elites satisfeitas. O povo anestesiado, é bem verdade. Mas ainda assim o defunto cheira mal… A mais recente golfada deste cheiro de morte foi quando, recentemente, o deputado federal André Vargas do PT resolveu dar o nome de Cecílio do Rego Almeida a uma rodovia. O Oscar Fachini, que faleceu anos depois em uma emboscada no interior do estado, onde estava morando (provavelmente por conta de sua atuação junto aos movimentos sociais) não é nome de nada, nem de rua. Apanhou naquela tarde do Cecílio, e sua camiseta que tinha o símbolo do PT desenhado na frente ficou manchada de sangue.
    Estive no velório do Oscar. Tinha uma bandeira do PT no seu caixão. Queria muito o Oscar aqui ainda, entre nós. Mas nem imagino o desgosto dele ao sentir o cheiro de podre que exala o PT que ele tanto defendeu.
    Talvez fizesse como eu, saísse à rua para um ar melhor. Hoje me filio ao PSOL. Quero o cheiro da vida!

    *Edmar Macedo foi membro do Diretório Municipal do PT-Curitiba. Militou neste partido de 1989 a 2012. Foi diretor de várias entidades estudantis, entre elas a UBES e a UPE. Foi sindicalista e chefe de gabinete parlamentar. É formado em História e mestre em Sociologia. Hoje é técnico-administrativo em educação da UFPR. E agora é militante do PSOL!

  29. Confirma aí
    segunda-feira, 1 de abril de 2013 – 7:40 hs

    A verdade para André Vargas:

    http://claudiawas.blogspot.com.br/2013/03/cecilio-do-rego-almeida-esclarece-quem.html

  30. Micropolítico polinésio
    terça-feira, 23 de abril de 2013 – 14:03 hs

    Aí vai a execução de sentença contra o homenageado

    http://terradedireitos.org.br/biblioteca/noticias/mpf-pede-execucao-de-sentenca-que-cancelou-a-maior-grilagem-do-mundo/

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*